5 de outubro de 2012

Dorie às sextas - Tarte de Pêssego com Crumble


Porque hoje é sexta-feira, embora não "a" sexta-feira da Dorie. Porque esta foi uma das últimas receitas escolhidas para o Dorie às Sextas, mas que não foi publicada na data certa aqui no blogue. Porque ainda há pêssegos nas bancas dos mercados. Porque de vez em quando o sol espreita a raiar calor e porque depois dos pêssegos vieram as maçãs e a cronologia correcta impõem que estas tartes de pêssegos sejam publicadas primeiro. Só por isso uma receita de Verão.
Ingredientes:
Para o crumble:
2 colheres de sopa de farinha
2 colheres de sopa de açúcar amarelo (bem cheias - usei açúcar branco)
2 colheres de sopa de amêndoas picadas (usei 3 colheres de sopa)
2 colheres de sopa de manteiga sem sal fria, cortada em pedaços

Para a massa: (a receita pede uma base de massa doce parcialmente cozida e fria, eu utilizei uma base de massa doce de compra)
155 gr. de farinha
1/4 de chávena de amêndoas moídas finamente
60 gr. de açúcar em pó
1 pitada de sal
130 gr. de manteiga sem sal, muito fria e cortada em pedaços pequenos
1 gema grande

Para o recheio:
3 pêssegos grandes, maduros, descascados, cortados ao meio sem caroço
1/2 chávena de natas
1 ovo grande
1/4 de chávena de açúcar
1/8 colher de chá de extracto de amêndoa (não usei)
Açúcar em pó para enfeitar



Preparação:
Como fiz:
Preparei o crumble, misturando todos os ingredientes com as pontas dos dedos até obter umas migalhas grossas. Reservei no frigorífico num recipiente tapado.
Lavei os pêssegos e parti-os a meio, tirando o caroço.
Coloquei-os num tacho pequeno com um pouco de água e cozi-os em lume brando só até amolecerem ligeiramente.
Coei (reservando o liquido que resultou da cozedura), deixei arrefecer ligeiramente e pelei-os.
Entretanto preparei o creme do recheio misturando todos os ingredientes numa taça e batendo com a vara de arames até obter um preparado homogéneo.
Forrei 4 formas de tarteletes com a massa e distribui os pêssegos cozidos, cobri com o recheio e levei ao forno pré-aquecido a 190º.
Passados cerca de 20 minutos acrescentei o crumble, distribuindo-o pelas formas e deixei assar por completo.

Como a Dorie fez:
A massa:
Ponha a farinha, a amêndoa, o açúcar e o sal num processador de alimentos e misture bem.
Distribua os cubos de manteiga sobre os ingredientes secos e pulse até que a massa pareça migalhas de tamanhos diferentes.
Bata a gema numa tigela, para a quebrar,e  acrescente um bocadinho de cada vez, pulsando a massa a após cada adição.
Quando toda a gema tiver sido adicionada ligue o processador 10 segundos de cada vez, até que amassa forme agregados de tamanhos diferentes.
Imediatamente antes da massa atingir este ponto, o som do processador vai mudar - é o sinal.
Transfira a massa para uma superfície e, muito leve e rapidamente, amasse-a para incorporar quaisquer ingredientes secos ainda visíveis.
Unte com manteiga uma forma de tarte de fundo amovível, pressione a massa na forma, usando toda a amassa (menos um bocadinho, que deverá guardar no frigorífico para remendar eventuais rachas que forme ao assar). Não seja mão pesada, pressione o suficiente para os pedaços se ligarem uns aos outros, mas não tanto que amassa perca a sua textura.
Leve ao congelador por, pelo menos, 30 minutos (de preferência mais tempo), antes de assar.
Pré-aqueça o forno a 190º.
Unte o lado brilhante de um pedaço de papel de alumínio e encaixe-o sobre a massa, lado untado para baixo (como foi congelada, pode ser assada sem uso de pesos). Ponha a forma sobre um tabuleiro e asse por 25 minutos.
Cuidadosamente remova o papel de alumínio. se a massa tiver formado bolhas, pressione-as ligeiramente com as costas de uma colher.Para uma base parcialmente assada, remende as rachas, se necessário, e transfira-a para uma grade, para arrefecer, mantendo-a na forma.
Para o crumble:
Com a s pontas dos dedos, misture todos os ingredientes num pequeno recipiente, até que estejam bem combinados. cubra o crumble com película aderente e refrigere até ser preciso (pode ser guardado até 2 dias, desde que bem coberto)

Entretanto pré-aqueça o forno a 215º, coloque a forma de tarte sobre o tabuleiro e reserve.
A tarte:
Corte 5 metades dos pêssegos em fatias, colocando cada metade, com o lado cortado para baixo, numa tábua e ir cortando com a faca perpendicular á tábua, em fatias finas. Levante todas as fatias em simultâneo com uma espátula, pressione suavemente para as abrir ligeiramente em leque e coloque sobre a base da tarte, deixando um espaço no centro para a sexta metade que deve cortar apenas o suficiente para que encaixe no centro inteira. Com a ponta da faca faça pequenos cortes e pouco fundos nesta metade e reserve.
Com um batedor de varas misture as natas, o ovo, o açúcar e o extracto de amêndoa.
Quando estiver bem misturado, bata com o recipiente na mesa para retirar quaisquer bolhas de ar que se tenham formado. Deite a mistura sobre os pêssegos.
Leve ao forno por 10 minutos. baixe a temperatura para 190º e asse por mais 20 minutos.
Acrescente o crumble: retire-o do frigorífico e, com os dedos, parta-os em pequenos pedaços. Com cuidado, puxe a tarte do forno, sem a retirar e sem agitar demasiado o recheio. Se lhe der mais jeito pode retirá-la por completo do forno, mas sempre com cuidado para não agitar o recheio.
Polvilhe com o crumble e leve novamente ao forno por mais 20-25 minutos (tempo total de cozedura: 50-55 minutos) ou até que o recheio esteja praticamente sólido e o crumble dourado.
Retire a tarte do forno e transfira a forma para uma grade. Deixe arrefecer até estar morna ou à temperatura ambiente.
Antes de servir polvilhe com açúcar em pó.
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...