29 de novembro de 2011

Para a Maria - Bifes de Frango com legumes estufados na frigideira e arroz branco



A Maria aventurou-se mundo fora por uma boa causa. Partiu para Timor Leste como voluntária das Nações Unidas. Partiu deixando todo o conforto civilizacional a que tão bem nos habituamos. Para ela a noção de que o mundo é uma aldeia global onde tudo está tão perto quanto um simples clique passou a ser uma mera ilusão.  Num país tão diferente, tudo mudou. Não tem ao seu dispôr as imensas prateleiras das grandes cadeias de supermercado repletas de tudo e mais alguma coisa, nem tão pouco a parafernália de tachos, panelas, utensílios e mais tralhas que conseguimos juntar numa cozinha. Porém não é esta limitação logística que vai impedir a Maria de saborear uma refeição saborosa no fim de uma jornada cansativa e por isso a Moira lançou o desafio a toda a blogosfera: vamos ajudar a Maria e preparar para ela um jantar reconfortante e prático usando apenas com os ingredientes e utensílios que ela tem à sua disposição. Difícil? Só aparentemente. Os ingredientes são básicos e fazem parte do nosso dia-a-dia e quanto aos utensílios, bom, nunca as nossas avós ou bisavós deixaram de fazer cozinhados deliciosos só porque não tinham robots de cozinha e varinhas mágicas. Por isso, Maria, este é o jantar que sirvo para ti.

Parabéns, Moira, pelo desafio e pelo 4º aniversário do "Tertúlia de Sabores"!

Utensílios:
1 frigideira
1 colher-de-pau
1 tacho
1 chávena
1 faca

Ingredientes:
Para o frango/galinha:
2 peitos de frango/galinha abertos (bife)
1 dente de alho
1 limão
Sal q.b.
Azeite ou óleo q.b.

Para os legumes:
1 cenoura
1 pimento
1 tomate
1 cebola
1 dente de alho
Sal q.b.
Azeite q.b.
Oregãos q.b.

Para o arroz:
1 chávena de arroz
2 chávenas de água
1 dente de alho
Sal q.b.
Azeite ou óleo q.b.

Preparação:
Comecemos por temperar o frango com alho picado, sumo de limão e sal. Deixámos tomar do sabor por uma hora (ou menos, Maria, que esta carne é já de si bem saborosa).
Depois passamos a lavar e arranjar os legumes: descascamos e cortamos a cebola e a cenoura às rodelas, cortamos o pimento e o tomate (sem sementes) em cubos. A maçã é também descascada e cortada em cubos, mas só na hora de a cozinhar para não oxidar.
Reservamos os legumes e avançamos para o arroz:
Num tacho deitamos um fio de azeite ou óleo e o alho picado. Deixamos alourar o alho, sem queimar, e juntamos o arroz. Envolvemos bem e deixamos fritar por 2 ou 3 minutos. Acrescentamos a água e o sal. Deixamos  ferver um pouco e reduzimos o calor do fogão para lume brando até o arroz ter absorvido toda a água e estar cozido.
Enquanto isso deitamos um fio de azeite na frigideira, aquecemos e juntamos a cebola, a cenoura e o pimento. Deixamos alourar a cebola até amolecer. Segue-se a maçã e finalmente o tomate. Deixamos refogar lentamente, temperamos de sal e acrescentamos água para que sejam servidos com algum molho. Transferimos os legumes para o prato de servir que fica junto ao fogão para não arrefecerem.
Na frigideira, que não precisa de ser lavada, acrescentamos mais um fio de azeite, só o necessário para untar e grelhamos os bifes de frango/galinha.
O arroz já está pronto, o frango também. Polvilhamos os legumes com oregãos e servimos.
Bom apetite, Maria!


28 de novembro de 2011

Requeijão no forno




Esta entrada foi uma das que brindou a mesa de S. João (onde já vai o meu queirdo S. João...) enquanto os pimentos e as sardinhas eram preparados. Foi uma bela surpresa e a repetir. Veio a receita da "Cozinha sem Avental" da Sandra.

Ingredientes:
1 requeijão (usei apenas metade)
Oregãos
Malaguetas secas
Azeite

Preparação:
Pique muito finamente as malaguetas e misture-as com os oregãos.
Espalhe esta mistura pelo requeijão, regue com um fio de azeite e leve ao forno pré-aquecido a 180º durante 15 a 20 mintos.

26 de novembro de 2011

Projecto Marmita - Semana V



Lanche da manhã
Almoço
Lanche da tarde
Segunda-feira
1/2 fatia de pão + uvas
Creme de legumes com vitela e espinafres + 1 maçã + tiramissu
1 iogurte natural + 1 kiwi + 1/2 fatia de pão
Terça-feira
1 kiwi + 1/2 fatia de pão
Legumes assados com ovo + 1 tangerina
1 iogurte natural + 1 maçã + 1/2 fatia de pão
Quarta-feira
1 tangerina + 1/2 fatia de pão
Lulas estufadas + Maçã assada
1 iogurte natural com sementes de linhaça + 1 pêra + 1/2 fatia de pão
Quinta-feira
1 pêra + 1/2 fatia de pão
Sopa de agrião com 1 colher de sementes de linhaça + Maçã assada
1 maçã + 1/2 fatia de pão
Sexta-feira
1 kiwi + 1/2 fatia de pão
Frango grelhado com arroz branco + romã
1 pêra + ½ fatia de pão


A semana começou com uma sopa inspirada numa das minhas preferidas: sopa com carne - uma base de legumes simples (batata, cenoura e alho francês) cozidos na mesma água onde cozeu um pouco de vitela, que desfiei e juntei à sopa juntamente com espinafres também previamente cozidos.  Dica: se sobrar água de cozer a carne, deixe arrefecer, retire a gordura que se forma no topo e congele. Faz um óptimo caldo para outras sopas, arroz ou estufados.
Na terça os legumes assados (batata, cebola, alho francês, pimento vermelho, courgete, cenoura, couve-flor, tudo temperado com uma pitada de sal, um fio de azeite e um pouco de malagueta) enriquecidos com um ovo cozido fizeram uma salada quente.
Na quarta, quinta e sexta-feira a tarefa foi facilitada pelos jantares dos dias anteriores: lulas estufadas com batata e cenoura para a marmita de quarta, sopa de agrião para a de quinta e frango grelhado com arroz branco para sexta.
Os iogurtes da semana vêm parte da semana passada. Foram feitos por mim segundo este método.
O pão: um simples brioche Branca de Neve.
Nunca pode faltar a fruta, nem o pãozinho e durante o dia um chá quente de cavalinha ou verde Gorreana ajuda a aquecer e a ingerir a quantidade de líquidos recomendada.

24 de novembro de 2011

Creme de legumes assados



Comecei por fazer as minhas sopas com legumes cozidos, depois passei a refogá-los e hoje aventurei-me num creme de legumes assados.
Se a sopa "cozida", como aprendi a fazer com a minha mãe, é a mais prática de todas e, porventura, a mais saudável, se os legumes refogados lhe emprestam um sabor ligeiramente mais intenso e uma consistência mais cremosa, os legumes assados superam tudo isso: enquanto assam, os legumes libertam os aromas que lhe são próprios, intensificando-os. Os seus sucos acabam por os caramelizar um pouco e é uma explosão de sabor. Por outro lado, durante o tempo que estão no forno têm tempo para absorver os temperos que lhes quisermos dar. Nesta sopa juntei um pouquinho, só um pouquinho, de malagueta que lhe deu um travo ligeiramente picante. Serviu para disfarçar o sabor do tomate que não aprecio muito em sopas e resultou muito bem.
Como gosto de ver os cremes "enfeitados" optei por lhe juntar uma mão cheia de pinhões tostados, numa primeira dose e umas folhinhas de coentros na segunda dose. Ambos ficaram bem: os pinhões com o seu crocante e os coentros com a frescura que lhes é caracteristica.

Ingredientes:
1 curgete
1 cenoura
2 tomates maduros
1 cebola
1 dente de alho
1 pitada de flocos de malagueta (é mesmo só 1 pitada)
Sal e azeite q.b.
Pinhões tostados ou ervas frescas a gosto para servir (ou croutons ou bacon ou ...)

Preparação:
Corte a curgete (mantive a casca), a cenoura e a cebola em pedaços regulares. Se quiser pode fazer o mesmo aos tomates, retirando as sementes. Eu optei por assá-los inteiros e retirei as sementes depois.
Espalhe os legumes num tabuleiro pequeno, junte o alho esmagado e sem a casca, polvilhe-os com sal e regue com um fio de azeite.
Leve a forno pré-aquecido a 200º até estarem macios. Não deixe queimar, mas se ficarem ligeiramente tostados não faz mal.
Coloque os legumes no copo da bimby e cubra-os com água bem quente. Triture (velocidade 3-5-7-9) durante 1 minute e meio. Se o creme estiver muito espesso acrescente mais água quente e rectifique os temperos.
Programe 100º/7 min/vel. 1.
Junte os flocos de malagueta e misture durante alguns segundos na velocidade 4.
Sirva com pinhões tostados: deite um punhado de pinhões numa frigideira bem quente mexendo até dourarem e sem queimar, ou com ervas frescas a gosto (usei coentros picados).
Na falta da bimby pode usar qualquer robot de cozinha, o liquidificador ou a panela e a varinha mágica.

Nota: esta sopa serviu a marmita de quarta-feira da semana IV do Projecto Marmita (que tinha uma gralha e já foi corrigida).

23 de novembro de 2011

Pão de Aveia e Leitelho


Enquanto o meu isco (segunda tentativa depois de uma primeira completamente falhada) vai crescendo sob o meu olhar curioso e inseguro, continuo a experimentar as receitas do livro "200 Receitas de Pão".

 Ingredientes:
125 ml de água
175 ml de leitelho*
1 1/2 de chá de sal
425 gr. de farinha T65 Espiga**
50 gr. de farinha de aveia fina ou média***
1 1/2 de chá de açúcar
1 1/4 de chá de fermento biológico seco (usei Fermipan)****

Preparação:
"Tradicional":
Coloque os ingredientes pela ordem indicada na cuba da máquina (daqui o tradicional entre aspas...).
Seleccione o programa "Amassar" ou "Massa", conforme a sua máquina (programa 7 na Taurus My Bread).
Quando o programa terminar transfira a massa para uma superfície polvilhada com farinha e dê-lhe a forma que desejar. Optei por dar uma forma alongada e coloquei numa forma rectangular.
Deixe levedar por 45 minutos a 1 hora ou até a massa dobrar de volume (coloquei a forma com a massa dentro do forno ligado a 50º).
Coloque um tabuleiro com água no fundo do forno e regule a temperatura para 200º. Deixe cozer por 30 a 40 minutos ou até o pão estar cozido (bata com os nós dos dedos no fundo do pão, se fizer um som oco está pronto), retire e deixe arrefecer sobre uma grelha.
Se não gostar de uma côdea muito dura coloque um pano molhado sobre o pão enquanto arrefece.

Na MFP:
Coloque na cuba os ingredientes pela ordem indicada.
Programe "pão básico" (programa 1 na Taurus My Bread), seleccione o tamanho do pão: 750 gr. e escolha a cor da côdea.
Antes de começar a cozedura pincele com leite e polvilhe com farinha de aveia e baixe a tampa com todo o cuidado.
Terminado o programa, retire o pão da cuba e deixe arrefecer sobre uma rede.

Notas:
* Se não tiver leitelho deite o leite morno numa tigela e junte 1 a 2 colheres de sopa de sumo de limão (usei lima) e deixe repousar por 10 minutos.
** Usei cerca de 200 gr. de farinha T65 Espiga e o resto farinha de trigo integral biológica. Se tivesse feito o pão na MFP teria programado "pão integral".
***Triturei flocos de aveia na bimby com uns golpes de turbo.
****Quando não uso um pacote inteiro de fermento guardo o sobrante no congelador e por enquanto ainda não tive dissabores.

21 de novembro de 2011

Doce de curgete, lima e baunilha



Esta foi uma estreia absoluta. Nunca tinha feito doce de courgete, mas depois de me oferecerem uma enorme resolvi aproveitar parte dela para este doce da Gasparzinha do "No Soup for you", que me soou aromático.
Em vez do açúcar amarelo usei açúcar integral de cana que conferiu ao doce um tom mais escuro.

Ingredientes:
500 gr. de courgete
250 de açúcar amarelo
1 lima
1/2 vagem de baunilha

Preparação:
Descasque a courgete e rale-a.
Retire a casca à lima, retirando toda a parte branca.
Coloque o açúcar e a lima no copo da bimby e triture 10 segundos/vel.3-5-7.
Abra a vagem da baunilha e com a ajuda de uma faca ou de uma colher raspe as sementes e deite-as no copo.
Junte a curgete ralada e programe 30 min./100º/colher inversa/vel. colher.
No final do tempo substitua o copinho pelo cesto voltado ao contrário e programe 20 min./varoma/colher inversa/vel.colher.
Se quiser o doce mais seco programe mais 10 minutos. No meu caso acho que 15 minutos a final teriam sido suficientes. Guarde em frascos esterilizados.

19 de novembro de 2011

Projecto Marmita - Ementa - Semana IV



Lanche da manhã
Almoço
Lanche da tarde
Segunda-feira
1 fatia de pão + 1 kiwi
Sopa de abóbora assada + 1 pêra
1 iogurte natural + 1 maçã + 1 fatia de pão
Terça-feira
1 maçã + 1 fatia de pão
Sopa de abóbora assada + 1 pêra
Puré de maçã + 1 tangerina + 1 fatia de pão
Quarta-feira
1 maçã + 1 fatia de pão
Creme de legumes assados + Maçã assada
1 iogurte natural com sementes de linhaça + 1 kiwi + 1 fatia de pão
Quinta-feira
1 tangerina + 1 fatia de pão
Canja à moda do D. + 1 maçã
1 iogurte com ameixa + uvas + sementes de linhaça + 1 fatia de pão
Sexta-feira
uvas + 1 fatia de pão
Esparguete com peru grelhado e legumes salteados + kiwi
1 iogurte com ameixa + maçã + 1 fatia de pão


Esta foi a semana das sopas, de segunda a quinta, tendo quebrado a rotina na sexta-feira com um esparguete.
No domingo assei alguns legumes, hábito que começo a adoptar sempre que o forno entra de serviço. Uma talhada de abóbora menina e um tabuleiro pequeno de legumes diversos. Ambos foram utilizados para fazer sopas reconfortantes para os dias tristes e cinzentos que temos tido: creme de abóbora e creme de legumes (deste ainda tenho uma dose congelada). Na sexta-feira, para ser diferente, veio um esparguete com peru grelhado, bacon, cogumelos, pimento verde e vermelho e espargos (de conserva que não encontrei frescos).
O pão da semana foi o resultado do primeiro isco "criado" por mim e que aqui partilharei mais tarde (tal como as sopas).
Na quarta-feira à noite voltei a experimentar os iogurtes caseiros, sem iogurteira, e lá consegui melhores resultados, pelo menos não talharam todos. Ainda não percebi o que tenho feito de diferente das duas primeiras tentativas com sucesso para agora não conseguir que os ditos me saiam bem. Vamos tentando. Desta vez fiz 2 naturais, 3 com compota de pêssego e 2 com compota de ameixa.


18 de novembro de 2011

Salmão assado com arroz de legumes


Um peixe rico, pede sempre uma boa companhia. Não sei se é pela cor, mas quando penso em salmão associo-lhe os sabores da laranja e do limão, por isso outro destino não poderiam ter as laranjas da fruteira que não fosse o de perfumar uns lombos de salmão para o nosso almoço. À laranja juntou-se o tomilho, que teima em bem crescer nos vasos do terraço, e um arroz solto de legumes, de uns brócolos verdes a contrastar com o laranja do peixe.



Ingredientes:
Para o salmão:
1 lombo de salmão por pessoa
1 laranja
2 dentes de alho
2 hastes de tomilho
1 dl de vinho branco
Sal q.b.

Para o arroz:
1 chávena de arroz
1 cenoura
1 "ramo" de brócolos
1 cebola
3 rodelas de chouriço
1 dente de alho
1 folha de louro
1 ponta de malagueta
Azeite q.b.
Água q.b.
Sal q.b.

Preparação:
Tempere os lombos de salmão com o vinho, o sumo de laranja, as folhinhas do tomilho, os dentes de alho picadinhos e sal. Deixe marinar durante uma a duas horas.
Separe os raminhos de brócolos e coloque-os num recipiente cobertos de água com umas gotas de vinagre. Deixe repousar por uns minutos e passe por água corrente. Reserve. Num tacho refogue, em azeite, a cebola picadinha, juntamente com as rodelas de chouriço e a cenoura cortada em cubos pequenos, a folha de louro e a malagueta.
Quando a cebola estiver amolecida, refresque com um pouco de água e deixe fervilhar durante uns minutos. Acrescente três chávenas de água quente, tempere de sal e quando a água começar a ferver junte o arroz. Mexa o arroz, reduza o calor do fogão para lume médio e assim que a água levantar fervura junte os brócolos. Deixe novamente levantar fervura e reduza o calor do fogão para lume brando. Deixe cozer o arroz, acrescentando água quente se necessário.
Quando o arroz estiver cozido desligue o fogão e acrescente uma chávena de água fria. Assim pára a cozedura do arroz que se vai manter com calda até à hora de servir.
Entretanto, enquanto o arroz coze, grelhe o peixe numa grelha bem quente. Por cá encarregou-se o D. de o levar à brasa numa dia em que o sol nos deu um ar da sua graça.
Sirva com laranja em gomos.

16 de novembro de 2011

Pannacotta no frasco



Cá em casa só eu aprecio pannacotta. Não que não se coma, mas ficam sempre aqueles olhares de desilusão. Não sei se é o erro é meu, que reduzo constantemente a quantidade de açúcares nas receitas a bem da saúde ou se é mesmo da sobremesa, por isso muito raramente a faço. Só mesmo quando abro um pacote de natas que não utilizo na totalidade. Aí pannacotta é certinha e em frasquinhos de compota são uma doce companhia para os meus almoços da semana.

Ingredientes:
100 ml de natas
50 ml de leite
Açúcar a gosto
1/4 vagem de baunilha
1 folha de gelatina
Compota de morango q.b.

Preparação:
Num tachinho leve a lume as natas com o leite, o açúcar e o miolo da vagem de baunilha (abra a vagem e raspe o interior com uma faca).
Aqueça bem sem deixar ferver.
Demolhe a folha de gelatina em água fria durante cerca de 5 minutos (tenha em atenção a temperatura ambiente: no verão é necessário menos tempo), esprema bem e junte às natas quentes, mexendo até dissolver.
Deixe arrefecer e coloque duas a três colheres de sopa de compota de morango no fundo de cada frasquinho. Preencha o restante com as natas cozidas e leve ao frigorífico até solidificar.

14 de novembro de 2011

Creme de feijão verde com ovo


Lá por casa a sopa está quase sempre presente, mesmo no Verão. Não vario muito na base, mas por vezes gosto de lhe acrescentar um outro ingrediente que a transforma de imediato. Ora mais leves no sabor e na consistência, ora mais fortes e mais cremosas. Uns croutons, umas tiras de bacon tostadas, umas rodelas de chouriço, uns pedacinhos de queijo ou de tofu, podem marcar toda a diferença numa sopa de sempre. Desta vez optei pela gema de ovo, como se de uma canja se tratasse. Uma sopa que foi por si só uma refeição com nutrientes ricos. Uma sopa reconfortante e nutritiva para os dias frescos de Outono.

Ingredientes:
300 gr. de batata
150 gr. de courgete
1 cebola
1 dente de alho
250 gr. feijão verde
1lt de caldo de carne
Água q.b.
Azeite Clássico Espiga q.b.
1 pitada de Sal
1 ovo

Preparação:
Tradicional:
Pinte o fundo de uma panela com azeite e junte-lhe a cebola em rodelas, o alho esmagado, as batata e a courgete cortadas em pedaços e ainda meia dúzia de vagens de feijão verde.
Deixe refogar um pouco, sem tostar ou queimar e cubra os legumes com o caldo de carne, acrescentando água se necessário.
Tempere de sal e deixe cozer.
Triture com a varinha mágica, acerte a consistência acrescentando mais água se assim o entender, rectifique o sal e junte o restante feijão verde, limpo do filamento lateral e cortado em tiras e as tiras em pedacinhos.
Deixe o feijão cozer em lume brando/moderado até estar a seu gosto.
À parte leve um tachinho ao lume com água e sal. Quando levantar fervura parta um ovo de cada vez, separando a clara da gema e cuidadosamente deite a gema na água fervente. Para facilitar deito a gema num pires e deixo-a escorregar para o tacho. Deixe a gema cozer bem e retire da água. (congelei as claras para futuras utilizações).
Distribua a sopa pelas tigelas ou pratos e em cada um coloque uma gema de ovo.

Bimby:
No copo coloque a cebola, as batatas e a courgete cortados em pedaços e o alho esmagado e algumas vagens de feijão verde.
Cubra os legumes com o caldo de carne, acrescentando água se necessário.
Retire os filamentos ao feijão verde, corte-o em tiras e as tiras em pedacinhos.
Coloque sobre a bimby a varoma e coloque aí o feijão verde.
Programe 25 minutos/Varoma/vel. 1.
No fim triture 3-5-7 até estar a sopa bem passada e cremosa.
Retire a varoma com cuidado, abra o copo e verifique a consistência da sopa. Se necessário acrescente mais água e se o fizer acrescente neste momento o feijão verde e programe 5 minutos/100º/colher inversa/vel. colher. Não necessitando de acrescentar água junte o feijão verde e envolva.

12 de novembro de 2011

Projecto Marmita - Ementa - Semana III




Lanche da manhã
Almoço
Lanche da tarde
Segunda-feira
1 fatia de pão + 1 tangerina
Sopa de agrião com requeijão + 1 ameixa
1 iogurte natural + 1 banana + 1 fatia de pão
Terça-feira
Uvas + 1 fatia de pão
½ sopa de agrião + omelete de vegetais assados + “mousse” de tapioca e manga
1 iogurte natural com sementes de linhaça + 1 kiwi + 1 fatia de pão
Quarta-feira
1 tangerina + 1 fatia de pão
Esparguete com vegetais assados + gelatina de manga
1 iogurte natural com sementes de linhaça + 1 banana + 1 fatia de pão
Quinta-feira
1 tangerina + 1 fatia de pão
Sopa de couve-coração + 1 maçã
1 iogurte natural + uvas + sementes de linhaça + 1 fatia de pão
Sexta-feira
1 kiwi + 1 fatia de pão
Empadão de carne + brócolos cozidos + maçã assada
1 iogurte natural + uvas + bagas goji + 1 fatia de pão



De Domingo vieram os legumes assados e as sobremesas de terça e quarta-feira e a sopa de espinafres de segunda.
Sendo o Domingo dia de assado, aproveitei o forno para assar os legumes que tinha congelado na semana passada (alho francês, cebola, cenoura, brócolos, pimento amarelo, tudo temperado com alecrim e 1 malagueta sem as sementes e um fio de azeite). Guardei-os no frigorífico e fizeram 2 marmitas deliciosas: uma omelete, carinhosamente feita pelo D., que as faz como ninguém, e esparguete com legumes.
O esparguete havia do jantar do dia anterior: esparguete á bolonhesa também feito pelo D., que cozeu a massa  em água com um fio de azeite e um dente de alho e depois de escorrido juntou-lhe uma noz de manteiga. Uma delicia.
A sobremesa de tapioca (não muito bem conseguida) seguiu esta receita, tendo acrescentado à tapioca 1/4 de vagem de baunilha e substituído a maçã por polpa de manga a que juntei umas folhas de gelatina. A polpa de manga gelatinada que sobrou rendeu ainda 1 frasquinho de iogurte.
Na quinta-feira foi a vez de uma sopa de couve coração e deliciosamente aromatizada com um pedaço chouriço de carne a conferir-lhe um sabor quente e reconfortante,  mais uma vez, feita pelo meu D. a quem devo ainda a maçã assada de sexta-feira, outra especialidade dele - digam lá se não tenho sorte? - e que foi a sobremesa de uma marmita de brócolos cozidos e empadão de carne.
O pão da semana foi um pão de aveia e leiteilho caseirinho, com uma crosta crocante, que fatiei e guardei no frigorífico, fazendo todos os dias pela manhã 2 torradas para trazer.
Os iogurtes têm sido de compra, que as minhas ultimas experiências com os iogurtes caseiros não saíram nada bem.

10 de novembro de 2011

Pão de pirex com cerveja e trigo sarraceno




Mais um pão de pirex. Esta receita de pão é tão fácil e com tão bons resultados que acho que nos próximos tempos vou adoptá-la como a minha preferida.
No frigorifico estava mais uma cerveja preta chocolate aberta, depois de uma tentativa, frustrada, de gostar. Como cá em casa nada se perde e tudo se transforma e já que estava em dia de fazer pão saiu novamente um pão com cerveja. Mais uma vez usei uma farinha de sabor acentuado - o trigo sarraceno - que dá um sabor rústico delicioso ao pão. Este foi o meu segundo pão de pirex e saiu ainda melhor que o primeiro. Foi, sem dúvida, o pão mais bonito que já fiz. No dia seguinte fechei o pão num saco plástico e guardei-o no frigorifico. Fez as minhas delicias durante uns dias, fatiado fino e tostado. Maravilhoso!

Ingredientes:
175 ml de cerveja preta chocolate
180 gr. de farinha trigo T65 Espiga
70 gr. de farinha integral
50 gr. trigo sarraceno
1 col. de sopa de sementes de sésamo
20 gr. de azeite
1 col. de chá de sal
1 saqueta de Fermipan

Preparação:
No copo da bimby coloque a cerveja, o azeite e o fermento e programe 1 minuto/37º/vel. 3.
Junte os restantes ingredientes e misture 20 segundos/vel. 6. De seguida programe 3 minutos/Espiga.
Verifique se a massa descola da parede do copo enquanto amassa. Se isso não acontecer vá acrescentando 1 colher de sopa de farinha de cada vez até a massa descolar.
Pincele um pirex e respectiva tampa com azeite e polvilhe com farinha.
Retire a massa para uma superficie enfarinhada e dê-lhe a forma de uma bola. Coloque-a no pirex, pincele com azeite, polvilhe com farinha e dê-lhe uns cortes com uma faca.
Tape o pirex e coloque-o no forno ainda desligado.
Ligue o forno a 220º e deixe o pão cozer durante 40 a 50 minutos.
Quando cozido (com todo o cuidado retire o pão e bata com os nós dos dedos na base, se o som for oco está pronto o pão) retire do pirex e deixe arrefecer sobre uma grade. Se não gostar de uma crosta muito dura cubra-o com um pano húmido até arrefecer completamente.

8 de novembro de 2011

De manhã se começa o dia - Porridge de quinoa, aveia e pera



Gosto de tomar o meu pequeno-almoço em casa. Sentada. Sem pressas. Bem acompanhada. E gosto que seja uma refeição leve, mas com o necessário para ajudar o meu corpo e mente a acordarem com energia para o dia que começa. Podem não acreditar, mas aí pelos meus 6 anos o meu pequeno-almço preferido era um pão com manteiga (um "molete") e... um copo de água. Vá-se lá saber porquê, mas sabia-me bem assim. Já mais crescidinha tive a fase do pequeno-almoço em pé, encostada à bancada da cozinha: um copo de leite com chocolate e pão com manteiga. Depois tive a fase do pequeno-almoço no café: pingo (de cimbalino :) ) e pão com manteiga. Depois destas fases sem grandes variações, lá vieram os cereais: uma taça com iogurte, uma mão cheia de muesli, um kiwi  e meio pão torrado com manteiga. Era um bom pequeno-almoço, calórico, supostamente capaz de dar energia até à hora de almoço, mas a verdade é que a meio da manhã tinha mesmo que comer mais um pãozinho e tomar um pingo. Ao longo deste tempo elemento comum sempre foi o pão, o meu vicio alimentar predilecto. Bom, mas finalmente lá me fui aventurado para outras variações e hoje em dia, de vez em quando, cai na mesa uma panqueca ou uma taça de aveia que por vezes enqiqueço com quinoa, inspirada aqui.

Ingredientes:
4 colheres de sopa de aveia
2 colheres de sopa de quinoa
1 pera
250 ml de leite
Açúcar ou adoçante a gosto
Canela em pó q.b.

Preparação:
Tradicional:
Lave a quinoa em água abundante.
Descasque a pêra e parta em pedaços muito pequenos.
Colique a pêra num tacho e junte os restantes ingredientes.
Leve a lume médio até levantar fervura. Reduza o calor para o minimo e deixe cozer a aveia e a quinoa lentamente, mexendo de vez em quando para não pegar, até obter a consistência desejada.
Transfira para uma taça e polvilhe de canela em pó.

Bimby:
Triture a pêra 5seg/vel.5.
Junte os restantes ingredientes e programe 10 minutos/90º/vel.3.
Transfira para uma taça e polvilhe de canela em pó.

Nota: Embora goste bastante da quinoa em saladas, já não gosto tanto assim no pequeno-almoço. Sejam as papas feitas só com quinoa ou com a quinoa e aveia sobressai sempre um sabor (para mim) desconsolado, mesmo com a fruta e a canela à mistura, mas atendendo às qualidades nutricionais da quinoa, vale a pena o pequeno sacrificio.

5 de novembro de 2011

Projecto Marmita - Ementa - Semana II



Lanche da manhã
Almoço
Lanche da tarde
Segunda-feira
½ fatia de pão e uvas
Macarronete com frango e pesto + 1 kiwi+aletria
1 iogurte de coco e 1 maçã
Terça-feira
***
***
***
Quarta-feira
1 pêra+1 fatia de pãoMacarronete com legumes salteados +cheesecake de manga
1 iogurte+1 banana + 2 col. sopa de sementes de linhaça
Quinta-feira
½ fatia de pão e 1 bananaSopa de espinafres c/ sementes de linhaça + 1 maçã
1 iogurte + 1 ameixa +  1 col. sopa de sementes de linhaça
Sexta-feira
***
***
***


Esta semana fez-se apenas de 3 marmitas, sendo que tivemos um feriado pelo meio e na sexta as obrigações assumidas levaram-me a almoçar a casa.
O frango assado de domingo fez o almoço de segunda-feira: desfiado, juntou-se a uma mão cheia de macarronete cozido e temperou-se com 2 colheres de chá de pesto caseiro. Como ao domingo normalmente há uma sobremesa ou um lanche doce, esta semana calhou a sorte à aletria adoçar o meu inicio de semana (adaptada desta receita: utilizei 130 gr. de aletria, 130 ml de leite, 130 ml de água, 75 gr. de açúcar, 1 casca de limão e 1 gema de ovo). O chessecake estava também congelado. Era a última fatia deste e achei que já estava na hora de lhe dar destino.
O macarronete serviu duas doses. Quando sobra massa cozida envolvo-a num pouco de azeite e guardo no frigorífico até 3 dias no máximo. Para a segunda dose salteie legumes (cebola, alho francês, pimento amarelo e courgete) em azeite e alho, acrescentei brócolos cozidos al dente e e envolvi a massa. Ainda sobraram alguns legumes que guardei em cru e já cortados no congelador.
A sopa de espinafres é básica. Foi feita na terça à noite, rendeu 5 doses, das quais 2 foram directas para o congelador.
A explicação do pão: em vez das bolachas trago 1 ou 2 fatias de pão que torro de manhã, de preferência pão caseiro, e porquê? É um truque meu:  um pacote de bolachas, uma vez aberto, desaparece rapidamente e assim doseio melhor os hidratos de carbono que vou consumindo ao longo do dia.


4 de novembro de 2011

Alcatra Regional




De regresso a casa, depois da minha semana na Terceira, o primeiro almoço de domingo foi, como não podia deixar de ser, alcatra regional. Eu e o D. viemos completamente deliciados e enfeitiçados por aquele manjar e tínhamos mesmo que tentar fazer a receita em casa. Fiz uns passeios pela blogosfera e nas cozinhas da Elvira, da Manuela e da Susana encontrei uma preciosa ajuda.
Usei um tacho de barro vidrado e não o tradicional alguidar que não tenho, ou melhor, ainda não tenho, mas já está prometido*. A carne ficou deliciosa e melhor ainda no dia seguinte. Gostamos tanto que já repetimos a façanha.

Ingredientes:
1 kg de carne vaca, incluindo um pedaço com osso
100 gr. de bacon
2 cebolas
2 folhas de louro
1 colher de sopa de massa de malagueta (usei de pimentão)
1 colher de chá de Pimenta da Jamaica
Banha q.b.
Manteiga q.b.
Sal q.b.
1 pau de canela
2 cravinhos
Vinho branco q.b.

Preparação
Unte um tacho de barro - preferencialmente um alguidar próprio para alcatra - com banha.
No fundo coloque o osso, o pau de canela, os cravinhos, pedacinhos de bacon, cebola às rodelas e uma folha de louro, de seguida uma camada de carne partida aos pedaços (encontrei receitas onde indicam que a carne deve ser untada com banha ou manteiga, mas omiti esta parte), mais bacon, cebola, alho e louro e mais uma camada de carne. Coloque algumas nozes de manteiga por cima.
Cubra com o vinho branco e tempere de sal e pimenta da jamaica.
Cubra com papel de aluminio e faça uns furinhos.
Leve ao forno pré-aquecido a 200º durante 3 horas. Deixe descansar dentro do forno desligado toda a noite e no dia seguinte aqueça durante cerca de 1 hora, acrescentando água se necessário e retirando o papel de aluminio 20 minutos antes do final.
Sirva com arroz branco ou batata cozida ou apenas com pão rústico à moda da Terceira.

2 de novembro de 2011

Creme de cenoura ao limão com frango assado e requeijão



Esta sopa de frango que a Nadji apresentou nos Saveurs et Gourmandise ficou na minha lista de receitas a experimentar pela curiosidade que me provocou o tempero do caldo, nomeadamente a mistura do limão e do queijo, já para não falar da utilização do frango assado com a pele. O tempo vai passando e eu vou deixando passar a oportunidade de a experimentar, mas come-se tanto frango assado cá em casa que o dia  ainda há-de-ser dia. E foi com a lembrança nela que me inspirei para transformar um creme de cenoura normalissimo numa sopa diferente e saborosa.

Ingredientes:
1 batata
1 cebola
1 dente de alho
3 cenouras
1 caldo de legumes (usei caseiro)
Sal q.b.
Azeite Clássico Espiga q.b.
Frango assado q.b.
1 colher de café de raspa de limão por prato
Cebolinho
1 fatia de requeijão por prato

Preparação:
Tradicional:
Pinte o fundo de uma panela com um fio de azeite e junte os legumes cortados em bocados pequenos e o alho esmagado.
Deixe refogar durante alguns minutos com a tampa colocada, a sudação dos legumes vai impedir que se queimem.
Cubra os legumes com água, acrescente o caldo e tempere de sal.
Quando os legumes estiverem cozidos triture com a varinha mágica.

Bimby:
No copo coloque a batata, a cebola e as cenouras partidas em bocados pequenos.
Acrescente o alho esmagado e o caldo de legumes e cubra com água.
Tempere de sal (atenção ao sal do caldo) e acrescente um fio de azeite.
Programe varoma/25 minutos/colher inversa/velocidade 1.
No fim triture 3-5-7 progressivamente

No momento de servir:
Esfrie o frango, pique o cebolinho e corte o requeijão em cubos.
Distribua a sopa pelos pratos ou tigelas e em cada uma junte a raspa de limão e mexa.
Acrescente a cada uma porção de frango, requeijão e salpique com o cebolinho picado.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...