15 de outubro de 2012

Convidei para Jantar



A música é uma ponte. Atravessa oceanos e continentes. Une pessoas que não se conhecem, nem sonham com a existência do outro, numa voz uníssona. Pode fazer rir, sorrir, chorar, pular e dançar, sonhar. Diverte. Faz pensar.  Muitas vezes é a voz do descontentamento, dos injustiçados. 

Ainda guardo na minha arrecadação uma caixa cheia de cassetes. Sim, de cassetes, velhinhas e tão desactualizadas que nem tenho onde as reproduzir, mas não tenho coragem de me desfazer delas. Aquelas fitas, que tantas vezes se partiam e se enrolavam nas cabeças dos gravadores/leitores, estão cheias de horas de músicas. Horas passadas no quarto de ouvido colado ao rádio, à espera daquela música e daquela outra e ainda da outra, de dedo em riste preparado para gravar assim que começavam a tocar. A "idade do armário" passou, ficaram essas cassetes, muitos vinis e nas minhas prateleiras tenho agora muitos Cd`s. Porque cresci, amadureci, mas o gosto pela música ficou. Já não a ouço horas a fio, muitas vezes nem me apercebo de que a estou a ouvir, mas ela está lá, no rádio do carro, no computador do escritório, em casa enquanto se prepara o almoço ou o jantar. De vez em quando lá vou buscar um daqueles Cd`s que fazem história, daqueles que fazem parte do nosso top 10 de sempre e colocamos no leitor e deixamos tocar em modo "repeat" dias a fio. Como "O Irmão do Meio", por exemplo, de onde, de repente saem as vozes em duo de Sérgio Godinho, que canta Lisboa, mas tem as suas raízes no Porto e de Caetano Veloso, com a sua voz que faz chorar e que me levou a Lisboa para assistir, a meio de uma semana de trabalho, a um concerto inesquecível. Duas vozes tão diferentes, mas que se complementam tão bem. E num repente, como quando uma belíssima música nos transporta para outro ambiente, estão os dois à minha mesa em animada conversa. Esfrego os olhos á espera que seja um sonho, mas não é. Estão mesmo aqui, duas vozes que cantam na mesma língua lusitânia, separadas por um imenso oceano e unidas pela música. Vai ser um serão memorável.

Ingredientes:
1 chávena de arroz
4 peitos de frango
20 camarões
1/2 pacote de couve de bruxelas congeladas
1 pimento vermelho assado
1/2 chávena de ervilhas
1/2 chávena de feijão verde cortado
1 cenoura cortada às rodelas
1 cebola pequena picada
1 dente de alho esmagado
4 rodelas de chouriço de carne
1 malagueta
1 folha de louro
1/4 chávena de de vinho branco
1 e 3/4 chávenas de água
Azeite q.b.
Sal q.b.

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 200º.
Num tacho (pode usar um tacho de barro grande) refogue lentamente em azeite, os bifes de frango cortados em tiras e os camarões.
Quando estiverem alourados retire-os e reserve, mantendo quente.
Acrescente mais azeite se necessário e refogue a cebola, o dente de alho, a cenoura e o chouriço, juntamente com a folha de louro e um pouco de malagueta.
Quando a cebola começar a amolecer junte o vinho e deixe fervilhar durante 2 minutos.
Acrescente, então, a água e tempere de sal.Junte os restantes legumes, o frango e o camarão e deixe levantar fervura.
Acrescente o arroz e envolva.
Deixe levantar fervura e se estiver a usar um tacho de barro coloque-o no forno, senão transfira o arroz para um tabuleiro e leve ao forno até cozer.

Com este post participo em mais uma edição do "Convidei Para Jantar", inicitiva da Ana do "Anabasgeri" e este mês recebido pela Vera no blogue "Para o Jantar Temos ...", que escolheu o tema "Ìdolos Musicais".


Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...