1 de agosto de 2015

Vamos desintoxicar?



O dia 1 na Cozinha propõe que comecemos o mês com um deliciosos e saudável sumo detox. É um tema bem apropriado. No Verão descansamos o corpo e a mente: Mesmo que estejamos a trabalhar conseguimos sempre dar uma saltada à praia durante o fim-de-semana ou aproveitar o fim de tarde numa esplanada solarenga.  As roupas tornam-se mais leves e os dias longos dão-nos mais energia e agora que o que aparentemente era uma moda, parece que chegou para ficar, vamos aproveitar todos esses legumes e fruta da época para uma desintoxicação interna do nosso organismo com um delicioso sumo detox: uma mistura de frutas e vegetais crus, ervas aromáticas, raizes e até sementes, não para comer, mas para ... beber. 

Entrei no mundo dos sumos detox com o livro "Sumos e Águas Detox", da Lillian Barros e embora não me sentisse muito cativada pelas receitas mais complexas, o mesmo já não se passou com os sumos mais simples, com menos ingredientes e com as águas, uma verdadeira delicia que preparo frequentemente, até para trazer comigo para o trabalho, por ser uma forma segura de garantir que bebo mais água. Mas voltando aos sumos, depois de experimentar algumas receitas, comecei a sentir-me mais à vontade para os preparar com os ingredientes que tenho em casa no momento: 1 peça de fruta (macãs e pêras com a casca, por exemplo) e 2 a 3 legumes, incluindo folhosos, cruciferos e/ou tubérculos. Gosto de juntar um pedaço de gengibre ou um punhado de folhas de hortelã e algumas sementes, sendo a minha preferida a linhaça, que me mantém o intestino regular. O sumo fica assim entre o comer e o beber, depois é só adicionar água lisa ou chá frio, como o de cavalinha ou dente-de-leão ou até à gua de côco (fica uma delicia) e depois é só desintoxicar.

Para saber um pouco mais acerca destes sumos vejam também no Le Passe Vitte, um blogue fantástico, com um post dedicado a este tema.

Mas atenção: detox não é sinónimo de milagre. Como tudo na vida os sumos detox devem ser consumidos com moderação, porque se por um lado lhes faltam nutrientes  que vamos buscar essencialmente a outros alimentos, como as proteínas, por outro lado pode levar a um consumo excessivo de açúcar, sim, dos açúcares naturalmente presentes na fruta e nos vegetais, que apesar de serem açúcares naturais, não deixam de ser isso mesmo: açúcar. O ideal é que a fruta, que terá mais concentração de açúcar = frutose, seja sempre o ingrediente menos dominante. Consuma estes sumos sempre como complemento de uma alimentação saudável, tendo em conta a porção diária recomendada de ingestão de frutos e vegetais, sob pena de criar desequilíbrio no organismo em vez de o proteger.





Ingredientes:
1 maçã ("uma maçã por dia, não sabe o bem que lhe fazia" -vitaminas e fibras)
1 beterraba pequena (anti-envelhecimento e anti-inflamatório e purificador do sangue)
1 cenoura pequena (anti-envelhecimento, anti-septica, beneficios para a visão e pele)
1 mão cheia de rúcula (harmoniza o figado)
1 haste de hortelã, só as folhas (propriedades digestivas)
1 colher de chá de sementes de linhaça (propriedades digestivas entre muitas outras)
Água q.b. (ou chá frio ou água de coco)



Preparação:
Descasque a cenoura e a beterraba e corte em pedaços pequenos.
Lave a maçã e descaroce. Corte em pedaços, mantendo a casca.
Lave a rúcula e as folhas de hortelã.
Coloque todos os ingredientes no liquidificador ou robot de cozinha juntamente com 100 ml de água fria. (Bimby: 30 segundos/vel.9 e mais um bocadinho se for preciso).
Verifique a consistência e adicione mais água a gosto.



31 de julho de 2015

Projeto Marmita - Menus de 27 a 31 de Julho

Esta foi a semana mais monótona de sempre no que toca a marmitas. Continuo a dieta por mais uns dias. Só tem faltado a sopinha branca. Se é fácil marmitar e precisar de fazer uma dieta assim, destas quase médicas? Pois, na verdade até pode ser bem mais fácil do que preparar uma salada, a questão é que a disposição para o fazer é bem diferente. Ora, então não me digam que não é mais fácil resumir o almoço a carnes brancas grelhadas ou cozidas (frango, peru e coelho) acompanhadas de arroz ou uma massa cozida sem adição de qualquer gordura (batata cozida aquecida...não me parece) e juntar uma cenoura ou uma couve branca que não pode ser salteada, nem estufada, nem nada que se pareça, apenas cozida e reduzir a fruta a pêras e maçãs, cruas ou, de preferência....cozidas. É facílimo e aborrecido, mas seja por bem da saúde que não tarda nada estou de volta aos meus menus.
O que mais me tem estado a fazer falta são os pequenos-almoços ricos com iogurte, fruta e granola, mas tenho alternado entre o chá e torrada seca e a papa de aveia com maçã de cozida, aproveitando a água da fruta (a que junto apenas uma colher de chá de açúcar mascavado) para cozinhar a aveia.
A marmita que falta foi em dia de ida à médica e a alternativa possível (uma das possíveis) num centro comercial passou por um hamburguer grelhado bem passado com arroz (nada de saladas, nem de roubar batatas fritas do prato do D., nem limonadas).


1 - Sopa "branca" + Bife de frango grelhado com arroz e feijão verde cozido
2 - Sopa branca + Frango grelhado com esparguete
3 - Sopa com cenoura e feijão verde + frango grelhado + legume cozidos e arroz
4 - Sopa de cenoura e feijão verde + Tentáculo de pota cozido com esmagada de couve-flor e cenoura

E se eu não estivesse de dieta? havia de trazer uma salada assim, ou compor com ela uma salada nova e vibrante:

24 de julho de 2015

Projeto Marmita - os menus de 20/07 a 24/07

Comecei a semana cheia de planos para marmitas bem saborosas, mas na quarta-feira uma indisposição súbita do aparelho digestivo deixou-me completamente de rastos. Acho que das maleitas mais comuns que nos podem assolar, as do aparelho digestivo são as que mais mossa me fazem. Até posso vir trabalhar com uma constipação fortíssima ou com uma enxaqueca, mas crises de estômago ou vesícula ou figado, não. Agora vão ser alguns dias de cozidos e grelhados bem simples para ver se me recomponho depressa.


1 - Sopa de couve lombarda + Pataniscas de grão + Salada de alface, rúcula e tomate cereja com vinagrete de cebola roxa
2 - Sopa de lombada + Lombinho de porco estufado com puré e legumes cozidos
3 - Sopa (deveria ter sido uma sopa branca, mas não havia disposição para a fazer) + maçã cozida + pão e no termos um caldo de vegetais doces para ir bebendo durante o dia.
4 - Sopa de couve branca + Carne cozida com arroz, cenoura e couve + pêra

Caldo de vegetais:
Corte, em iguais quantidades, cebola, couve, abóbora e cenoura.
Coloque num tacho cobertos com água.
Leve a cozer em lume forte por 3 minutos e, de seguida, deixe ferver em lume brando por mais 20 minutos.
Coe (reserve os vegetais para uma base de sopa, mas acompanhados de outros, já que estes já perderam pelo menos parte das suas vitaminas) e beba 1 a 2 chávenas por dia. 
Pode guardar no frigorífico durante 2 dias.

23 de julho de 2015

Pataniscas de grão da Sarah Carey


E de quinzena em quinzena lá vou descobrindo novos sabores. Desta vez Sarah Carey é a convidada. Mais uma desconhecida para mim, que me apresentou inúmeras receitas práticas para o dia-a-dia. Desta vez escolhi uma sugestão com grão que andava para experimentar há imenso tempo e de que tenho encontrado algumas receitas em livros e blogues mais vocacionados para refeições vegetarianas. Estes fritos, a que chamei pataniscas, precisaram de muito pouco gordura para cozinhar, até porque ao reduzir a quantidade de ingredientes o ovo, ainda que pequeno, tornou a massa mais liquida. Os originais ficam mais altos e até mais apelativos, mas ainda assim gostei imenso destas pataniscas.

E aqui fica mais um pouco acerca de Sarah: "Editora da revista Martha Stewart Living, é também co-apresentadora do programa Everyday Food, onde prepara refeições simples e deliciosas e dá dicas para facilitar o dia-a-dia na cozinha. Tendo estudado fotografia, foi na culinária que encontrou a sua verdadeira paixão", - Quinze dias com...


Ingredientes:
1 lata de grão (cerca de 440 gr.)
1/2 chávena de cebolinha verde, fatiada (usei cebola nova ou a chamada "onion spring")
1/3 de chávena de coentros picados
1/2 chávena de farinha
1 ovo grande
1 colehr de chá de sal
Azeite
Salada verde e quartos de limão para acompanhar

Preparação:
No robot de cozinha triture o grão, as cebolinhas e os coentros até obter uma pasta grosseira.
Junte o ovo, a farinha e o sal e misture.
Aqueça cerca de 1/4 de chávena de azeite numa sertã em lume médio-alto.
Acrescente a mistura de grão, cerca de 1/4 de chávena de cada vez e pressione gentilmente para formar bolinhos.
Cozinhe até dourar de ambos os lados, por 4 a 5 minutos, virando uma vez a meio do tempo.
Sirva com salada e gomos de limão.

18 de julho de 2015

Projeto Marmita - Menus de 13 a 17 de Julho

Comecei a semana por aproveitar um peito de frango assado, a que juntei a companhia de couves (branca e roxa) em juliana, tomate e pimento cortados às tiras, cebola nova em rodelas bem finas e um punhado de passas, envolta num molho feito com uma colher bem cheia de iogurte natural e 1 colher de sobremesa de molho Cesar da Florette. Esta é só uma variante mais rica daquela salada que vemos habitualmente nos bufets de frios feita com couve, cenoura, maçã e passas e envolta em maionese. Fica mais leve com o molho de iogurte e como não tem folhas verdes pode ser preparada de véspera e refrigerada, o que permite que os seus sabores se intensifiquem e permite escolher uma quase infinidade de ingredientes para saladas diferentes. Sirva com croutons. 

E continuando com os aproveitamentos, não podia deixar passar meio robalo assado que sobrou da refeição da noite com a respetiva batatinha e legumes salteados. Se não gostarem ou não quiserem comer o peixe aquecido, podem transformar num salteado na frigideira ou fazer uns bolinhos. E já agora, que tal ter no congelador alguns ingredientes prontos a usar (além de refeições, claro)? Neste momento tenho arroz integral e lentilhas verdes já cozidas. Ambos serviram para compor saladas que ficaram, assim, enriquecidas com uma boa fonte de hidratos. Ao arroz juntei alguns vegetais (uns crus outros cozidos) cortados em pedacinhos e temperei com sumo de limão, salsa e hortelã picadas e as lentilhas compuserem uma salda morna e acabei a semana com uma dose de ratatouille e sim, estava congelado. 



1 - Sopa de espinafres + Salada de frango, couve branca, couve roxa, cebola, pimento, tomate e passas com molho cesar de iogurte e croutons + Ananás 
2 - Sopa de espinafres + Robalo assado com legumes salteados e batata a murro + Ananás
3 - Sopa de espinafres + Salada de arroz integral com tomate, pimento, feijão verde, cenoura, cebola roxa, temperada com sumo de limão frango, couve branca, couve roxa, cebola, pimento, tomate e passas com molho cesar de iogurte e croutons + Ananás
4 - Creme de legumes com beterraba + Legumes salteados (feijão verde, couve-flor e cebola) com lentilhas, bacon e feta.
5 - Creme de legumes com beterraba + Ratatouille + Gelado de morango

17 de julho de 2015

Coroa de gelatina




Está calor, está sol e o que mais apetece são refeições frescas e leves. 
Domingo passado para terminar um almoço de peixe na brasa e porque estavam crianças à mesa resolvi recuar primeiro à minha infância e à diversão que era ver uma taça de gelatina colorida numa mesa sempre a tremer (hoje gosto das gelatinas mais sólidas) e depois, uns anos à frente, ao conhecido mosaico de gelatina, uma sobremesa que era mais que apreciada por graúdos e que serviam num dos locais que frequentava para almoço,  embora o que eu aqui realmente gostava era de um bolo em camadas, com massa folhada pelo meio, morangos e chantilly ... bem, é melhor voltar à gelatina. 
Ora, então, da junção destas duas memórias nasceu uma simples coroa treme-treme, mas este doce que só tem de pecado as natas que se juntam, mas que sempre se podem substituir por iogurte ou leite evaporado, por exemplo. Também lhe podemos juntar frutas, tornando, ainda, mais bonita e saborosa. 



Ingredientes:
1 pacote de gelatina de morango
1 pacote de gelatina de pêssego
1 pacote de gelatina de tuti-fruti
1 pacote de gelatina de ananás
400 ml de natas

Preparação:
Prepare cada um dos sabores de gelatina de morango, pêssego e tuti fruti conforme indicações da embalagem, tendo em conta que se reduzir a quantidade de água indicada em cerca de 100 ml vai ter uma gelatina mais fácil de cortar, mas se quiser uma sobremesa "treme-treme" que faça rir a criançada, então não reduza a quantidade de água.
Deite cada um dos sabores em recipientes rectangulares e leve ao frio para solidificar.
Convém fazer esta preparação na manhã da véspera do dia em que quiser servir a sobremesa.
Quando as gelatinas sortidas estiverem prontas, prepare a de ananás dissolvendo-a em 500 ml de água quente, deixe arrefecer um pouco e junte as natas.*
Misture bem e deixe arrefecer completamente, sem deixar solidificar.
Corte as restantes gelatinas em cubos ou pedaços regulares e espalhe, em camadas alternadas, numa forma previamente passada por água fria.
Acrescente a gelatina de ananás e leve ao frio até solidificar completamente.
Nesta fase de montagem da sobremesa pode brincar mais um bocadinho e começar por deitar na forma parte da gelatina de ananás, seguida das gelatinas cortadas e depois o resto do creme de ananás.
Para desenformar, passe a forma por água morna.


*Usei gelatinas de diferentes marcas ea de ananás pedia 500ml+500ml e as restantes 250ml+250ml

11 de julho de 2015

Projeto Marmita - Os menus de 29/06 a 10/07

Vamos lá atualizar as marmitas. Regressada de uma semana de descanso comecei com um ratatouille  (em breve no blogue) que preparei já a pensar dividi-lo em várias doses para poder ter marmitas saudáveis, saborosas e sempre prontas a usar. Por causa deste ratatouille nasce  um wrap que levei para o "Dia 1 na cozinha", que foi um jantar de Domingo, mas que podia muito bem estar numa destas marmitas. E para aproveitar os desafios que vão surgindo saiu também o creme de cenoura e laranja, que é, na verdade, uma sopa fria, mas que eu sirvo aquecida. Saladas sempre e fruta fresca da época.

Semana de 29/06 a 03/07


1 - Sopa de couve lombarda + Ratatouille com ovo esclafado + melancia
2 - Sopa de couve lombarda + Wrap de delicias do mar + Salada de pepino, tomate, cenoura e milho com molho de iogurte e tahini
3 - Creme de cenoura e laranja + Massa com atum, delicias do mar, milho e tomate + Abacaxi com hortelã
4 - Creme de cenoura e laranja + Quiche de ameijoas e camarão + Salada de cenoura, rabanete, tomate, cebola roxa, cebolinho e passas + Melancia


Semana de 06/07 a 10/07


Ora, por vezes, começam a surgir na minha cabeça imagens de comidas para levar para o trabalho. É que gosto de comer e os dias de trabalho podem ser tão stressantes que um almoço que nos dê prazer é o melhor balsamo que se pode ter. Foi o que aconteceu com a salada de segunda-feira, uma combinação de ingredientes que adoro: batatinha, espinafres, favas, feta...deliciosa. Na terça a inspiração já foi de momento, como no jantar de segunda pedi ao D. para grelhar na brasa umas fatias de curgete reservei algumas para enrolar nos 3 camarões cozidos que tinham sobrado de uma pequena petiscada. As saladas fizeram as honras a semana toda, porque não há como fazer misturas saborosas e coloridas para estes dias de Verão e ainda por cima a acabar da melhor forma com os produtos que a Florette teve a gentileza de me oferecer. Finalmente consegui abrir um pacote de mistura de salada sem encontrar folhas murchas e rúculas quebradas e a mistura de frutos secos...uma delicia, até para o pequeno-almoço a vou utilizar. Fico, agora, ansiosa, por experimentar a "Salada New Yorker" e quando o fizer venho aqui dizer o que achei, ok?


1 - Sopa de grão e espinafres + Salada de espinafres, batatinha, favas e feta  + Melancia
2 - Sopa de grão e espinafres + Rolinhos de curgete com camarão + Salada de cenoura, alho francês e tomate cherry amarelo + 1 figo
3 - Sopa de grão e espinafres + Salada de arroz, frango, alho francês, tomate, pepino, passas, polvilhada com folhas frescas de tomilho e hortelã + 1 ameixa
4 - Creme de legumes + Ovo cozido com batata salteada, favas, tomate, cebolinha nova e flor de cebolinho + Morangos
5 - Creme de legumes + Quiche de ameijoa e camarão + Salada Ibérica Florette com couve roxa, milho e tomate e frutos secos + Molho Cesar Florette + 1 ameixa.

8 de julho de 2015

Gelado e batido de morango

 
 
Calor, calor e os gelados e batidos começam a ser servidos.  Desta vez aproveitei uns morangos que tinha congelados para fazer um gelado e com esse gelado, além de o servir em taça, como deve de ser, fiz uns batidos daqueles bem cremosos, com os quais o D. andava a suspirar há alguns tempos.

Fica aqui uma dica: sempre que a fruta começa a perecer e a ficar menos atrativa, corto-a em pedaços e congelo. Uso-a para fazer estes gelados simples, às vezes só mesmo com a fruta, açúcar e iogurte, ou para batidos, onde fazem a vez de fruta e gelo ao mesmo tempo, granizados ou descongelo uma porção e uso para o pequeno-almoço. 

(Fonte: livro de receitas base da Bimby)
Ingredientes:
200 gr. de açúcar
800 gr. de morangos, previamente congelados em pedaços pequenos
1 limão, descascado e sem a parte branca e caroços
200 gr. de natas frias
1 clara de ovo
400 gr. de leite evaporado, previamente congelado em cuvetes de gelo

Preparação:
Coloque no copo o açúcar e pulverize 15 seg/vel. 9.
Junte os morangos, o limão, as natas e a clara e dê uns golpes de turbo para desfazer os morangos.
Acrescente o leite evaporado e programe 2 min./vel. 9 e envolva com a espátula.
Está pronto a servir, mas se o levar ao congelador, deverá retirá-lo cerca de 5 minutos antes.



E para o servir de forma diferente faça um batido:
Ingredientes:
1 bola de gelado
4 ou 5 morangos frescos
Açucar a gosto (depende da doçura dos morangos)
1/2 copo de leite frio

Preparação:
Junte todos os ingredientes no copo da Bimby e misture 20 seg./vel. 9.
Pode aromatizar com as sementes de 1/2 vagem de baunilha ou folhas de hortelã ou majericão.

7 de julho de 2015

Sopa fria de cenoura e laranja


Sopas frias não costumam fazer parte dos meus menus e qualquer sopa que possa ser servida fria, acabo sempre por a aquecer um bocadinho, só a ficar morna, ou até mesmo aquecer 1 minuto no microondas, porque aí a sopa não aquece por todo e vai haver uma "fusão" de temperaturas frias e quentes. Não gosto de água gelada, nem de alimentos gelados (ok, só os gelados e mesmo assim não pode ser uma grande quantidade). Gosto de tudo morno, assim morno para o frio no Verão e morno para o quente no Inverno, mas esta sopa tinha uma combinação de ingredientes que já conhecia e que me agrada muita: a cenoura e a laranja, por isso arrisquei e escolhi este prato para a quinzena do "Quinze dias com o chefe". E o chefe escolhido foi Viriato Pã: 

Concorrente do primeiro Masterchef português, a originalidade dos seus pratos inspirada na mistura de culturas trazida da sua Guiné-Bissau natal, do Portugal que o acolheu e de inúmeras viagens que foi fazendo ao longo da vida rapidamente lhe rendeu o salto para a sua verdadeira paixão: a cozinha. Tem, desde então, vindo a trabalhar em alguns restaurantes, criou o seu próprio espaço num quiosque no Martim Moniz em Lisboa e ganhou o seu próprio programa num canal de culinária,óptimas razões para dar a conhecer a fusão de todas as culturas de que foi bebendo. 



(Fonte: Viriato Pã, 24 Kitchen)
Ingredientes:
5 cenouras grandes
4 laranjas grandes
1 batata
1 cebola grande
1 alho francês
1 dente de alho
Azeite q.b.
Manteiga q.b.
Sal e pimenta q.b.
1 litro de àgua q.b.

Preparação:
Tradicional:
Aqueça a água numa panela e reserve.
Corte a cebola e o dente de alho cortados em pedaços pequenos e o alho francês em rodelas grossas.
Salteie os legumes num fio de azeite, até ficarem transparentes e adicione um pouco de manteiga e sal.
Descasque e corte as cenouras em rodelas e coloque-as, juntamente com o preparado anterior,  ao tacho com a àgua e deixe cozer em lume médio.
Raspe as laranjas e esprema o sumo e reserve em separado.
Quando os legumes estiverem cozidos, triture-os com a varinha mágica até obter um puré e deixe arrefecer.
Adicione a raspa e sumo de laranja e retifique os temperos.
Guarde 3 horas no frigorífico durante 3 horas antes de servir.
Bimby:
No copo coloque a cebola e o dente de alho cortados em pedaços e o alho francês. Pique 5seg./vel. 5.
Junte um fio de azeite e de seguida refogue 5min./vel.1/100º.
Acrescente um pouco de manteiga e sal.
Descasque e corte as cenouras em rodelas e coloque-as no copo. Junte a água quente e programe 20 min/vel. 1/varoma.
Raspe as laranjas e esprema o sumo e reserve em separado.
Quando os legumes estiverem cozidos, triture progressivamente nas velocidades 3-5-7-8, durante 1 minuto e deixe arrefecer.
Adicione a raspa e sumo de laranja e retifique os temperos.
Guarde 3 horas no frigorífico durante 3 horas antes de servir.

1 de julho de 2015

Wrap Provençal



A escolha do tema para este "Dia 1 na Cozinha" é mesmo apropriado para este tempo de calor: sanduiches, ou seja, comida boa para levarmos connosco para a praia, para um pic-nic e, claro, também para o trabalho ou para uma refeição descomplicada num fim de tarde de calor.

E sabiam que "embora haja delas memória anterior, consta que o nome só lhes foi atribuído em 1762, por um dos mais obstinados jogadores de "uíste" de Inglaterra, cujo tempo precioso não podia ser roubado para alimentação"?  E que o seu nome se deve a John Mantagu, conde de Sandwich? Eu também não sabia, mas as mentoras do desafio "Dia 1 na Cozinha", a Aida Filipa, a Isabel Fernandes e  a Isabel Figueiredo Patricio fazem sempre questão de nos dar a conhecer um pouco da história dos temas escolhidos, o que é sempre bom, porque o saber não ocupa lugar.

Pela minha cozinha a escolha caiu numa das minhas formas preferidas para servir uma sanduiche: enrolada num wrap, de preferência caseiro e o receheio fez-se com ingredientes da estação, inspirada numa receita tipica da Provença, o ratatouille. Então aqui está ela:


Ingredientes:
1 wrap por pessoa*
Coulis de tomate q.b.**
1 beringela pequena, cortada em rodelas finas
1 curgete, cortada em rodelas finas
1/2 cebola roxa, finamente fatiada
1 colher de sopa de Ervas de Provença
1 colher de chá de alho em pó
Azeite q.b.
Sal q.b.

Preparação:
Comece por fazer os wraps, se os fizer em casa, e reserve cobertos por um pano.
Prepare o coulis e deixe arrefecer.
Coloque as fatias de beringela e curgete numa taça e polvilhe com sal, as Ervas de Provença e o alho em pó e regue com azeite. Envolva bem.
Aqueça uma sertã ou grelhador anti-aderente e grelhe as fatias de curgete e beringela até começarem a quebrar, mas sem deixar que fiquem demasiado moles.
Barre os wraps com o coulis de tomate e coloque, por cima, fatias alternadas de curgete, beringela e cebola roxa. Enrole e sirva com uma pitada de boa disposição.




*Não estenda os wrap muito finos, senão vão ficar demasiado secos e não os conseguirá enrolar, mas se isso acontecer, sirva-os como se fossem bolachas para mergulhar num molho apetitoso ou acompanhar um paté.

** Pode substituir por um bom molho de tomate ou omitir de todo e juntar tomate cereja em metades à sanduiche.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...