23 de julho de 2010

Arroz de Espargos Verdes e Chouriço - um risoto adiado


Podia ter sido um risoto, mas venceu a versão malandrinho. Confesso que apetite por um bom risoto não me falta, mas falta-me, isso sim, a  paciência para lhe dar toda a atenção que requer. Talvez nas férias ... quem sabe? Ou talvez me aventure com a MFP. Para já fica este que podia ter sido, mas não foi, a quem comecei por tratar com toda a deferência para se tornar um bom risoto, mas a meio achei por bem mudar-lhe o rumo e saiu o que aqui vêm, bem "paladoso", como dizia a minha querida avó materna.

Ingredientes:
Arroz q.b. (utilizei arroz arborio, uma vez que a ideia era mesmo fazer risoto)
1/4 chouriça moura
6 a 8 espargos verdes
1/2 cebola
1 dente de alho
1 copo de vinho branco
Caldo de legumes q.b.

Preparação:
Comece por preparar os espargos: corte o fundo dos talos, raspe e leve a cozer num tacho com água durante cerca de 10 minutos. Como não tinha caldo de legumes preparado, utilizei 1/2 cubo de compra que dissolvi na água de cozedura dos espargos.
Retire os espargos e corte-os em pedaços, Reserve o caldo. 
Num tacho de fundo largo, salteie a cebola, juntamente com o alho esmagado.
Quando a cebola começar a ficar transparente acrescente o chouriço partido em pedaços.
Envolva e deixe fritar um pouco.
Acrescente o arroz e envolva bem.
Junte o vinho e vá mexendo até evaporar.
Tempere de sal (ver nota 2)
Se quiser um risoto:
A partir deste ponto vá acrescentando o caldo de legumes aos poucos, mexendo sempre até o liquido evaporar e repetindo a operação até o arroz se encontrar cozido al dente. No final  junte manteiga e queijo ralado e sirva de imediato.
A minha saga do risoto acabou a meio da operação de junção de caldo. Nesse ponto desisti e o risoto virou maladrinho:
Acrescente caldo ou água para continuar a cozer o arroz. Vá acrescentando liquido sempre que necessário e no final junte uma chávena de água bem fria para parara a cozedura.

Notas
1) O risoto/arroz arbóreo dá um bom arroz malandro, mas corre o risco de abrir demasiado o bago. Se isso acontecer fica um arroz desconsolado, embora cresça que eu sei lá (já me aconteceu, num arroz que teve que esperar pelo ingrediente principal - com cerca de 3/4 de chávena, fiquei com um tachão de arroz). Por isso, mais do que no arroz carolino, aqui é fundamental arrefecê-lo bem no final da cozedura.
2) No momento de adicionar sal tenha em atenção que quer o chouriço, quer o caldo de legumes de compra são já bastante temperados.
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...