29 de abril de 2016

Marmitas e mais marmitas

As marmitas não fugiram, não senhor e para o provar aqui estão elas num resumo alargado das que mais me agradaram nestes últimos 3 meses. Agora que a Primavera nos trouxe a alegria do Sol e nos começa a encher o frigorifico de coisas boas, anseio pelos próximos almoços que naturalmente vão passar a ser levezinhos e coloridos, mas antes demais tenho que lhes falar de uma marmita (refeição) que literalmente me bateu à porta e, ainda por cima, num daqueles dias em que não sabia de todo o que preparar para o dia seguinte. Ora, estava quase, quase a sair do trabalho, num daqueles dias de chuva miudinha com que o Abril nos presenteou, quando toca o telemóvel. Número desconhecido. Hummm...não costumo atender, mas atendi e ainda bem: Florette quase à porta com uma embalagem da nova salada completa rúcula e frango: rúcula, frango, tomate, lascas de parmesão, azeitonas e massa (laços), tudo acompanhado por um deliciosos molho de tomate e manjericão. Para completar a prenda uma embalagem de frutos secos para salada, que eu já conhecia e acho absolutamente viciantes. Obrigada Florette, só não ficam umas fotografias bonitas porque o tempo, ai, ai, que não estica ....                               
                                                                                Fevereiro:


A começar pela coluna da esquerda, temos:
- sopa de agrião + 2 empadas de peru com salada (a receita da massa é a mesma desta galette) e
- sopa de couve branca com um + salteado de favas, batata, nabo, cenoura e alho francês com sementes de sésamo e uma + gelatina de ananás para adoçar o final da refeição sem culpas. 
Este salteado resultou de aproveitamentos de alguns legumes cozidos a que juntei mais umas coisinhas, mas também podia ter feito uma tortilha ou um gratinado ou misturar-lhe uma lata de atum ou um ovo cozido...

Na coluna da direita começamos com:
- creme de abóbora + millet com alho francês, couve e atum;  continuamos com
- creme de brócolos e rúcula com ovo escalfado + uma empada de legumes assados com feta e brócolos cozidos; e acabamos com 
-Sopa de agrião + Millet com abóbora, couve brócolo, grão e feta


Março:


Na 1ª fila:
- Sopa de couve branca + Ovo cozido com mistura de couve flor, millet, abóbora e cebolinho
- Sopa de couve branca + Bolinhos de peixe com salada de cenoura, maçã e passas
Na 2ª fila:
- Sopa de feijão verde + Cuscus com espinafre, beterraba e lentilhas e ovo escalfado com cebolinho (à moda do Jamie, mas com a gema bem passada)
- Sopa de couve branca + Lasagna + Salada de cenoura e curgete raladas e passas com vinagrete balsâmico
Na 3ª fila:
- Sopa de couve coração + Salada de frango com lentilhas, tomate, cenoura, alho francês e pistácios + Tortilha integral crocante
- Sopa de couve branca + Brócolos cozidos + Lasagna de abóbora

                                                                             Abril


Na 1ª fila:
- Sopa de couve e feijão + Bacalhau, brócolos, tomate, alho francês, grão e ovo escalfado
- Sopa de couve de feijão + Peru grelhado com millet, abóbora e couve flor assada
Na 2ª fila:
- Sopa de couve coração + Rolinhos de curgete com recheio de frango gratinadas + Salada + Gelatina de frutos vermelhos com iogurte e coulis de amora
- Sopa de couve coração + Estufado de legumes + Queque de mirtilos
Na 3ª fila:
- Sopa de couve e feijão + Massa com molho de brócolos, tomate e frango (1ª foto)
- Sopa de vagem + Salada de quinoa, ervilhas, rabanete, cebola rocha, rúcula, rebentos de beterraba, salsa e ovo escalfado (2ª foto)
- Marmita Florette: Salada de massa e frango com lascas de queijo, rúcula e tomate e um delicioso molho de tomate e manjericão e um punhado de frutos secos para salada

24 de abril de 2016

What a mess!


Tudo começou com a feliz ideia de usar algumas claras congeladas para fazer uma pavlova a servir, para sobremesa de Domingo, com morangos e gelado. Lindo, não? Pois seria, se as claras tivessem ficado em castelo, mas o resultado final foi uma massa lisa, brilhante, doce e pesada. Ok, nada de desesperos, até porque o forno já estava ligado e eu detesto deitar comida fora. Fiz uns discos de merengue, levei ao forno a 150º, por uma hora, sem abrir o forno (quer dizer...houve alguém que foi espreitar, sim que eu ouvi a porta do forno a abrir e fechar, mas vá lá também já nada de mal podia acontecer). No fim entreabri a porta do forno e deixei-os ficar assim até ao dia seguinte, resistindo às tentativas de: "então, já se pode comer?" "mas não posso provar só um, tenho que esperar até amanhã?"... Bom, continuando: com morangos e o nosso mais recente vicio em gelado, só faltava um chantilly para, mesmo assim, apresentar uma sobremesa bonita e deliciosa, um "Eton Mess". Não tinha natas na despensa, por isso comprei um pacotinho no Domingo de manhã e quando cheguei a casa coloquei-o no congelador para ficarem bem frias, enquanto preparava o almoço. Chegada a hora de bater as natas, chamei a Bimby para fazer o serviço: bate, bate, bate e nada. Mudei para a a batedeira tradicional: bate, bate, bate e nada. Ok, não temos chantilly, mas temos natas batidas, morangos, gelado, molho de morango e framboesa e merengue, ou seja, ingredientes perfeitos para uma sobremesa provável e de agrado garantido (e por via das dúvidas, guardei a taça com as natas no frigorífico, não fosse à hora do lanche conseguir um belo de um chantilly, mas a verdade é que nem manteiga consegui fazer...).



Ingredientes:
Suspiros ou uma fornada mal conseguida de pavlova
Morangos q.b. + 4 grandes para o molho
1/2 chávena de framboesas congeladas
5 colheres de sopa de açúcar
Chantilly ou natas ligeiramente batidas
Gelado Carte D`Or "Crema di Mascarprone"

Preparação:
Comece por preparar o molho:
Num tachinho junte as framboesas, os morangos cortados em pedaços e o açúcar.
Leve a lume brando e deixe cozinhar, mexendo  de vez em quando até os morangos amolecerem.
Prove e junte um pouco mais de açúcar se precisar.
Triture com a varinha mágica, peneire para retirar as sementes das framboeses e deixe arrefecer completamente. Fica mais saboroso se estiver no frigorífico durante uma hora antes de servir.
Lave os restantes morangos e corte-os em fatias.
Em taças de vidro vá distribuindo camadas de merenge partido aos bocados e fatias de morango, por cima, coloque, em cada taça, uma bola de gelado e regue com  o molho de frutos vermelhos e embeleze com chantilly ou junte uma colherada de natas batidas.

Mais sobremesas com morangos:

22 de abril de 2016

A cor da Primavera



Como tem sido difícil manter o blogue ativo! Não é por falta de receitas, que as há lá por casa, mas mais pela preguiça e falta de disponibilidade para a fotografia e, por outro lado, pela necessidade de estabelecer outras prioridades. Agora que os dias estão mais luminosos, torna-se mais fácil aproveitar a luz do dia para fotografar no meu modo muito básico, sem muitos adereços para lavar e arrumar (ando assim, meia preguiçosa e a precisar de simplificar ao máximo), por isso pode ser que acabe por aparecer mais por aqui.
Entretanto, aproveitei o desafio da Marta do blogue "Intrusa na Cozinha", que nos vem desafiar, a cada mês, a cozinhar com um ingrediente da época. Para começar vamos celebrar a Primavera com ervilhas. Normalmente uso ervilhas congeladas o ano todo (acho que nunca encontrei á venda ervilha de debulhar, por aqui) e quando é a época nunca resisto a umas ervilhas tortas. Desta vez trago uma salada completa para nos alegrar a mesa. Bem-vinda Primavera!  



Ingredientes (para 1):
1/4 de chávena de quinoa
1/2 chávena de água
1/4 de ervilhas (frescas ou congeladas)
1 mão cheia de rúcula
1 cenoura roxa assada (opcional)
1 ovo escalfado
Rebentos de beterraba, a gosto (opcional)
Cebola roxa, a gosto
1 rabanete
Salsa e hortelã, só as folhas
Vinagrete a gosto para temperar

Preparação:
Comece por lavar a quinoa num passador sob água corrente e abundante.
Escorre bem toda a água e deite a quinoa num tacho juntamente com a àgua.
Deixe levantar fervura em lume médio/forte, mantendo o tacho destapado. Quando começar a ferver, reduza o lume para o mínimo, tape o tacho e deixe cozinhar por cerca de 15 minutos ou até a quinoa ter absorvido toda a água. Deixe descansar mais uns minutos e mexa com um garfo para soltar os grãos. Reserve.
Coza as ervilhas em água e sal, durante 5-6 minutos (usei ervilhas congeladas). Coe e reserve.
Prepare o ovo escalfado (este continua a ser o meu método preferido): parta o ovo para uma taça.
Leve um tachinho com água e uma colher de sopa vinagre a ferver. Quando começar a ferver, mexa no centro com uma vara de arames, até formar um remoinho e deite o ovo para o centro do remoinho. Reduza ligeiramente o lume e, se necessário, com uma colher de pau vá mantendo a clara junto do ovo. Deixe cozinhar 1 minuto, só até a clara ficar opaca, se quiser a gema liquida, senão deixe cozer mais 2 minutos.
Com uma escumadeira retire o ovo e coloque-o sobre papel de cozinha. Reserve.
Prepare a salada: numa taça ou prato fundo coloque a quinoa, a rúcula, a cenoura cortada em cubos, a cebola e o rabanete finamente cortados em rodelas. Envolva.
Acrescente as ervilhas e o ovo.
Tempere a gosto, polvilhe com as folhas de salsa e hortelã picadas e sirva em modo Primavera.  


Esta receita na marmita:


Mais receitas com ervilhas:




18 de abril de 2016

Millet cremoso com legumes assados


O millet transformou-se no meu grão preferido este Inverno. Desde as papas de pequeno almoço, até ao acompanhamento predilecto para os meus almoços. É simples de cozinhar, versátil, sem gluten para quem interessar, é de fácil digestão, por isso excelente para quem tem problemas de estômago, é um cereal alcalino e tem um preço relativamente simpático quando comparado com outros grãos. Mas, afinal o que é o millet? Não é um grão, mas uma semente e é também conhecido por milhete, milho miudo ou milho painço. É rico em magnásio e fósforo. É cozinhado como o arroz, na proporção de 1 de millet para 3 de água, durante 30 minutos, deve ser tostado antes de cozinhar ou demolhado previamente.
Por isso, vos trago mais uma receita de millet, desta vez mais cremoso, quase a lembrar um risotto e acompanhado com os legumes assados de que tanto gosto e que até já serviram de recheio de empada.



Ingredientes:
1/2 chávena de millet
1 e 3/4 chávena de água
1 pitada de sal
Legumes assados a gosto
1 punhado de nozes
1 pedaço de queijo feta

Preparação:
Toste o millet num tacho, sem qualquer gordura.
Quando sentir o aroma do millet tostado acrescente a água e o sal, envolva e deixe cozinhar com o tacho destapado, mexendo, até o millet ter absorvido quase toda a água, de forma a que fique cremoso.
Deixe descansar por 10 minutos e sirva com os legumes assados, as nozes e o feta esfarelado.

15 de abril de 2016

Mais uma fornada de papas de aveia



Desde que a aveia se tornou quase imprescindivel no meu começar de dia, que tenho multiplicado as formas como a sirvo: desde a granola mais simples, às overnight oats, passando pelas maravilhosas papas e agora num sem acabar de versões de papas de aveia no forno.Tal como aconteceu com a  granola, que faço amiúde, sempre em versões diferentes e cada vez mais saudáveis, estas papas que não são papas, porque ficam sólidas e crocantes revelaram-se um dos meus pequenos-almoços preferidos e como posso preparar uma quantidade maior, facilitam-me a vida durante 3 ou 4 dias ou até mais se as cortar em doses individuais e congelar. Um verdadeiro salva-vidas, portanto!

Ingredientes:
2 chávenas de flocos de aveia e cevada
1 punhado de nozes partidas
2 colheres de sopa de sementes (opcional)
1 punhado de passas
1 colher de chá, mal cheia, de gengibre em pó
1 colher de chá de canela em pó
2 peras cozidas e reduzidas a puré
2 chávenas de bebida preparada de Pensal Aveia e Cevada
1 colher de sopa bem cheia de mel
Para servir:
Pera assada (ou cozida)
Iogurte natural
Canela em pó a gosto
Mel a gosto

Preparação:
Numa taça coloque os flocos, as especiarias, as passas e as nozes e misture.
Numa taça mais pequena misture o puré de pera, o mel e a bebida.
Verta os ingredientes liquidos sobre os secos e envolva com uma colher de pau.
Transfira o preparado para um recipiente de forno, alise o topo e asse, em forno pré-aquecido a 170º, durante 25 a 30 minutos.
Aproveite este tempo de forno para assar pêras para servir com a aveia ou ,então, no momento de servir, leve a pera ao microondas por 2 minutos na potência máxima.
Sirva a aveia com iogurte e com a pera assada, mel, nozes e canela a gosto.

12 de abril de 2016

O conforto de um creme de bróculos e rúcula



Já não basta querer açambarcar todos os legumes do mercado e ainda por cima, como qualquer consumidor, por vezes deixo-me cair na tentação das promoções. Foi assim que ao meu frigorífico foram parar dois pacotes de rúcula, que, por muita boa vontade tivesse, nunca iria consumir como salada em tempo útil. Lembrei-me desta sopa que tanto me agradou, mas queria mais. uma sopa mais forte, que os dias eram de chuva e frio, mais conforto e pensei em juntar-lhe brócolos para uma tigela bem verde. Se bem pensei, melhor o fiz. O resultado é uma sopa cremosa e forte de sabor, boa para os dias como os de hoje, cinzentos e chuvosos.

(Inspirado daqui)
Ingredientes:
2 chávenas de rúcula
1 cabeça de brócolos pequena (em floretes e os caules raspados e coirtados em pedaços pequenos)
1 cebola aos gomos
1 dente de alho esmagado
Água q.b.
Azeite q.b.
Sal q.b.



Preparação:
Deite água numa panela e deixe levantar fervura.
Junte a rúcula (mantenha a panela destapada) e quando a água voltar a ferver conte 1 minuto.
Com um coador retire a rúcula, mergulhe-a em água fria para parar a cozedura e reserve.
Na mesma água em que branqueou a rúcula e sempre com a panela destapada, coza os brócolos até ficarem tenros. Verifique espetando a ponta de uma faca num caule: se espetar sem resistência estão cozidos.
Retire os brócolos, mergulhe-os em água fria para parar a cozedura, mas reserve a água em que cozeram.
Entretanto num tacho deite um fundo de azeite e aqueça, junte a cebola e o alho e deixe refogar em lume brando/médio, até a cebola amolecer, mas sem deixar queimar.
Transfira o refogado para uma misturadora potente ou robot de cozinha, junte a rúcula e os brócolos e cerca de 1 chávena da água de cozer os brócolos e triture, acrescentando mias água se necessário, até obter uma sopa cremosa. 
Tempere de sal a gosto e sirva com ovo cozido (aproveitei uma gema de ovo que sobrou de alguma preparação, bati e cozi em água e sal, como se fosse um ovo escalfado).

23 de março de 2016

Um quickbread do Jamie


Ao passear pelo blog "As Receitas lá de Casa", da Maria João, dei com uma receita de um pão rápido, um quickbread, portanto, que me deixou de imediato em transe. Adoro receitas destes pães rápidos, que se fazem com iogurte e bicarbonato de sódio e, por isso, não necessitam de fermentação (encontram algumas deliciosas no "Anasbageri"). Adoro pães de centeio e adorei o facto de a Maria João ter adaptado a receita ao robot de cozinha. Não que não seja necessário o robot de cozinha para estas massas tão práticas, mas às vezes sabe bem simplesmente deitar todos os ingredientes no copo da Bimby e deixá-la trabalhar. 
A receita vem do livro "Receitas Saudáveis" do Jamie Oliver, que mal sabia eu que havia de acabar na minha estante (por enquanto ainda paira entre a mesinha de cabeceira e o sofá) por via de uma prenda de Natal atrasada, mas repito-a aqui, por mão da Maria João a quem segui o exemplo juntando as sementes e acrescentei as passas que, naturalmente, acabaram meio moídas pela Bimby no meio da massa com um resultado maravilhoso. 

Ingredientes:
250 gr. de farinho de trigo integral
100 gr. de farinha de centeio
50 gr. de floco de aveia
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de chá de sal grosso
1 colher de sementes de girassol (acrescento da Maria João)
1 colher de sementes de linhaça (acrescento da Maria João)
1 mão cheia de passas de uva (acrescento meu)
1 ovo grande
2 iogurtes naturais



Preparação:
Pré-aqueça o forno a 180º e prepare um tabuleiro polvilhando-o com farinha (usei uma forma retangular).
Numa taça bata o ovo com os iogurtes e reserve.
Coloque os ingredientes secos numa taça grande e envolva bem.
Junte a mistura de ovo e iogurte e misture com a ajuda de um garfo. Quando a massa começar a ficar mais coesa, cabe de amassar com as mãos ligeiramente enfarinhadas. Em alternativa use a bimby: 10 segundos/vel. 5/1 minuto/Espiga.
Transfira a massa para uma forma retangular (ou faça como o Jamie: use um simples tabuleiro, dando-lhe a forma que quiser e achatando-o até ficar com 3 cm de altura), dê uns golpes leves com uma faca e leve a cozer durante 35-40 minutos.
para verificar se o pão está pronto, bata com os nós dos dedos por baixo, se o som for oco está cozido.
Deixe arrefecer sobre uma grelha.

20 de março de 2016

Quando o Domingo é dia de cozido...



O cozido à portuguesa é um prato simples, farto e inteligente. Simples pelo modo de confecção, que o trabalho que dá prende-se com a quantidade de ingredientes a preparar, farto pela quantidade de ingredientes e inteligente porque com o que necessariamente acaba por sobrar podemos fazer mais umas quantas refeições. 

A quantidade de ingredientes e o diferente tempo de cozedura leva à necessidade de gerir os tachos e panelas que vamos utilizar. Como não gosto das orelheiras e afins, que, juntamente com os enchidos, são a grande fonte de problemas deste prato que, no resto, é bem nutritivo, cozo estes elementos à parte (às vezes dou meia cozedura à morcela com a carne de vaca, para dar mais sabor à água que vai sobrar, mas acaba sempre de cozer juntamente com o porco e a farinheira) e descarto a água de cozedura no final. Já quanto à carne de vaca e de frango o caso muda de figura.

A carne de vaca vai à panela de pressão e quando já está quase pronta, abro a panela e retiro  a água necessária para fazer o arroz (2 chávenas de água para 1 de arroz), junto-lhe as batatas, as cenouras, a couve e o nabo. Por esta ordem, de modo que a batata e a cenoura, que demoram mais a cozer, ficam submersas (ou quase) pela água e a couve e o nabo, mais sensíveis, praticamente cozem ao vapor. Ainda assim, convém vigiar para que o nabo não vire puré. Se não couber tudo na panela segue o que exceder para o tacho onde o frango coze. 

Noutro tacho vai a cozer o frango, que por causa da pele vai largar mais gordura. Quanto ao caldo que resta podem juntar uma cebola, uma cenoura, um talo de aipo e umas ervas aromáticas e deixar cozer, coar e guardar num recipiente de vidro no frigorífico até ao dia seguinte, ou simplesmente guardar assim mesmo no tal recipiente de vidro e no frio de um dia para o outro. No dia seguinte vai ter a gordura solidificada à tona da água, retire-a e congele esse caldo, gelificado, mais ou menos simples, mais ou menos aromático, em cuvetes de gelo ou em recipientes maiores, mas não se esqueça de datar e registar a quantidade. Pode usar esse caldo para as sopas e arrozes.

No dia em que faço o cozido, invariavelmente faço uma sopa tendo por base a água de cozer a carne de vaca e as batatas, nabo e cenoura que sobraram. Dependendo das quantidades, acrescento uma cebola e um chuchu. Gosto imenso de juntar um punhado de arroz e carne desfiada à sopa. É o que chamo a minha sopa de cozido, um verdadeiro prato de conforto que me leva de volta à infância e que me cura tantos males.

Das carnes e enchidos que sobram (ideias da minha e de outras cozinhas):
- faz-se pelo menos uma refeição com as carnes de vaca ou de frango (ou porco, para quem gostar) e com as couves que sobraram (sim, aquecidas), juntamente com o arroz, cozendo, eventualmente, mais uns legumes;
- faz-se feijoada, ou
- massa com carne, ou
- pasteis de massa tenra ou empadas com recheio de morcela e outras coisa saborosas ou
- croquetes de carne ou
- arroz de enchidos, e que tal juntar-lhes uns grelos ou espigos?

17 de março de 2016

Papas de Millet e granola rápida



Este ano tem sido um desfile de ingredientes novos para o pequeno-almoço, com as papas à cabeça do desfile: desde as tradicionais de aveia, passando pela mistura de flocos de aveia e de centeio, pelo trigo sarraceno, a quinoa e agora o millet. Se me perguntarem quais as minhas preferidas ... hum ... terei alguma dificuldade em responder, mas se as de aveia, são as de aveia, as de trigo sarracena surpreenderam-me pela textura e a verdade é que as de millet me têm deliciado. Seja qual for o ingrediente escolhido, faço sempre quantidade suficiente para 2 a 3 dias e guardo num recipiente bem fechado no frigorifico, depois é só utilizar a quantidade que preciso, poderei juntar-lhe (ou não) um pouco mais de liquido e aqueço no microondas durante 1 minuto e aqui posso já acrescentar-lhe a fruta que escolhi para a acompanhar: banana fatiada, frutos vermelhos, pera ou maçã (por vezes asso as maçãs também no microondas no dia anterior). A fruta vai cozer ligeiramente e tratando-se de banana ou frutos vermelhos, se estiverem maduros, poderão quase transformar-se num puré deliciosos. Polvilha-se com canela e rega-se com um fiozinho de mel e termina-se com 2 colheres de granola. Querem melhor para começar o dia?  
E além das papas de pequeno-almoço, não pode faltar a granola caseira. Quando não tenho tempo para a fazer do modo tradicional, recorro a esta mais rápida, que já conhecem do "I Love Marmita", e faço a quantidade suficiente para 1 semana 



Ingredientes:
Para o millet:
1 chávena de millet
3 chávenas de água, leite, chá ou a vossa bebida vegetal preferida
1 pau de canela
1 casca limão
Para a granola:
1/2 chávena de flocos de aveia
1 punhado de amêndoas laminadas
1 colher de sopa de sementes de girassol
1 colher de sopa de sementes de linhaça
1 colher de sopa de sementes de abóbora
1 colher de sopa de sementes de sésamo
1 colher de sopa de sementes de chia
Passas a gosto


Preparação:
O millet:
Toste o millet num tacho, sem qualquer gordura. Quando começar a sentir o aroma tostado do millet, acrescente a água, a canela e o limão
Leve a cozinhar, em lume médio, mexendo sempre, tal como se estivesse a preparar papas de aveia, até obter a consistência desejada.
Serva com pêra, canela e sementes de girassol ou o que mais lhe aprouver

A granola:
Aqueça uma frigideira e toste cada um dos ingredientes da granola em separado, com excepção das passas e da chia. À medida que os ingredientes vão tostando, reserve-os numa taça e deixe arrefecer. Misture as passas e a chia e guarde num frasco hermético.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...