28 de junho de 2016

Omeleta verde com recheio de abóbora, cogumelos e alho francês



Diz a Marta - "Intrusa na Cozinha", que Junho é o mês dos espinafres, o que me parece muito bem, por isso em Junho apareceu no meu prato uma omeleta verde e surpreendentemente fofa. Se os ovos são boa companhia para os espinafres, porque não mistura-los e uni-los num belíssimo casamento, sim porque Junho também é o mês dos casamentos, graças ao meu querido Santo António. 
O mais difícil na confecção desta omeleta foi perceber o ponto certo para a começar a enrolar, já que a sua cor mais escura não permitia adivinhar com segurança aquele momento em que as bordas estão cozidas e o meio ainda fofo, mas já suficientemente cozido para a enrolar, mas creio que ainda que tivesse que a servir sem ser enrolada o resultado seria sempre fantástico: ficou tão fofa que parecia uma nuvem a desfazer-se na boca.



Ingredientes (para 1):
Para a omeleta:
1 ovo + 1 clara (ou 3 claras grandes)
1 bloco de espinafres congelados (previamente descongelados e espremidos)
2 colheres de creme e arroz para culinária (usei da Provamel)
1 colher de café rasa de fermento em pó Royal
1 pitada de sal
Para o recheio:
2 fatias finas de abóbora hokkaido
Alho francês (2 das folhas interiores verdes)
50 gr de cogumelos fatiados
Azeite q.b.
Sal q.b.

Preparação:
Coza a abóbora até amaciar.
Corte o alho francês em tiras finas.
Deite um fio de azeite numa frigideira anti aderente e salteie os vegetais até ficarem macios e ligeiramente dourados. Transfira para um prato e reserve.
Num recipiente coloque os ovos, os espinafres bem escorridos, o creme de arroz, o fermento e uma pitada de sal e triture com a varinha mágica.
Aqueça uma frigideira em lume médio e verta a mistura de ovos espalhando-a bem.
Deixe cozer até as bordas estarem firmes e o centro quase firme.
Espalhe no centro o recheio e comece a enrolar a omeleta com a ajuda de dois garfos.
Sirva com salada a gosto.


14 de junho de 2016

Bircher Muesli do Jamie



Lembram-se do "Quinze dias com...", pois agora foi renomeado para "Um mês com...". Temos mais tempo para escolhermos e executarmos as receitas escolhidas do menu do chefe do mês, o que é muito bom, mas mesmo assim, este mês quando dei por mim já tinha a receita escolhida, confecionada, fotograda (comida) e a 2 dias do fim do prazo nada de texto para o blog...Por isso vamos lá acelerar o teclado. 

O chefe do mês é o tão famado Jamie Oliver e a receita escolhida serve-se ao começar do dia, já que o pequeno-almoço, este ano, tem sido a minha refeição de eleição para experimentar novos ingredientes. Esta receita é uma das que me chamou de imediato a atenção no seu novo livro "Receitas Saudáveis" e é um muesli Bircher. Lida a receita conclui que são umas "overnight oats"  que descansam numa mistura de leite (ou outra bebida) e papa de fruta. Nome estranho para umas "overnight oats", não? Também me pareceu, mas a receita apresentava-se tão apetitosa que não me preocupei mais com a questão. Só quando me sentei para escrever este post é que decidi investigar um bocadinho e encontrei um artigo interessantissimo acerca deste Bircher Muesli. Este muesli foi criado pelo Dr. Maximilian Bircher-Benner, um nutricionista suiço que desenvolveu a receita para que os seus doentes passassem a incluir maior quantidade de fruta crua na sua dieta. A fruta de eleição da receita original, e que não aparece nesta, era a maçã. De resto não poderá faltar a aveia, preferencialmente demolhada, o leite (condensado no original ... :) ) frutos secos e desidratados, aroma (sumo de limão, baunilha...) e adoçante. Ora, como na culinária, tal qual no resto das nossas vidas, a mutabilidade é uma constante, a receita do Jamie foge um bocadinho aos ingredientes originais e a minha versão também deixou de fora alguns elementos que este chefe incluiu (folha de louro picada e baunilha), mas que não deixarei de experimentar numa próxima. Então aqui fica um pequeno almoço de rei:



(Fonte: "Receitas Saudáveis", de Jamie Oliver)
Ingredientes (para 2 a 3 doses):
100 gr. de flocos de aveia integrais
2 damascos desidratados
1 tâmara descaroçada
1/2 banana
1 laranja pequena (raspa e sumo)
1 punhado pequeno de amêndoas
200 ml de chá vermelho (no original leite ou bebida vegetal)
Para servir:
Iogurte natural, granola e fruta fresca (mirtilos e kiwi)

Preparação:
Num processador de alimentos (ou com uma varinha mágica potente) triture os damascos, a tâmara, a banana, a raspa e sumo de laranja, as amêndoas e  a bebida que escolher até formar estar bem triturado.
Acrescente a aveia e envolva e deixe descansar durante pelo menos 2 horas, ou de um dia para o outro. (ok ... aqui cometi um daqueles erros comuns que é o de não ler atentamente a receita e triturei a aveia juntamente com o resto. Ficou mais papa, mas ainda assim delicioso).
No dia seguinte sirva com os seus toppings preferidos: granola (pouca), fruta, iogurte e tenha um bom dia!  


6 de junho de 2016

Creme de couve roxa






Não, nunca tinha pensado em utilizar a couve-roxa para fazer uma sopa. Provavelmente por estar tão habituada em usá-la em saladas, mas a verdade é que couve-roxa é couve e se é couve porque não acabar em sopa? Só quando vi este post no Santa Melancia é que fiquei curiosa. Suficientemente curiosa para a experimentar .
O sabor é ligeiramente ácido, tal qual o sabor da couve -roxa, claro. Para quem gosta é uma delicia, para quem não gosta tanto terá que reduzir a quantidade de couve-roxa ou acrescentar um ingrediente com mais doce (cenoura, batata ou abóbora por exemplo, embora a receita original desta sopa tenha a intenção de ser um momento detox para o nossos organismo).


(Fonte: Santa Melancia)
Ingredientes:
1 couve roxa pequena
1 couve-flor pequena
1 cebola roxa
1 dente de alho
Sumo de limão
Azeite q.b.
Água q.b.
Sal q.b.
Salsa picada para guarnecer

Preparação:
Numa panela coloque a cebola às rodelas ou meia s-luas, o alho esmagado, a couve roxa em juliana e a couve-flor cortada em floretes.
Junte água até quase cobrir  os vegetais, juntar umas gotas de sumo de limão e deixar cozer até os legumes estarem macios.
Triture com a varinha mágica e acrescente água até obter a consistência desejada.
Tempere de sal, junte um fio de azeite e sirva polvilhada com salsa picada.

31 de maio de 2016

Taça fresca de quinoa e morango



Quase, quase que não trazia uma receita com morangos para responder ao desafio da Marta do blogue "Intrusa na Cozinha". Sendo o morango um dos meus frutos preferidos desde sempre, seria imperdoável da minha parte. Assim que chegam ás bancas, lá estou siderada nos morangos, não lhes resisto à cor, ao cheiro ao sabor. A maior parte das vezes consumo-os ao natural, mas nunca falha pelo menos um frasco de compota, nem um frasquinho de molho para regar uma bela taça de gelado e fruta, mas desta vez a sugestão serve um pequeno-almoço ou lanche saudável, cheio de nutrientes e sabor, para comer em casa ou no trabalho.

Ingredientes:
1/4 chávena de quinoa
3/4 de leite de arroz
1 pitada de canela em pó
1 casca de limão
6 morangos grandes
Adoçante a gosto (não usei)
Pepitas de cacau a gosto
Sementes de chia a gosto



Preparação:
Cozer a quinoa com a bebida de arroz,  apitada de canela e a casca de limão durante 15 minutos mexendo de vez em quando. Deixe arrefecer.
Esmague 3 morangos e cozinhe até amolecerem. Adoce se necessário.
Misture o puré de morangos com metade da quinoa e deite num copo.
Corte 2 morangos e divida-os pelas 4 faces do copo com a parte cortada voltada para fora.
Acrescente a restante quinoa.
Corte um morango em pedacinhos e deite sobre a quinoa, polvilhe com pepitas de chocolate e leve ao frio.
Sirva fresco.


12 de maio de 2016

Rolinhos de curgete com recheio de frango


Esta semana trago-vos uma receita fácil de prepara, saudável e surpreendemente  saborosa a acompanhar com uma salada rica. Pode ser feita com sobras de frango assado, pode enriquecer o molho com ervas aromáticas a seu gosto ou usar outro queijo da sua preferência. Pode até substituir o frango por atum, cogumelos ou uma carne picada à bolonhesa. Use e abuse e delicie-se!

Ingredientes:
1 curgete pequena
1 peito de frango*
1 cebola
2 tomates maduros, pelados e sem sementes (pode usar enlatados)**
1 folha de louro
2 hastes de tomilho (só as folhas)
1 dente de alho
50 ml de cerveja
250 ml de leite
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de chá de farinha
50 gr de queijo da Ilha ralado
Azeite q.b.
sal q.b.



Preparação:
Comece por cozer o peito de frango em água e sal até ficar macio.
Coe e desfie com a ajuda de 2 garfos. Reserve.
Numa frigideira coloque a cebola e o dente de alho picados, a folha de louro e o tomilho. Refogue com um fio de azeite só até a cebola amolecer. Regue com a cerveja e deixe borbulhar por um minuto. 
Acrescente os tomates esmagando-os com as mãos e deixe cozinhar por cerca de 5 minutos em lume baixo/médio. Se necessário acrescente água. Tempere de sal, retire a folha de louro e misture o frango desfiado (se quiser um molho mais fluído, antes de misturar o frango triture com a varinha mágica).

Prepare o molho béchamel:
Ferva o leite e reserve.
Num tacho deite a manteiga, deixe derreter em lume baixo e envolva a e farinha, mexendo até estar completamente incorporada na manteiga (esta mistura chama-se roux).
Verta o leite, pouco a pouco, mexendo bem entre cada adição até o roux ter absorvido cada porção d leite. Proceda desta forma até ter usado cerca de metade da quantidade de leite.
De seguida verta a restante metade de uma só vez e vá mexendo em lume brando até o molho engrossar. O molho deve agarrar ás costas da colher de pau sem escorrer.
Não deixe ferver, para não encaroçar, mas se isso acontecer, não entre em pânico: passe a varinha mágica pelo creme.
Versão Bimby: Coloque todos os ingredientes no copo e programe 90º/6 minutos/vel. 4.

Corte a curgete no sentido do cumprimento, em fatias finíssimas, com a ajuda de uma mandolina ou de um descascador de legumes.
Unte uma pequena assadeira ou pirex com azeite.
Enrole as tiras da curgete***, mas deixando uma abertura no meio, como se fossem canelonis e coloque-as, ao alto, na assadeira.
Recheie cada rolinho, generosamente, com a mistura de frango.
Verta o molho bechamel por cima dos rolinhos e polvilhe com queijo ralado.
Leve ao forno, pré-aquecido a 200º, por cerca de 15 a 20 minutos, até o molho gratinar.

Sirva com uma boa salada.

Dicas:
* Pode usar sobres  de frango assado, nesse caso salte a 1ª parte.
** Costumo ter sempre uma lata de tomate pelado inteiro na despensa. Quando abro uma e não uso o conteúdo todo, congelo os tomates, 2 a 2, com o molho respetivo. Assim tenho sempre tomate maduro para usar.
*** Pode grelhar previamente a curgete, prevenindo que largue água durante o tempo que está no forno, tornando o molho mais liquido.

4 de maio de 2016

Pão de figos, nozes e cevada



Há coincidências felizes. Uma destas semanas que passou, enquanto imaginava o pão que iria fazer para os meus lanches e que obrigatoriamente teria figos e café, a Inês, autora do lindíssimo "Ananás e Hortelã" lembrava na sua página do facebook uma receita mais antiga do seu blogue: precisamente um pão de figo e nozes. Se houvesse alguma réstia de indecisão, ela desapareceu nesse momento. Alterando as farinhas de acordo com o que havia no armário e acrescentando 2 colheres de Pensal. Ficou uma delicia.



Ingredientes:
175 gr. de farinha T65
100 gr. de farinha de centeio
75 gr. de farinha de espelta
2 colheres de sopa de Pensal Aveia e Cevada
1 colher de chá de sal
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
100 ml de mel
375 ml de iogurte natural
100 gr. de nozes
100 gr. de figos secos

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 170º.
Unte uma forma retangular com manteiga e forre com papel vegetal (usei uma forma de silicone)
Numa tigela grande misture as farinhas, o Pensal, o sal, o bicarbonato, os figos cortados em pedaços e as nozes partidas.
Noutra taça misture bem o iogurte e o mel.
Adicione esta misture, aos poucos, à taça das farinhas e envolva, com a ajuda de um garfo até os ingredientes estarem todos ligados. O resultado é uma massa bem espessa.
Transfira a massa para a forma e leve a cozer por 40 a 60 minutos. Faça o teste do palito para ver se está pronto.
Desenforme sobre uma grade e deixe arrefecer antes de cortar.

29 de abril de 2016

Marmitas e mais marmitas

As marmitas não fugiram, não senhor e para o provar aqui estão elas num resumo alargado das que mais me agradaram nestes últimos 3 meses. Agora que a Primavera nos trouxe a alegria do Sol e nos começa a encher o frigorifico de coisas boas, anseio pelos próximos almoços que naturalmente vão passar a ser levezinhos e coloridos, mas antes demais tenho que lhes falar de uma marmita (refeição) que literalmente me bateu à porta e, ainda por cima, num daqueles dias em que não sabia de todo o que preparar para o dia seguinte. Ora, estava quase, quase a sair do trabalho, num daqueles dias de chuva miudinha com que o Abril nos presenteou, quando toca o telemóvel. Número desconhecido. Hummm...não costumo atender, mas atendi e ainda bem: Florette quase à porta com uma embalagem da nova salada completa rúcula e frango: rúcula, frango, tomate, lascas de parmesão, azeitonas e massa (laços), tudo acompanhado por um deliciosos molho de tomate e manjericão. Para completar a prenda uma embalagem de frutos secos para salada, que eu já conhecia e acho absolutamente viciantes. Obrigada Florette, só não ficam umas fotografias bonitas porque o tempo, ai, ai, que não estica ....                               
                                                                                Fevereiro:


A começar pela coluna da esquerda, temos:
- sopa de agrião + 2 empadas de peru com salada (a receita da massa é a mesma desta galette) e
- sopa de couve branca com um + salteado de favas, batata, nabo, cenoura e alho francês com sementes de sésamo e uma + gelatina de ananás para adoçar o final da refeição sem culpas. 
Este salteado resultou de aproveitamentos de alguns legumes cozidos a que juntei mais umas coisinhas, mas também podia ter feito uma tortilha ou um gratinado ou misturar-lhe uma lata de atum ou um ovo cozido...

Na coluna da direita começamos com:
- creme de abóbora + millet com alho francês, couve e atum;  continuamos com
- creme de brócolos e rúcula com ovo escalfado + uma empada de legumes assados com feta e brócolos cozidos; e acabamos com 
-Sopa de agrião + Millet com abóbora, couve brócolo, grão e feta


Março:


Na 1ª fila:
- Sopa de couve branca + Ovo cozido com mistura de couve flor, millet, abóbora e cebolinho
- Sopa de couve branca + Bolinhos de peixe com salada de cenoura, maçã e passas
Na 2ª fila:
- Sopa de feijão verde + Cuscus com espinafre, beterraba e lentilhas e ovo escalfado com cebolinho (à moda do Jamie, mas com a gema bem passada)
- Sopa de couve branca + Lasagna + Salada de cenoura e curgete raladas e passas com vinagrete balsâmico
Na 3ª fila:
- Sopa de couve coração + Salada de frango com lentilhas, tomate, cenoura, alho francês e pistácios + Tortilha integral crocante
- Sopa de couve branca + Brócolos cozidos + Lasagna de abóbora

                                                                             Abril


Na 1ª fila:
- Sopa de couve e feijão + Bacalhau, brócolos, tomate, alho francês, grão e ovo escalfado
- Sopa de couve de feijão + Peru grelhado com millet, abóbora e couve flor assada
Na 2ª fila:
- Sopa de couve coração + Rolinhos de curgete com recheio de frango gratinadas + Salada + Gelatina de frutos vermelhos com iogurte e coulis de amora
- Sopa de couve coração + Estufado de legumes + Queque de mirtilos
Na 3ª fila:
- Sopa de couve e feijão + Massa com molho de brócolos, tomate e frango (1ª foto)
- Sopa de vagem + Salada de quinoa, ervilhas, rabanete, cebola rocha, rúcula, rebentos de beterraba, salsa e ovo escalfado (2ª foto)
- Marmita Florette: Salada de massa e frango com lascas de queijo, rúcula e tomate e um delicioso molho de tomate e manjericão e um punhado de frutos secos para salada

24 de abril de 2016

What a mess!


Tudo começou com a feliz ideia de usar algumas claras congeladas para fazer uma pavlova a servir, para sobremesa de Domingo, com morangos e gelado. Lindo, não? Pois seria, se as claras tivessem ficado em castelo, mas o resultado final foi uma massa lisa, brilhante, doce e pesada. Ok, nada de desesperos, até porque o forno já estava ligado e eu detesto deitar comida fora. Fiz uns discos de merengue, levei ao forno a 150º, por uma hora, sem abrir o forno (quer dizer...houve alguém que foi espreitar, sim que eu ouvi a porta do forno a abrir e fechar, mas vá lá também já nada de mal podia acontecer). No fim entreabri a porta do forno e deixei-os ficar assim até ao dia seguinte, resistindo às tentativas de: "então, já se pode comer?" "mas não posso provar só um, tenho que esperar até amanhã?"... Bom, continuando: com morangos e o nosso mais recente vicio em gelado, só faltava um chantilly para, mesmo assim, apresentar uma sobremesa bonita e deliciosa, um "Eton Mess". Não tinha natas na despensa, por isso comprei um pacotinho no Domingo de manhã e quando cheguei a casa coloquei-o no congelador para ficarem bem frias, enquanto preparava o almoço. Chegada a hora de bater as natas, chamei a Bimby para fazer o serviço: bate, bate, bate e nada. Mudei para a a batedeira tradicional: bate, bate, bate e nada. Ok, não temos chantilly, mas temos natas batidas, morangos, gelado, molho de morango e framboesa e merengue, ou seja, ingredientes perfeitos para uma sobremesa provável e de agrado garantido (e por via das dúvidas, guardei a taça com as natas no frigorífico, não fosse à hora do lanche conseguir um belo de um chantilly, mas a verdade é que nem manteiga consegui fazer...).



Ingredientes:
Suspiros ou uma fornada mal conseguida de pavlova
Morangos q.b. + 4 grandes para o molho
1/2 chávena de framboesas congeladas
5 colheres de sopa de açúcar
Chantilly ou natas ligeiramente batidas
Gelado Carte D`Or "Crema di Mascarprone"

Preparação:
Comece por preparar o molho:
Num tachinho junte as framboesas, os morangos cortados em pedaços e o açúcar.
Leve a lume brando e deixe cozinhar, mexendo  de vez em quando até os morangos amolecerem.
Prove e junte um pouco mais de açúcar se precisar.
Triture com a varinha mágica, peneire para retirar as sementes das framboeses e deixe arrefecer completamente. Fica mais saboroso se estiver no frigorífico durante uma hora antes de servir.
Lave os restantes morangos e corte-os em fatias.
Em taças de vidro vá distribuindo camadas de merenge partido aos bocados e fatias de morango, por cima, coloque, em cada taça, uma bola de gelado e regue com  o molho de frutos vermelhos e embeleze com chantilly ou junte uma colherada de natas batidas.

Mais sobremesas com morangos:

22 de abril de 2016

A cor da Primavera



Como tem sido difícil manter o blogue ativo! Não é por falta de receitas, que as há lá por casa, mas mais pela preguiça e falta de disponibilidade para a fotografia e, por outro lado, pela necessidade de estabelecer outras prioridades. Agora que os dias estão mais luminosos, torna-se mais fácil aproveitar a luz do dia para fotografar no meu modo muito básico, sem muitos adereços para lavar e arrumar (ando assim, meia preguiçosa e a precisar de simplificar ao máximo), por isso pode ser que acabe por aparecer mais por aqui.
Entretanto, aproveitei o desafio da Marta do blogue "Intrusa na Cozinha", que nos vem desafiar, a cada mês, a cozinhar com um ingrediente da época. Para começar vamos celebrar a Primavera com ervilhas. Normalmente uso ervilhas congeladas o ano todo (acho que nunca encontrei á venda ervilha de debulhar, por aqui) e quando é a época nunca resisto a umas ervilhas tortas. Desta vez trago uma salada completa para nos alegrar a mesa. Bem-vinda Primavera!  



Ingredientes (para 1):
1/4 de chávena de quinoa
1/2 chávena de água
1/4 de ervilhas (frescas ou congeladas)
1 mão cheia de rúcula
1 cenoura roxa assada (opcional)
1 ovo escalfado
Rebentos de beterraba, a gosto (opcional)
Cebola roxa, a gosto
1 rabanete
Salsa e hortelã, só as folhas
Vinagrete a gosto para temperar

Preparação:
Comece por lavar a quinoa num passador sob água corrente e abundante.
Escorre bem toda a água e deite a quinoa num tacho juntamente com a àgua.
Deixe levantar fervura em lume médio/forte, mantendo o tacho destapado. Quando começar a ferver, reduza o lume para o mínimo, tape o tacho e deixe cozinhar por cerca de 15 minutos ou até a quinoa ter absorvido toda a água. Deixe descansar mais uns minutos e mexa com um garfo para soltar os grãos. Reserve.
Coza as ervilhas em água e sal, durante 5-6 minutos (usei ervilhas congeladas). Coe e reserve.
Prepare o ovo escalfado (este continua a ser o meu método preferido): parta o ovo para uma taça.
Leve um tachinho com água e uma colher de sopa vinagre a ferver. Quando começar a ferver, mexa no centro com uma vara de arames, até formar um remoinho e deite o ovo para o centro do remoinho. Reduza ligeiramente o lume e, se necessário, com uma colher de pau vá mantendo a clara junto do ovo. Deixe cozinhar 1 minuto, só até a clara ficar opaca, se quiser a gema liquida, senão deixe cozer mais 2 minutos.
Com uma escumadeira retire o ovo e coloque-o sobre papel de cozinha. Reserve.
Prepare a salada: numa taça ou prato fundo coloque a quinoa, a rúcula, a cenoura cortada em cubos, a cebola e o rabanete finamente cortados em rodelas. Envolva.
Acrescente as ervilhas e o ovo.
Tempere a gosto, polvilhe com as folhas de salsa e hortelã picadas e sirva em modo Primavera.  


Esta receita na marmita:


Mais receitas com ervilhas:




18 de abril de 2016

Millet cremoso com legumes assados


O millet transformou-se no meu grão preferido este Inverno. Desde as papas de pequeno almoço, até ao acompanhamento predilecto para os meus almoços. É simples de cozinhar, versátil, sem gluten para quem interessar, é de fácil digestão, por isso excelente para quem tem problemas de estômago, é um cereal alcalino e tem um preço relativamente simpático quando comparado com outros grãos. Mas, afinal o que é o millet? Não é um grão, mas uma semente e é também conhecido por milhete, milho miudo ou milho painço. É rico em magnásio e fósforo. É cozinhado como o arroz, na proporção de 1 de millet para 3 de água, durante 30 minutos, deve ser tostado antes de cozinhar ou demolhado previamente.
Por isso, vos trago mais uma receita de millet, desta vez mais cremoso, quase a lembrar um risotto e acompanhado com os legumes assados de que tanto gosto e que até já serviram de recheio de empada.



Ingredientes:
1/2 chávena de millet
1 e 3/4 chávena de água
1 pitada de sal
Legumes assados a gosto
1 punhado de nozes
1 pedaço de queijo feta

Preparação:
Toste o millet num tacho, sem qualquer gordura.
Quando sentir o aroma do millet tostado acrescente a água e o sal, envolva e deixe cozinhar com o tacho destapado, mexendo, até o millet ter absorvido quase toda a água, de forma a que fique cremoso.
Deixe descansar por 10 minutos e sirva com os legumes assados, as nozes e o feta esfarelado.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...