26 de maio de 2017

Aveia de forno com cenoura, cacau e nozes



O mote está dado: mais uma receita com a cenoura como ingrediente. Desta feita para o pequeno-almoço (sim, leram bem) trago-vos duas formas de a fazer brilhar juntamente com a aveia: a primeira são estas papas de aveia de forno. Parece estranho, também me pareciam estranhas as receitas que ia encontrando de aveia com cenoura a chamar para a gulodice dos bolos de cenoura, mas como o desafio estava aí, resolvi experimentar e digo-vos que é mesmo bom.



Ingredientes:
1 chávena de flocos de aveia integrais
1/2 chávena de arroz puf
1 chávena de cenoura ralada
1 e 1/2 chávena de bebida de aveia
1 colher de chá de canela em pó
1 punhado de nozes partidas grosseiramente
1 colher de sopa de cacau cru em pó
2 colheres de sopa de sementes de girassol
1 colher de sopa de mel
1 ovo

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 170º.
Numa taça grande misture os ingredientes secos.
Numa taça mais pequena bata o ovo e acrescente o mel e a bebida de aveia, misturando bem.
Verta esta mistura sobre os ingredientes secos e envolva bem.
Transfira para uma forma rectangular e leve ao forno até a aveia estar cozida (faça o teste do palito).
Retire do forno e deixe arrefecer.
Sirva com iogurte e fruta a gosto. Se preferir divida em porções e congele, depois é só aquecer 1 ou 2 minutos no microondas e tem o pequeno-almoço pronto.



23 de maio de 2017

Creme de cenoura e gengibre


Penso que a cenoura deve ser daqueles vegetais que conseguiram resgatar quase todas as crianças ao horror das verduras no prato. Doce e crocante  a prometer olhos bonitos, foi dos poucos vegetais que nunca recusei, tanto que nunca faltava na sopa e na mesa uma travessa de palitos de cenoura a substituir a abominável alface. E, claro, sempre havia o Bugs Bunny a roer a sua cenoura e nós a querer imitá-lo por pura piada. Em adolescente rendi-me aos sumos de cenoura para ficar morena mais depressa, acho que não resultava, mas sabia bem. Bom, e receitas com cenoura como ingrediente foi o que a Marta pediu para este mês de Maio. Parece-me bem. Maio já irradia sol e as cor das cenouras remete para pratos da cor do sol. Este mês trago mais que uma receita, a primeira é esta, a previsível sopa num creme de cenouras assadas aromatizado com gengibre, saborosa mesmo quando bebida a frio.



(Fonte: Food 52)
Ingredientes:
6 a 8 cenouras grandes
1 cebola
2 dentes de alho
6 chávenas de caldo de legumes*
1 pedaço de gengibre descascado, com cerca de 1cm
1 haste de tomilho
Azeite q.b.
Sal q.b.

Preparação:
Ferva o caldo com o gengibre e o tomilho.*
Descasque as cenouras e corte-as em rodelas, espalhe-as sobre um tabuleiro, de forma a que não fiquem sobrepostas, reguem com cerca de 2 colheres de sopa de azeite e levem ao forno com o grelhador ligado.
Deixe cozinhar até começarem a dourar, virando a meio do tempo. Demora cerca de 20 minutos. Retire e reserve.
Entretanto numa panela aloure, em azeite, a cebola cortada em meias luas e os dentes de alho, até a cebola começar a alourar.
Junte as cenouras e misture.
Retire o gengibre e o tomilho do caldo e verta sobre os legumes.
Deixe cozer até as cenouras ficarem suficientemente macias para serem reduzidas a puré.
Triture até obter um creme macio, se necessário acrescente mais caldo ou água quente para obter a consistência desejada. Tempere de salo e sirva salpicado com algumas folhinhas de tomilho fresco.

* se não tiver caldo leve a água a ferver com o gengibre, salsa, tomilho, louro, a parte verde do alho francês, 1 cebola pequena e 1 denete de alho. Deixe ferver e reduza para lume brando, cozinhando até os restantes ingredientes estarem prontos a receber o caldo. Nesse momento coe e rejeite todos os vegetais e o gengibre.


19 de maio de 2017

Bolo espelho


Parece que o fim de semana se avizinha calorento, por isso chegou a hora de publicar esta delicia que esteve a aguardar uns meses até se concretizar e finalmente aparecer por aqui. Então, vou-vos contar a sua história: A Ana do Anasbagheri tem um desafio mensal no blogue intitulado O Nosso Grande Bake Off, no qual participai duas vezes com os Jaffa Cakes e bolachas decoradas. As receitas escolhidas são sempre deliciosas e é por serem tão deliciosas que muitas vezes ficam guardadas: loge da vista, longe a tentação! 
Claro que este "bolo espelho" foi os de que me assustou de imediato, não necessariamente pelas várias camadas, mas pela cobertura. Nem pensar, como é que alguma vez iria conseguir fazer semelhante, mas depois de ver a bomba de cassis e chocolate branco, comecei a deixar-me tentar e acabei por começar a preparar o bolo. Azar dos azares, por esses dias comecei a sentir umas das minha disposições gástricas que se agravou com o cheiro da baunilha (escolhi fazer uma mousse de baunilha e de chocolate branco). Como o bolo tinha mesmo que ir ao congelador, lá preparei as camadas todas e congelei o bolo já prontinho na forma. Não o faria nesse fim-de-semana e acabei mesmo por o concluir muito tempo depois, quando decidi que já estava no congelador há demasiado tempo tudo e decidi terminar a empreitada. Dificil? Não, nem por isso e foi uma diversão e melhor ainda foi a parte de provar. Eu não estava nada convencida, mas o resultado foi ... uau!!!



Ingredientes:
Genoise:
2 ovos
70 gr. de farinha
70 gr. de açúcar
1 colher de sopa de manteiga derretida
raspa de casca de 1/2 limão
Mousse de baunilha da Ana: 
1 folha de gelatina
2 dl de natas com sabor a baunilha
2 dl de natas
150 gr. de chocolate branco picado finamente
Recheio:
100 gr. de doce de framboesa
1 folha de gelatina
Cobertura espelho:
100 g de açúcar
100 g de chocolate branco
100 g de glucose ou  xarope de milho branco claro (podem usar mel mas vai ficar mais escuro.)
50 ml de água
70 g de leite condensado
2 colheres de chá (rasas) de gelatina em pó misturada em 60 ml de água.
Corante alimentar vermelho

Preparação:
Genoise:
Pré-aqueça o forno a 170º. Barre uma forma e forre com papel vegetal.
Bata os ovos inteiros com o açúcar, em banho Maria, até o açúcar derreter e a mistura começar a encorpar.
Tire do lume e bata com a batedeira até a mistura duplicar de volume, obtendo um creme fofo e esbranquiçado.
Envolva a farinha peneirada e a casca de limão, com cuidado para não retirar ar à massa.
Misture um pouco da massa na manteiga derretida e depois verta esta mistura na massa e envolva cuidadosamente.
Transfira a massa para a forma e leve ao forno.
Vigie a cozedura, porque o bolo coze rapidamente. Retire do forno, desenforme e corte o bolo do tamanho da forma que vai usar.
Mousse de baunilha:
Coloque o chocolate numa taça.
Hidrate a folha de gelatina em água fria.
Aqueça as natas de baunilha até levantar fervura. Retire do lume e junte a folha de gelatina, bem espremida, mexendo até dissolver.
Verta as natas quentes sobre o chocolate e misture até o chocolate derreter e leve ao frio até solidificar.
Junte as restantes natas e misture até obter uma mousse leve. Reserve
Recheio:
Hidrate a folha de gelatina em água fria.
Aqueça o doce de framboesa e junte a folha de gelatina, bem espremida. Mesa até dissolver e verta para uma forma ou recipiente menor do que a forma que vai usar e leve ao frio até solidificar.
Cobertura Espelho: 
Leve ao lume o açúcar, o mel e a água e deixe levantar fervura (se tem termómetro até ao 103 graus.)
Num recipiente que suporte calor, coloque a gelatina em pó, o leite condensado e o chocolate branco picadinho.
Por cima deite a mistura de açúcar. Bata com a varinha mágica, misturando bem, mas sem criar bolhas de ar.
Junte umas gotas de corante até obter a cor pretendida.
Tape com película aderente colocada em contacto com o glaze para evitar criar uma película e leve ao frigorífico até solidificar.
Aqueça o glaze no micro ondas, ou em banho maria só até derreter.

Montagem do bolo:
Deite a mousse na forma e no centro coloque, cuidadosamente a gelatina desenformada.
Cubra com a genoise.
Leve ao congelador.
Desenformem com cuidado e retirem o papel vegetal. Eu usei pelicula aderente na forma para ajudar a desenformar melhor, mas que causou engelhas na superficie, por isso, se fizer assim, alise a superficie com uma faca ou espátula aquecida, se necessário, mas sem deixar derreter porque o bolo tem que estar bem frio para o glaze aderir.
Coloquem o bolo sobre um suporte (2 copos, por exemplo, dentro de um tabuleiro) e deitem a cobertura por cima, alisando com uma faca a parte inferior. Se em algumas partes parecer que a cobertura não está a aderir, aproveite o glaze que vai caindo no tabuleiro e com uma colher vá "despejando" o glaze até obter uma superficie uniforme.
Leve ao frio até servir.

10 de maio de 2017

Paris Brest




O gosto pela cozinha já me fez aventurar por novos sabores e ingredientes, alargando o leque de aromas e sabores com que se faz a minha cozinha. O desafio, claro está, acaba por se impor a quem partilha a mesa comigo e com quem partilho estas descobertas. Umas benvindas, outras nem por isso. Umas instalam-se definitivamente nos nossos hábitos alimentares, outras apenas passam por lá. 
A par destas pequenas conquistas, há também a conquista de experimentar e ir além do que me achava capaz e de cada vez que há um experiência com sucesso é o espanto: afinal até era fácil... Foi assim com uma receita que irei publicar em breve e que fez parte de um desafio (ao qual faltei na altura) lançado pela Ana e foi assim com esta receita do desafio do mês do "Sweet World" promovido pela Lia e pela Susana. A verdade é que se não tivesse superado o primeiro desafio dificilmente me teria lançado neste, por isso quando vi esta massa crescer no forno e sair de lá tão bonita só me perguntei porque é que não a havia feito antes e mesmo que lá em casa já me tivessem pedido para não abusar nas experiências de doces, é certo que é uma receita que se há-de-repetir e sem repetir recheios.
Embora quando esteja a testar uma receita pela primeira vez costume seguir a que me é apresentada à risca, desta vez decidi arriscar um bocadinho e adaptei a receita da Lia e a que tinha aprendido na escola "Segredos & Cozinha"e segui esta receita no que toca aos tempos de cozedura. Passem pelo "Lemon and Vanilla", leiam a história do Paris Brest e deixem-se inspirar pela receita original ou dêem asas à vossa criatividade.



Ingredientes:
Massa:
Ingredientes:
175 ml de água
60 gr. de manteiga
1 pitada de sal
100 gr de farinha de trigo
casca de limão
2 ovos
Recheio:
Gelado de baunilha q.b.
Compota de morango ou de frutos vermelhos q.b.
Morangos q.b.
Para finalizar:
Geleia (ou geleia gelatina)
Amêndoa laminada
Açúcar em pó

Preparação:
Leva-se a água ao lume, juntamente com a manteiga, o sal e a casca de limão.
Deixa-se levantar fervura e acrescenta-se a farinha de uma só vez.
Em lume médio mexe-se até a farinha cozer e a massa começar a despegar das laterais do tacho e começar a formar uma bola.
Retira-se para uma taça e deixa-se arrefecer um pouco.
Com uma batedeira com as pás colocadas misturam-se os ovos, um a um, e bate-se até obter uma massa lisa e brilhante e que despegue das mãos (não foi o caso da minha, mas o resultado final foi feliz).
Transfira para um saco de pasteleiro e deixe repousar durante 30 minutos.
Pré-aqueça o forno a 200º e prepare um tabuleiro forrando com papel vegetal.
Faça círculos de massa com cerca de 5 cm de diâmetro e leve ao forno durante 20 minutos (não abra a porta). Reduza a temperatura para 160º e deixe cozer mais 15 minutos. Finalmente reduza para 140º e deixe no forno com a porta entreaberta por mais 10 minutos.
Desligue o forno e deixe descansar uns minutos antes de os retirar e transferir para uma rede.
Deixe arrefecer completamente antes de os finalizar e rechear:
Corte as argolas de massa a meio.
Torre ligeiramente as amêndoas.
Derreta a geleia com um pouco de água e pincele a parte superior dos paris Brest. Polvilhe com a amêndoa e com o açúcar em pó.
Sobre a parte inferior coloque gelado de baunilha a gosto (com uma colher ou com um saco de pasteleiro, conforme a sua habilidade, mas neste caso o gelado tem que estar suficientemente mole, o que pode comprometer o resultado final), cubra com a compota escolhida e guarneça com fatias de morango. Cubra com a metade do topo e sirva de imediato.

3 de maio de 2017

Granola de morango, coco e gengibre



Mais uma granola, desta vez com sabores mais primaveris e sem forno.

Ingredientes:
1/2 chávena de arroz tufado
1 chávena de flocos de aveia integrais
4 colheres de sopa de sementes a gosto
1 punhado de nozes e cajus
1 embalagem de morango desidratado Frubis
1 embalagem pequena de tiras de coco desidratado
1 colher de chá de gengibre em pó
1 colher de sopa de mel
3 colheres de sopa de xarope de arroz

Preparação:
Comece por cortar os morangos em pedaços mais pequenos.
Numa sertã larga e alta toste o arroz tufado, em lume médio/alto, mexendo sempre para não queimar. Reserve.
Repita o processo com a aveia e as sementes e com os frutos secos. Tenha em atenção que cada semente pode tostar de forma diferente, por isso é melhor fazê-lo em separado. Reserve.
Entretanto, na mesma sertã junte o mel e o xarope de arroz e ligue o fogão em lume médio, assim que a mistura começar a borbulhar junte a mistura de secos e envolva, mexendo com uma colher de pau até a mistura ter absorvido o xarope.
Polvilhe com o gengibre ralado e envolva mais uma vez.
Transfira a mistura para um recipiente forrado com papel vegetal e deixe arrefecer completamente.
Se a mistura estiver muito "aglomerada" desfaça-a com as mãos e guarde num frasco de vidro bem vedado.

28 de abril de 2017

Cogumelos salteados com massinhas e ovo

Para quando queremso dar asas á imaginação numa refeição "a solo".


Ingredientes (para 1):
1 mão cheia de cogumelos pleurotus, limpos
1 rabanete, em fatias finas
5-6 tomates cereja, em metadees
1 pedaço pequeno de alho francê fatiado (parte branca)
1 dente de alho pequeno
1/4 de chávena de massa Macarrão Wok da Milaneza
Àgua q.b.
Sal q.b.
Azeite q.b.
Folhas de tomilho q.b.
Uma mão cheia de rucula

Preparação:
Aqueça o azeite com o dente de alho e quando estiver quente junte os cogumelos (corte os maiores em pedaços mais pequenos) e o alho francês.
Deixe saltear em lume forte, mexendo constantemente, até os cogumelos começarem a dourar.
Acrescente os tomates e o rabanete, envolva, tempere de sal e salteie mais um minuto.
Acrescente a massa e salteie.
Junte cerca de 1/8 de chávena de água a ferver e mexa frequentemente, em lume forte, durante cerca de 3 minutos. A massa ainda estará um pouco rija.
Afaste os ingredientes para as bordas da sertã, deixando uma abertura no meio. Acrescente cerca de 2 colheres de sopa de água quente nesse espaço e parta o ovo para  esse centro. Polvilhe a gema com um pouco de sal.
Tape a sertã e deixe cozinhar em lume médio, até a clara de ovo estar cozida. Polvilhe com folhas de tomilho a gosto.
Espalhe a rucula pelo prato, coloque o ovo no centro e distribua a mistura de cogumelos á volta.
Sirva e saboreie.

27 de abril de 2017

Bolinhos de arroz e coco


"Abril arrozes mil". Foi assim que a Marta anunciou o tema para o desafio do mês de Abril. O arroz sendo um companheiro fiel das nossas meses, pode apresentar-se de múltiplas formas, como acompanhamento mais ou menos simples, mais ou menos ornamentado (arroz branco, de forno, de açafrão, de legumes (muitos), á grega...), ou ser a base um rico prato principal (arroz á Valenciana, arroz de marisco, de polvo, de carnes), ou numa sopa tão boa para acalmar o estomago, ou até sob a forma de doce (não o costumo ter na minha mesa de festas, mas muitos são os que não dispensam um arroz doce) e foi nesta forma mais doce que decidi trazê-lo à mesa deste mês: bolinhos, não muito doces, mas muito húmidos, quase a fazer lembrar uma massa de amêndoa.

E como se chama esta flor? Bago de arroz!
 


Ingredientes:
1/2 chávena de arroz carolino Pato Real
250 ml de bebida de coco
100 ml de nata vegetal de coco
1 casca de limão + raspa de 1/2 limão
40 gr. de manteiga
100 gr. de açúcar
2 ovos
2 colheres de sopa de coco ralado
100 gr. de farinha T55 peneirada
1 colher de chá de fermento em pó

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 200º.
Leve a bebida de coco ao lume juntamente com a nata vegetal e a casca de limão e deixe levantar fervura.
Acrescente o arroz e mantenha em lume baixo até o arroz absorver todo o liquido. Retire a casca de limão e deixe arrefecer.
Reduza o arroz a puré e bata juntamente com a manteiga e o açúcar até obter uma massa uniforme.
Acrescente os ovos um a um, batendo sempre em velocidade média/baixa.
Junte a raspa de 1/2 limão e o coco ralado e envolva a farinha e o fermento peneirados.
Distribua a massa por forminhas de queques (pode previamente forrá-las com massa folhada, se quiser) e leve ao forno durante 20 minutos ou até os bolinhos estarem dourados e passarem no teste do palito.

19 de abril de 2017

Bakewell Tart


Acompanho o desafio "Sweet World" desde que nasceu pelas mãos da Lia, do blogue "Lemon and Vanilla" e da Susana, do blogue "Basta Cheio" (e que vos garanto que merecem uma visita), mas esta é a primeira vez que participo. Tenho sempre a desculpa de que preciso cortar nos doces, mas desta vez, com uma tarte tão apropriada à época, deixei-me de queixumes que a mesa de Páscoa quer-se doce e bonita.
Então, a proposta para este desafio era fazer uma "Bakewell Tart", uma tarte com uma camada de doce de framboesa e outra de recheio de amêndoa. A sua história está tão bem contada pela Susana, que me dispenso de a contar aqui e convido-vos a passar pelo "Basta Cheio" para a conhecerem. Também podem ler mais aqui.
Para a minha tarte baseei-me um pouco nas receitas da Susana e da Lia: optei pela massa folhada (a preferida dos meus comensais) tal como a Lia e para o recheio segui de perto a receita da Susana, reduzindo substancialmente a manteiga no recheio. O resultado final? Uma tarte com uma base estaladiça e um recheio húmido, num contraste delicioso entre a amêndoa e o doce de framboesa.   


Ingredientes:
1 embalagem de massa folhada
150 gr. de amêndoa ralada
150 gr. de açúcar amarelo
50 gr. de manteiga à temperatura ambiente
2 colheres de sopa de farinha peneirada
2 ovos
1 colher de chá de licor de amêndoa
4 colheres de sopa de doce de framboesa
Doce de alperce para a cobertura (ou "geleia gelatina")
Amêndoa laminada para polvilhar

Preparação:
Forre uma forma de tarte de fundo amovível com papel vegetal e de seguida coloque a massa folhada. Pique o fundo da massa com um garfo e refrigere durante cerca de 30 minutos.
Ligue o forno a 190º já com um tabuleiro lá dentro.
Corte o excesso de massa nas bordas da forma e  cubra com papel vegetal e encha com feijões ou qualquer leguminosa ou bolinhas de cerâmica. Leve a forma ao forno e deixe cozer durante 12 a 15 minutos. Findo este tempo, retire a forma do forno, retire o papel vegetal e o enchimento e volte a levar a forma ao forno, baixando a temperatura para 180º, por mais 12 a 15 minutos, até a massa estar dourada e estaladiça.
Retire a forma do forno e deixe arrefecer sobre uma grade e prepare o recheio:
Coloque o açúcar e a manteiga numa taça e bata durante cerca de 5 minutos até obter um creme aveludado.
Junte os ovos 1 a 1, deixando incorporar bem entre cada adição, e o licor de amêndoa.
Finalmente, envolva a amêndoa e a farinha.
Espalhe o doce de framboesa na base da tarte e com cuidado verta a massa sobre o doce e alise bem.
Espalhe as amêndoas laminadas por cima do recheio e leve a cozer durante 35 a 40 minutos, até estar firme e dourada.
Retire do forno e pincele a superfície com o doce de alperce derretido com uma colher de sopa de água ou com a "geleia gelatina".
Deixe arrefecer sobre uma grelha, desenforme e sirva fria.

4 de abril de 2017

Lombinhos de pescada com bacon e espinafres



Gosto de ter sempre uns lombinhos ou medalhões de pescada no congelador para uma refeição simples e rápida. Como normalmente não são muito apreciados se forem só cozidos, levo-os ao forno sempre bem acompanhados: ou com migas ou crumble de broa ou assim, embrulhadinhos. Não há quem reclame.


Ingredientes:
Lombinhos de pescada (frescos ou já descongelados*)
Tiras de bacon
Espinafres (só as folhas**)
1 cebola
2 dentes de alho Sal q.b.
Pimenta q.b. (não costumo usar pimenta)
Sumo de limão q.b.
Azeite q.b.


Preparação:
Tempere os lombinhos de pescada com bastante sumo de limão, sal e pimenta a gosto.
Descasque e pique finamente 1 dente de alho e leve a frigir com azeite numa sertã, em lume brando.
Quando o alho começar a libertar o seu aroma, acrescente as folhas de espinafre e envolva. Deixe cozinhar até as folhas murcharem.
Remova a gordura exterior do bacon e estenda 3 a 4 tiras, dependendo do seu tamanho, lado a lado, ligeiramente sobrepostas.
Espalhe algumas folhas de espinafres salteadas sobre o bacon, ao longo do seu cumprimento, mas deixando uma borda de cerca de 1 cm na ponta que está virada para si.
Descasque e corte a cebola em rodelas finas e espalhe-as num tabuleiro de ir ao forno, juntamente com um dente de alho esmagado e um fiozinho de azeite.
Coloque um lobinho sobre os espinafres, no topo das tiras de bacon, e comece a enrolar, aconchegando os espinafres de forma a que não saiam pelas extremidades.
Coloque este rolinho sobre a cebola, no tabuleiro já preparado.
Repita o processo com os restantes lombinhos.
Leve a assar, em forno pré-aquecido a 200º, até o peixe estar cozido e o bacon dourado.
Sirva com arroz integral e os espinafres salteados que tenham sobrado e acompanhe com uma  "Bohémia" Trigo.

*gosto de descongelar o peixe em leite, assim desaparece o sabor a "congelado e depois temperá-lo com bastante sumo de limão.

** para 3 lombinhos usei cerca de 150 gr. de folhas de espinafres e ao que sobrou na sertã misturei o arroz integral já cozinhado, que servi juntamente com o peixe.

1 de abril de 2017

Ovo escalfado mágico e ovo escalfado colorido - 2 desafios, 2 receitas

Abre-se o mês de Abril com uma participação no desafio lançado pelo "Dia 1 na Cozinha". Este mês as receitas a apresentar deviam dar o estrelato aos ovos, ingrediente que eu adoro e quem segue as minhas marmitas sabe como os ovos aparecem com frequência da forma como eu mais gosto de os cozinhar: escalfados!
O ovo é uma fonte riquíssima de nutrientes: contém todas as vitaminas com excepção da vitamina C e é extremamente rico em proteínas e ... sim, também é rico em gordura. Durante anos o ovo foi "diabolizado" como contendo elevados níveis de colesterol, no entanto foi-se chegando à conclusão de que o colesterol do ovo não é absorvido pelo nosso organismo (isto numa explicação simplista de uma leiga como eu, mas podem ver informação esclarecedora e sucinta aqui), pelo que caiu por terra o mito e eu saltei de alegria porque adoro ovos.
Então, sejam os ovos e, claro, escalfados e em duo. Uma das receitas que vos trago é do famoso Jamie Oliver, que é o chefe convidado para a última edição do grupo "Um mês com...", por isso este post cumpre dois desafios. Nesta receita usa-se uma das técnicas possiveis para escalfar ovos, que é mais simples no que toca manter a forma do ovo, mas com que ainda não me sinto muito confortável quanto ao ponto de cozedura, mas experimentem, afinal é disso que a cozinha se faz: tentar, errar, tentar, conseguir!
Ovo escalfado mágico do Jamie Oliver 
(Fonte: "Receitas Saudáveis", de Jamie Oliver)
Ingredientes (por pessoa):
1 ovo
1/2 malagueta vermelha
1 fatia de pão de centeio
1/2 abacate
Cebola vermelha
Tomate maduro (ou tomates cherry)
Sumo de lima (usei limão)
Coentros, folhas (não usei)
Azeite q.b.
Sal e pimenta preta q.b.
Ovo colorido
Ingredientes (por pessoa):
1 ovo
1/2 beterraba ralada
2 gotinhas de corante alimentar vermelho (opcional)
Vinagre q.b.
Preparação:
Ovo escalfado mágico
Estenda um quadrado de 30cm de lado de pelicula aderente e unte com azeite.
Corte a malagueta em rodelas finas (com ou sem sementes) e espalhe sobre o centro da pelicula aderente.
Parta um ovo, com cuidado, sobre o centro da pelicula, feche as pontas do quadrado e dê um nó, de forma a que o ovo fique aconchegado e sem ar.
Leve a cozer, coberto de água, em lume médio, durante 6 minutos (verifique se a clara está branca por todo o ovo).
Entretanto torre uma fatia de pão e reserve.
Pele o tomate, retire as sementes e coloque a polpa numa taça (ou corte os tomates cherry em fatias finas e retire as sementes), pique a cebola (cortei em rodelas finas) e junte ao tomate, misture e tempere com sumo de lima, sal e pimenta preta. Reserve.
Quando o ovo estiver cozido, retire do lume, mergulhe em água fria para parar a cozedura e arrefecer a pelicula e desembrulhe com cuidado.
Esmague o abacate e regue com sumo de lima.
Sobre a tosta espalhe a mistura de tomate e cebola e, por cima, a pasta de abacate.
Polvilhe com folhas de coentros e coloque o ovo por cima.
Sirva e delicie-se.
  
Ovo colorido:
Comece por cozer a beterraba ralada em água abundante a ferver até a água ficar vermelha (junte o corante se quiser uma cor mais intensa).
Coe e descarte a beterraba, mas volte a deitar a água no tacho e acrescente um golpe generoso de vinagre.
Leve a água a ferver em lume forte.
Parta o ovo com cuidado para uma taça.
Quando a água estiver em ebulição, baixe um pouco o lume e mexa vigorosamente com uma vara de arames, de forma a criar um remoinho no centro. Com cuidado deite o ovo no centro (mergulhe a borda da taça na água e deixe o ovo escorregar). Deixe cozinhar por 3 minutos, para obter uma gema liquida.
Prepare uma tosta como a que se indica acima e sirva.
Sugestão: acompanhe com uma "Bohemia" puro malte.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...