1 de dezembro de 2010

Culinária reciclada ou Panquecas assadas de quinoa e peixe


O fim-de-semana vai ser de ausência, por isso há que dar uma limpeza ao frigorífico onde aguardam melhor destino sobras de uma refeição de peixe cozido - cerca de 1/2 marmota, 1/2 ovo,  batata, cenoura e brócolos e uma embalagem com quinoa cozida. Mais aproveitamentos e com eles participo no Desafio Culinária Reciclada, promovido pelo Delicias e Talentos.

Tenho que começar por dizer que o tema não podia ter sido melhor escolhido nesta época menos abastada que atravessamos, mas a verdade é que ele não se esgota nas dificuldades económicas pelas quais passam, actualmente, muitas famílias. Pelo contrário, a pertinência deste tema continua a existir em tempos de abastança e se calhar até com mais importância, pois é em tempos de desafogo que o desperdício é maior. Bom, e acabei por pronunciar uma palavra feia: desperdício... Pois é, tenho cá para mim que "desperdício é dinheiro deitado ao lixo" e é à conta desta máxima que lá em casa faço o possível por reutilizar e reciclar o máximo que posso. Não julguem que sou fundamentalista nesta área, de vez em quando lá vai para o lixo o que normalmente iria para a reciclagem/reutilização, mas em geral todas as semanas há uma quantidade considerável de papel, plástico e metal a cair no respectivo contentor. E se assim é a bem do ambiente com esses materiais, de outro modo não poderia ser com o frigorífico. Desde logo, porque muito antes de a reciclagem/reutilização fazerem parte do nosso quotidiano, já em casa da minha mãe, e no que diz respeito a comida, nada se deitava fora. Os restos de hortaliças, pão e alguns outros alimentos iam para as galinhas e as refeições se mais não fosse aqueciam-se, mas mesmo  que a imaginação não fosse muita, lá brilhava por vezes uma roupa velha ou uma sopa de cozido ou umas batas cozidas passadas em azeite e alho. Seja como for havia poupança justificada pela necessidade de poupar e pela fome noutras casas por esse mundo fora que fazia pensar duas vezes antes de deitar comida ao lixo. Adquiri esse hábito e hoje graças à globalização que trouxe para a porta do lado a cozinha que está do lado de lá do oceano ou no canto mais a sul ou a norte do globo, a imaginação ganhou asas e perdeu os limites. Já não nos limitamos a reaquecer a comida, mas transformá-mo-la em  pratos completamente renovados, cheios de sabor, reconfortantes e nutritivos. E agora a receita:

Ingredientes:
150 gr de quinoa cozida
Sobras de peixe cozido - cerca de 1/4 de marmotinha
Sobras de legumes cozidos - 3 metades de batata, 1/2 cenoura e brócolos
1/2 ovo cozido
1/2 cebola
1 dente de alho
Salsa q.b.
1 colher de sopa de azeite Espiga Clássico
2 colheres de sopa de leite
1 chávena de farinha


Preparação:
Retire a pele e as espinhas ao peixe.
No robot de cozinha coloque a quinoa, o peixe, os legumes, o ovo, a cebola, o alho, a salsa e o azeite e triture.
Junte o leite e volte a triturar para obter um puré.
Acrescente a farinha e envolva até ter uma massa homogénea. Não convém que fique muito seca, por isso se tiver, depois, dificuldade em trabalhá-la pode moldar caneles com a ajuda de duas colheres de sopa, ou deitar um pouco de farinha na bancada e com ela enfarinhar montinhos equivalentes a uma colher de sopa bem cheia, moldando-os em forma de disco. 
Coloque-os num tabuleiro forrado com um tapete de silicone, pincele-os com leite e leve a forno pré-aquecido a 200º. Ao fim de 20 minutos vire-os com cuidado e pincele novamente com leite. Asse por mais 10 minutos ou até estarem dourados. Retire do forno e sirva mornos ou frios, como entradas ou acompanhados de legumes estufados.
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...