28 de março de 2012

Quiche de legumes assados e queijo feta



Faz muito tempo que não fazia uma quiche. É uma das minhas refeições favoritas para as marmitas e para
aquelas ocasiões em que o cansaço e falta de tempo nos dizem "oh não, ainda tenho que cozinhar ...". A tarefa é facilitada pela compra das bases já prontas, mas podemos sempre fazer a massa em casa. Não é assim tão difícil, nem tão moroso e é mais barato. Embora a massa quebrada seja uma massa pesada, afinal metade do peso dos seus ingredientes é a manteiga, podemos optar por massas mais saudáveis. A que usei aqui é uma boa alternativa, por exemplo.
Quanto ao recheio: natas, queijo e ovos. A receita que tenho por base para as quiches pede 400 ml. de natas, 100 gr. de queijo ralado, 200 gr. do ingrediente principal escolhido  e 4 ovos, mas pode fazer reduções e substituições sem medos. Normalmente substituo as natas por creme vegetal de soja ou aveia, uso apenas 2 ovos e para compensar estas reduções, que necessariamente se vão reflectir na quantidade final de recheio, aumento a quantidade do ingrediente estrela: mais legumes ou mais carne  e adapto a quantidade de queijo, por exemplo, nesta tarte usei 150 gr. de queijo feta.
Depois de pronta deixo arrefecer, corto-a em fatias, embrulho cada uma em película aderente e congelo. Quando preciso é só levar ao forno ou ao micro ondas para descongelar e aquecer.

Ingredientes:
1 base de massa quebrada
200 ml. de creme de aveia
2 ovos
250 gr. de legumes assados diversos (curgete, cenoura, nabo, brócolos, cogumelos, espinafres)
150 gr. de queijo feta
Sal a gosto
1 pitada de noz moscada

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 200º.
Estenda a base de massa numa tarteira, apare a massa excedente e reserve no frio.
Numa tigela misture os ovos e o creme de aveia e tempere com sal e noz moscada.
Junte os legumes e o queijo partido em cubos e envolva.
Despeje o recheio sobre a tarteira e leve ao forno até a massa estar cozida e o recheio dourado (espete uma faca pontiaguda no centro, se sair seca está pronta).
Acompanhe com uma sopa ou uma salada de folhas verdes.

11 comentários:

Lurdes Losquinhos disse...

Que delicia!
Bjs

Cidália disse...

Eu adoro quiches!
Beijinhos

Ana Rita disse...

Perfeita para um pic nic ou um lanche mais campestre...

Bjoka
Rita

Pammy Sami disse...

Aprovadissimo!! É sem dúvida uma das minhas combinac,oes preferidas :)
Mnhammi!

Helena disse...

Refeição bem ao meu agrado!
Sinto falta do feta que não há por aqui.
Beijo

anasbageri disse...

Carla,
Eu podia ter escrito este post!! O viking adora estas tartes para a marmita, especialmente agora que já apetecem pratos mais leves.
E obrigada por fazeres notar que de facto,é na base que estáo a maioria das calorias. EU fico sempre a ferver qd vejo receitas de quiche "light" feitas por exemplo com massa folhada!!
As minhas bases são sempre feitas em casa, no processador de alimentos demora um minuto e sabemos o que estamos a comer!
Adorei o teu recheio :) Se estilo para a semana escrever sobre quiches, não pense por favor que estou a ter outro atque de inveja =D

bjs

Alice disse...

Gostei das dicas, das sugestões para alternativas saudáveis e do resultado final! Ficou uma quiche linda e muito nutritiva:)
Beijinhos*

Salsa Verde disse...

Adorei esta quiche e com legumes assados deve ter ficado ainda mais deliciosa e intensa.
Beijinhos,
Lia.

Ondina Maria disse...

Cá por casa há quase todas as semanas há quiche. Quem as faz é o VelSatis, usando uma receita de massa que lhe foi dada pela mãe e que se estende directamente na tarteira, sem rolos nem superfícies enfarinhadas. As natas são sempre light ou de soja. E embora se use manteiga para a massa, pelo menos é caseira: mais saudável impossível :)
Gostei deste recheio, vou já mostrá-lo ao Vel :)

Carla disse...

Ana,
Costumava dizer que andamos todos enganados no que toca aos produtos light e depois de ter lido o livro "Saber Comer" do Michel Pollan, fiquei convencida de que assim é. De vez em quando divirto-me a ler os ingredientes de produtos não light e dos seus primos light e fico sempre a pensar onde é que estará a diferença. Aliás, o exemplo mais berrante são as bolachas: as ditas light e dietéticas têm sempre mais calorias que uma simples bolacha Maria e a diferença é que as light têm mais gordura para poderem manter o sabor e a textura apelativos. Também têm mais fibras é certo, mas podemos sempre ir buscar as fibras a alimentos não processados sem acrescentarmos o consumo de gorduras, certo?
Espero ter inaugurado a época das quiches lá por casa. Ando com ideia numa de salmão e ervilhas que tenho numa revista antiga. E quanto às invejas, querida Ana, eu é que ando com a "sopa invejosa" atravessada, mas é porque ainda a não consegui fazer. Vou até aproveitar para acrescentar os ingredientes que me faltam á minha lista de compras.

Beijinhos

Carla disse...

Ondina,
A manteiga caseira é uma óptima ideia. Ainda só a fiz uma vez na bimby precisamente para utilizar numa receita. Quanto às natas, o creme de aveia tem sido uma excelente alternativa.
Bejinhos

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...