18 de abril de 2012

Coelho assado com arroz de carqueja



"O Bolo da Tia Rosa" fez um ano de vida e convidou-nos a participar na festa fazendo um prato com um dos seus ingredientes preferidos: arroz. Achei graça à escolha do tema para a festa. O arroz é uma constante das nossas mesas e é tantas vezes preterido por ser, a maioria das vezes, um mero acompanhamento e nem sempre em exclusividade: arroz e salada, arroz e batata... Faz-lhe agora justiça a Mané, fazendo-o dele o rei da festa.

Arroz foi possivelmente a primeira coisa que aprendi a fazer na cozinha. Com a minha mãe, que o fazia de modo igual à minha avó. Usando sempre a mesma chávena como medida e de modo tão instintivo que quase já não se lhe poderia chamar de receita. Era apenas um modo de fazer e desse mesmo modo aprendi a fazer um arroz sequinhos bem a gosto lá de casa. Quando mudei de casa e, consequentemente, de fogão, tachos e utensílios, levei algum tempo a voltar a acertar com o ponto do arroz. Até levei algum tempo a encontrar a minha "chávena" de medida e a minha colher-de-pau. Fui evoluindo nos cozinhados e na confecção do arroz também, juntando-lhe outros ingredientes, outros caldos (como este de hoje), outros temperos, servindo-o como acompanhamento ou como prato principal. Poderia até servi-lo como sobremesa, mas ainda não acertei com "a" receita.



A carqueja é uma erva do monte, com propriedades medicinais e cujas folhas (não a flor) são muito utilizadas para temperar caça e conferir algum sabor de caça às espécies domésticas.
O tradicional arroz de carqueja é cozinhado com frango e o seu sangue e em algumas variações com carne de porco e coelho. Em qualquer dos casos a água do cozinhado é substituída por uma infusão de carqueja que deve descansar umas horas antes de ser utilizada. Eu preferi assar o coelho, usando a infusão para manter o molho do assado e para cozer o arroz que o acompanhou.

Ingredientes:
O coelho
1 coelho
2 dentes de alho
1 colher de chá de pimentão doce
Tomilho fresco q.b. - apenas as folhinhas
Azeite q.b.
Sal q.b.
1 colher de sobremesa de vinagre balsâmico
1 folha de louro
1 dl de vinho branco
1 dl de cerveja
1 cebola grande
1 cenoura
Batatas

O arroz:
1 litro de água
Carqueja seca
1/2 cebola
1 chávena de arroz
Sal. q.b.

Preparação:
O coelho:
De véspera triture no almofariz os dentes de alho esmagados juntamente com as folhinhas de tomilho, o pimentão, sal, azeite e o vinagre balsâmico até formar uma pasta com a qual vai barrar todo o coelho. Coloque-o num recipiente, junte a folha de louro e o vinho, tape e guarde no figorifico. No dia seguinte, pela manhã, volte o coelho, tape e guarde novamente até á hora de cozinhar. Também pela manhã ferva a água para o arroz, junte a carqueja e deixe ferver durante 5 minutos. Reserve a infusão, sem retirar a carqueja.
Pré-aqueça o forno a 200º.
Corte a cebola e a cenoura em rodelas e espalhe no fundo de uma assadeira. Pouse o coelho sobre a cama de legumes e regue com a própria marinada e a cerveja. Distribua as batatas descascadas e cortadas em gomos à volta do coelho leve a assar.
Vá regando as batatas e o coelho com o molho do assado acrescentando infusão de carqueja sempre que necessário.

Entretanto prepare o arroz:
Faça um refogado com a cebola picada e o azeite. Refresque com um pouco de infusão de carqueja e deixe fervilhar até quase secar o liquido.
Junte 2 chávenas de infusão e tempere de sal.
Deixe levantar fervura e acrescente o arroz. Mexa com a colher-de-pau, tape o tacho e deixe ferver novamente. Reduza para lume médio até se formarem "buracos" entre os bagos de arroz e reduza para o mínimo até o arroz cozer.

13 comentários:

LuisaAlexandra disse...

Cá por casa gostamos imenso de coelho e o que mostras tem um aspecto tão bom!

Sabores Autenticos disse...

Gosto muito desse prato.
Bjs

O Cantinho da Sophia disse...

Esta refeição tem um aspecto mesmo apetitoso! Adoro coelho!
Gostei muito do seu blog. Para além das fotos lindíssimas tem receitas magníficas. Já me fiz seguidora. Vou voltar mais vezes para ver as novidades.
Beijinhos

Ondina Maria disse...

ao tempo que não como arroz de carqueja, do que te foste lembrar, que maravilha. Tenho que ver se faço um arrozinho desses...

Salsa Verde disse...

Um prato absolutamente tentador, lindo e, imagino, super delicioso!
Beijinhos,
Lia.

Susana disse...

Que engraçado Carla, conhecia o chá de flor de carqueja (que por acaso tenho um saco ainda fechado à espera de ser consumido), mas não os ramos. Gostei do teu arroz e até fiquei com vontade de experimentar fazer com as flores da carqueja ;) O que me dizes?! ;)
O coelho é umas das minhas carnes preferidas. Parabens pela receita e participação :)

Beijinhos

Ana Rita Marreiros disse...

Nunca tinha pensado em juntar a carqueja num arroz, mas é assim mesmo, estamos sempre a aprender coisas novas!!
Um prato delicioso!

Bjoka
RIta

Alice disse...

Não conhecia a carqueja, mas tenho que ir investigar pois adoro arrozes de todas as maneiras e feitos!:)
A minha mãe também sempre usou a mesma chávena, que no caso dela é um púcaro, como medida do arroz e quando me casei também tive que encontrar maneira de o substituir e agora estou muito mais habituada a usar um copo (dos de whisky!):)
Bela participação na festa da Mané:)
Beijinhos

Rita disse...

O meu pai fala muitas vezes do arroz de carqueja e eu nunca provei nem nunca fiz. Ora aqui está uma bela receita para eu lhe fazer. O coelho também me parece perfeito!
Estive recentemente para fora, e a falta da minha chávena de medida também me complicou os arrozes. :)
Beijinhos!

São Ribeiro disse...

APESAR DE NÃO COMER COELHO ADOREI O ASPECTO .
FICO-ME PELO ARROZ QUE ME AGRADOU-ME MUITO.
BJS

Mané o bolo da Tia Rosa disse...

Muito Obrigadaaaaaaaaaaaa:)
Gosto imenso de Coelho, gosto da história - o coelho tab me leva à infância, o arroz de coelho mais propriamente, e gosto BASTANTE da sugestão da carqueja
Fico super contente e só posso dizer com T O D A S as letras OBRIGADA

Mané o bolo da Tia Rosa disse...

Arroz é uma dádiva, é mesmo uma Festa!

Chegou o dia do primeiro aniversário e à mesa estamos 33... perdão, corrijo, estamos 34, com a minha prima Margarida que trouxe o ingrediente para fazermos toda esta!

E, decerto que não nos importamos de partilhar com cada um que nos visite!

Se alguma dúvida havia sobre a festividade que o arroz encerra ela ficou completamente dissipada com esta festa. Ver chegar cada uma das participações foi também uma confirmação de dádiva, que agradeço com um rasgado sorriso.

Obrigada, nunca é demais repetir, por partilharem as vossas histórias, por trazerem o vosso arroz e estarem aqui comigo.

Não tenho a noção de quando tempo teremos estes momentos de partilha, não estou inquieta com isso, mas quero que saibam que o balanço deste ano inesperado aqueceu-me o coração e fez-me sentir grata por cada um de vós.

A ordem que aqui colocarei as participações será a ordem de chegada, creio não me estar a esquecer de ninguém - sintam-se completamente à vontade para o referirem , se tal lapso acontecer.

E, por favor sirvam-se… partilhem e saboreiem cada momento neste momento.

A festa é nossa!

Vamos, está quase na meia noite, vamos lá saborear todas estas iguarias!

http://obolodatiarosa.blogspot.pt/2012/04/arroz-e-uma-dadiva-e-mesmo-uma-festa.html

De cozinha em cozinha disse...

Susana,
Segundo li a flor será amarga para este efeito, mas a verdade é que nunca provei o chá de flor de carqueja. Não há como experimentar... Com tomilho também fica muito bom e há que use o chá de tilia para os assados. Ousemos.
Beijinhos

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...