29 de fevereiro de 2012

Bolo de Iogurte e chocolate quente - os clássicos revisitados



Há receitas que nunca enganam. Passam por todas as casas, passam de geração em geração. Umas alterações aqui e ali que personalizam cada uma, mas nunca perdem a sua própria personalidade. O bolo de iogurte é uma delas. O bolo, fofo por dentro e crocante por fora, é dos mais fáceis de fazer e sabe sempre bem, seja com um chá ou com um chocolate quente no Inverno ou com um refresco no Verão.

Ingredientes:
O Bolo:
4 ovos
1 iogurte natural
2 medidas do copo de iogurte de açúcar
1 1/2 medida de farinha Branca de Neve
1/2 medida de maizena
1/2 medida de óleo
1 colher de sobremesa de fermento em pó
Óleo em spray Espiga



Chocolate quente:
250 ml de leite
1 fila de quadrados de chocolate 70% cacau (usei Lindt)
1 pau de canela
Açúcar/adoçante a gosto (não usei)

Preparação:
O Bolo:
Pré-aqueça o forno a 180º.
Unte e enfarinhe uma forma redonda ou utilize o unte-a com óleo em spray.
Deite todos os ingredientes numa taça grande e misture bem com uma colher de pau ou vara de arames.
Verta o preparado para a forma e leve a cozer ao forno.
Ao fim de 20 minutos reduza o calor do forno para 170º e deixe cozer por mais 20 minutos.
Não abra a porta do forno antes de decorridos os primeiros vinte minutos, uma vez que até aí o bolo ainda está a crescer.
No fim espete um palito no centro do bolo. se sair seco está pronto.
Coloque a forma sobre uma rede e deixe arrefecer durante 5 minutos e desenforme.

O chocolate quente:
Leve o leite ao lume com o chocolate e o pau de canela.
Mexa até o chocolate derreter completamente.
Retire o pau de canela.
Adoce a gosto e sirva quente.

Mais chocolate quente aqui.

27 de fevereiro de 2012

Bolachas de Granola



Falhei um desafio do Dorie às sextas. Nem sempre o tempo nos permite fazer tudo o que queremos, mas fiquei com a ideia de que, eventualmente, as acabaria por fazer. Depois de ver as várias publicações do grupo o eventualmente passou a definitivamente. mais uma receita de sucesso da Dorie. As bolachas são crocantes, têm o sabor marcado do amendoim salgado, único ingrediente que hesitei em usar precisamente pelo sal, mas que se revelou muito agradável. Fica já no meu "livro de receitas" como uma receita base de bolachas, dadas as combinações que permite.

Ingredientes:
3 chávenas de granola
3/4 chávena de passas (não usei)
1/2 chávena de amendoins salgados
1/2 chávena de amêndoa laminada
1/2 chávena de coco (não usei)
1/3 chávena de gérmen de trigo
3/4 chávena de açúcar castanho
1/4 chávena de açúcar branco (não usei)
200 gr. de manteiga à temperatura ambiente (para meia receita utilizei 80gr.)
1 ovo
1 pitada de sal
1 chávena de farinha


Preparação:
Bimby:
Pré-aqueça o forno a 190º.
Forre dois tabuleiros com papel vegetal e reserve.
No copo da bimby coloque a granola, as passas, os amendoins, a amêndoa, o coco e o gérmen de trigo e triture 2 seg./vel. 4. Reserve.
No copo coloque a manteiga, o açúcar, o ovo e o sal e misture 2 minutos/vel. 5.
Junte a farinha: 10 seg./vel 5
Se fizer metade da receita junte a granola e misture 20 seg. / vel. 5, senão transfira o creme para a taça onde tem a granola e misture com uma espátula.
Com a ajuda de uma colher distribua pedaços de massa pelos tabuleiros. Forme bolas e espalme com os dedos, deixando algum espaço entre as bolachas. Eu espalmei bem para ter uma bolacha mais fininha.
Leve a assar durante 10 a 12 minutos e a meio do tempo troque os tabuleiros e rode-os 180º.
As bolachas estarão prontas quando atingirem a cor dourado escuro e estejam firmes, mas não duras.
Remova os tabuleiros do forno e deixe descansar por 1 minuto.
Transfira as bolachas para uma rede e deixe arrefecer completamente.

Tradicional:
Pré-aqueça o forno a 190º.
Forre dois tabuleiros com papel vegetal e reserve.
Numa taça grande misture a granola, as passas, os amendoins, a amêndoa, o coco e o gérmen de trigo e reserve.
Bata a manteiga durante 2 minutos em velocidade média.
Acrescente os açúcares e bata por mais 3 minutos.
Junte o ovo e o sal e misture.
Reduza a velocidade da batedeira para o mínimo e junte a farinha. Assim que estiver incorporada acrescente a granola, continuando a bater parando assim até que esteja misturada. Quer-se bem misturada, mas não em demasia.
Use a espátula para incorporar algum ingrediente que tenha ficado solto.
Com a ajuda de uma colher distribua pedaços de massa pelos tabuleiros. Forme bolas e espalme com os dedos, deixando algum espaço entre as bolachas. Eu espalmei bem para ter uma bolacha fininha.
Leve a assar durante 10 a 12 minutos e a meio do tempo troque os tabuleiros e rode-os 180º.
As bolachas estarão prontas quando atingirem a cor dourado escuro e estejam firmes, mas não duras.
Remova os tabuleiros do forno e deixe descansar por 1 minuto.
Transfira as bolachas para uma rede e deixe arrefecer completamente.

Mais algumas "bolachas de granola" do Dorie às Sextas:
- Cantinho da Somi - Bolachas de Granola - Dorie às sextas
- Clavel`s Cook - Dorie às sextas - Bolachinhas de Granola
- Figo Lampo - Cookies de granola, coco, chocolate e maçã
- No Soup For You - Cookies de granola e pêra
Pão e Beldroegas - Dorie às sextas e uns cookies de granola
- No calor do fogão - Granola Grabbers
- Sabores de Canela - Granola Grabbers
- Cozinha de familia - Granola or chocolate grabers?
- Tertúlia de Sabores - "me want cookie!" "me eat cookie!"

25 de fevereiro de 2012

Projecto Marmita - Semana VIII/2012



Lanche da manhã
Almoço
Lanche da tarde
Segunda-feira
1 kiwi + 1 fatia de pão
Sopa de feijão verde com tofu  + 1 maçã
1 maçã + 1 fatia de pão + 1 iogurte natural com granola
Terça-feira
1 kiwi + 1 fatia de pão
Bulgur com legumes assados + 1 maçã
Morangos + 1 iogurte natural + 1 fatia de pão
Quarta-feira
1 kiwi + 1 fatia de pão
Sopa de feijão verde + 1 maçã
1 tangerina + 1 iogurte natural + 1 fatia de pão
Quinta-feira
1 banana + 1 fatia de pão
Bulgur com legumes assados + 1 pêra
Saladinha de maçã e morango + 1 iogurte natural + 1 fatia de pão
Sexta-feira
1 kiwi + 1 fatia de pão
Linguine com legumes salteados + salada de fruta
1 pêra + 1 iogurte natural + 1 fatia de pão


Domingo foi dia de preparar algumas marmitas. Aproveitei o foro ligado para assar alguns legumes e à noite a costumeira sopa – desta vez de feijão verde que serviu as marmitas de segunda-feira (esta enriquecida com tofu) e de quarta-feira. Os legumes assados distribuíram-se entre terça e quinta-feira acompanhados de bulgur, cuja água de cozedura foi temperada com uma colher de sopa do molho do assado. Na sexta-feira linguine cozido (do jantar de quinta) e legumes salteados (curgete, tomate e brócolos, mais um pouco de tofu).
Pão de 3 sementes. Iogurtes de compra. Chás diversos.

24 de fevereiro de 2012

Dorie às sextas - Tarte Tatin


Depois de ter falhado a participação na 2ª ronda do Dorie às Sextas, não podia ter deixado escapar esta (falhei a data da publicação, porque acabei por fazer a receita - bolachas de granola - e está para ser publicada aqui). Desta vez a receita escolhida do livro "Baking" foi um clássico: tarte tatin. Já tinha feito essa tarte há uns anos e fiquei sempre com a vontade de a repetir e nem sei porque não o fiz mais cedo: poucos ingredientes e simples de confecionar é uma sobremesa irresistível e um sucesso garantido.
Pode ser feita com pêras, manga ou ameixas, por exemplo, mas como já sabia que a combinação massa folhada/maçã é uma das sobremesas preferidas do D. avancei com a receita tradicional. Pode ser servida simples, morna de preferência, ou acompanhada de gelado de nata, iogurte grego ou créme fraiche. Nós preferimo-la simples, com todo o sabor do caramelo e da maçã.


Ingredientes:
1 placa de massa folhada de compra
6 maçãs (pode precisar de mais ou de menos, conforme o tamanho da forma)
110 gr. de manteiga*
3/4 de chávena de açúcar*

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 190º.
Descasque, descaroce e corte as maçãs em quartos.
Numa frigideira ou outro recipiente que dê para ir ao fogão e ao forno derreta a manteiga. Com a ajuda de um pincel ou virando a frigideira unte as bordas da mesma, mais ou menos até meio.
retire a frigideira do lume e acrescente o açúcar em chuva, formando uma camada uniforme.
Disponha os quartos de maçã com a parte redonda para baixo, formando círculos concêntricos e tape todos os espaços com as maçãs sobrantes, partindo-as em cubos. As maçãs irão encolher com a cozedura, por isso é importante ter uma boa camada de fruta.
Leve de novo ao fogão e em lume médio/baixo deixe o açúcar caramelizar. Vigie atentamente o açúcar enquanto borbulha por entre as maçãs. Se precisar afaste um pouco uma maçã para vigiar o ponto do açúcar, assim que atingir a cor dourada do caramelo retire a frigideira do lume. 
Com cuidado, centre a massa folhada sobre a frigideira  e aconchegue as laterais. Se necessário corte um pouco de massa, mas pode deixar uma camada dupla nas bordas.
Leve ao forno durante 30/40 minutos ou até a massa folhada estar dourada.
Retire do forno e utilizando um prato mais largo que a frigideira vire a tarte para o prato. Volte a arranjar as maçãs e verta todo o caramelo que tiver ficado na frigideira sobre elas.
Deixe arrefecer durante 10 minutos e sirva simples ou acompanhada de uma bola de gelado de nata, iogurte grego ou creme fraiche.

*Para  a minha caçarola, que é pequena, usei cerca de 60 gr. de manteiga e 1/2 chávena de açúcar. Já em tempos tinha feito esta tarte com bastante menos manteiga e o resultado foi igualmente delicioso. Na minha opinião o sabor do caramelo é suficiente para conferir um excelente sabor a esta tarte, não necessitando de demasiado gordura

22 de fevereiro de 2012

Gratinado de legumes


Ingredientes (serve 2 doses):
Metade de um brócolo pequeno q.b.
1 batata média
1 cenoura pequena
1/2 couve-flor pequena
Azeite q.b.
1 dente de alho
1 ponta de malagueta (opcional)
1 folha de louro (ou outra aromática a gosto)
Sal q.b.
200 ml de natas de soja
50 gr. de queijo ralado

Preparação:
Prepare os legumes e coza-os em água e sal.
Coe a àgua e corte a batata e cenoura em cubos.
Separe os raminhos do brócolo e da couve-flor, aproveitando os talos mais grossos que deve cortar em rodelas. (Nota: pode aproveitar o tronco do brócolo, descascando-o para retirar a parte mais fibrosa)
Numa frigideira aqueça o azeite juntamente com 1 dente de alho esmagado, a malagueta e o louro.
Assim que o alho começar a libertar o seu aroma junte os legumes: a batata e cenoura primeiro, depois os brócolos e a couve-flor. Envolva e acrescente azeite se necessário.
Deixe alourar sem queimar.
Entretanto numa tigela misture as natas e o queijo. Tempere a gosto.
Transfira os legumes para um recipiente de forno, cubra com as natas e leve a gratinar em forno pré-aquecido a 220º.

Opção: Utilize batata e legumes que tenham sobrado de uma refeição anterior e acrescente mais alguns a gosto.

21 de fevereiro de 2012

Preparando a marmita

Domingo. Dia de descanso e dia de preparar a semana que entra. Aproveita-se o forno ligado para preparar um tabuleiro de legumes assados: alho francês, curgete, cogumelos portobelo e cenoura, temperados com um fio de azeite e sal picante. Ao jantar a sopa de feijão verde vai já render uma dose para congelar a juntar a outra dose de sopa de espinafres. Esferográfica e etiquetas. Conteúdo e data.



Trato já da marmita de segunda-feira: a sopa, a fruta, o pão no forno prestes a sair. Esta semana também não há iogurtes caseiros. Talvez a meio da semana os prepare.


20 de fevereiro de 2012

A que sabe a gula?




Hoje sabe a chocolate.
Estas tacinhas páram aqui nos "rascunhos" há tanto, tanto tempo, que até parece pecado. Um pecado tão grande, quanto o da gula com que se comem, à mistura com um creme fresco de hortelã (manjericão no original) a fundir-se no quente do chocolate.
Saltam agora para a blogosfera a tempo de celebrar os 4 anos do Forum da Amizade que pede festejos com sabor a ... chocolate!

Bolinhos de chocolate com creme de hortelã-pimenta
(os bolinhos vêm do blogue "Tangerina Aderente" e o creme foi adaptado do "Grande Livro de Cozinha", Livraria Civilização Editora)

Ingredientes:
Para os bolinhos:
6 colheres de sopa de manteiga
4 colheres de sopa de açúcar
150 gr. de chocolate em barra
2 ovos + 2 gemas
2 colheres de sopa de farinha

Para o creme:
100 gr. de mascarpone
200 gr. de natas (substituí por iogurte grego)
60 gr. de açúcar
12 folhas de hortelã pimenta

Preparação:
Os bolinhos:
Derreta o chocolate com a manteiga no microondas durante 1 ou 2 minutos (1 minuto inicialmente e depois 20/30 segundos de cada vez, dependendo da potência, mexendo a cada intervalo. Assim que o chocolate começar a derreter à medida que vai mexendo, não volta ao microondas)
Bata os ovos com o açúcar até obter uma mistura bem ligada.
Misture a farinha e o chocolate derretido.
Distribua por taças pequenas (usei chávenas de chá) e leve ao microondas durante 1 minuto na potência máxima. Sirva de imediato.
Devem ficar consistentes no centro e moles nas extremidades.

Creme de hortelã-pimenta:
Numa taça misture bem as natas (ou iogurte) com o mascarpone.
Numa almofariz esmague as folhas de hortelã com o açúcar.
Junte o açúcar ao creme de natas e mexa vigorosamente.
Leve ao frigorífico para refrescar e sirva no espaço máximo de uma hora.


18 de fevereiro de 2012

Projecto Marmita - Semana VII/2012

E a marmita continua a ganhar pontos, juntamente com a saúde e o paladar....e a carteira, claro!



"Empiricamente, a tendência poder-se-ía resumir em três parcelas: a comida da marmita é saudável, saborosa e barata. A socióloga Mónica Truninger, 39 anos, até aceita que haja, aqui, uma componente de «segurança quase ontológica». Mas a investigadora do Instituto de Ciências Sociais, de Lisboa, destaca outro aspeto - levar o almoço de casa para o trabalho «tornou-se numa prática atraente e respeitada». Mónica Truninger esclarece: poupar «é socialmente bem-visto», face á crise; aplica-se o conceito ambiental da reutilização, com o aproveitamento dos restos do jantar; os marmiteiros transformaram-se num « veículo de integração e interação, de criatividade na cozinha, de experimentação de novos produtos». É, aliás, muito do gosto português, assinala Mónica Truninger, este regresso à «ligação forte, afetiva, com a refeição». (sublinhado meu) in Revista Visão nº 988, pág. 78


Pois bem, depois desta interessante leitura, então como foi esta semana de marmitas:



Lanche da manhã
Almoço
Lanche da tarde
Segunda-feira
1 banana + 1 fatia de pão
Sopa de espinafres + 1 pêra
1 kiwi + 1 fatia de pão + 1 iogurte natural
Terça-feira
1 kiwi + 1 fatia de pão
Peixe alourado + pêra bêbeda
Iogurte natural com frutos vermelhos + 1 fatia de pão
Quarta-feira
1 kiwi + 1 fatia de pão
Bacalhau gratinado + gelatina de ananás com frutos vermelhos + ½ maçã
Iogurte natural + ½ maçã + 1 fatia de pão
Quinta-feira
½ maçã +1 fatia de pão
Almoço tardio – panado no pão
1 iogurte natural + morangos + sementes de linhaça
Sexta-feira
½ maçã + 2 bolachas de granola
1 iogurte natural + 1 kiwi + 1 fatia de pão


Segunda-feira já se sabe que é dia de sopa. É o jantar de domingo e uma maneira de curar das asneiras de fim-de-semana. Na terça-feira o jantar sobrante de segunda-feira - uma posta de marmota cozida com batata e cenoura e ovo cozido - foi alourado em azeite e alho (deu 1 dose e meia). Quarta-feira novamente o jantar de véspera: bacalhau gratinado. Estes pratos de forno são óptimos para as marmitas porque se confecionam sempre em maiores quantidades. Depois é só guardar e levar no dia seguinte. Quinta-feira foi dia de reunião que se prolongou pela hora de almoço. Como não tinha trazido marmita por não ter a certeza da duração da reunião, acabei por comer uma sandes de panado já á hora do lanche. Sexta-feira: recurso ao congelador com um creme de couve-flor e 2 croquetes.
Esta semana teve umas doçuras à mistura: pêra bêbeda  gelatina de ananás com frutos vermelhos  e bolachas de Granola (a publicar brevemente).
Pão de pirex de trigo sarraceno. Iogurtes de compra. Chá de cavalinha.

14 de fevereiro de 2012

Creme de lentilhas aromatizado com laranja e crutons


Para dias frios que nos levam a correr para casa à procura do aconchego e do calor. Para aqueles dias que queremos fazer uma sopa diferente. Para os dias em que se festeja um aniversário com sabor a laranja.

Ingredientes:
1 cenoura
1 batata
1 cebola pequena
1 dente de alho
100 gr. de lentilhas vermelhas cozidas
Sumo e raspa de 1/2 laranja pequena
Açafroa q.b.
Sal q.b.
Azeite q.b.
Pão do dia anterior

Preparação:
Tradicional:
Corte a cebola em gomos e esmague o alho, retirando-lhe a pele.
Leve a refogar em azeite até a cebola amolecer.
Junte a batata e a cenoura, descascadas e cortadas em cubos e as lentilhas.
Tape a panela e deixe suar os legumes durante cinco minutos.
Acrescente 1 litro de água quente, a açafroa e o sumo de laranja.
Tempere de sal.
Quando os legumes estiverem cozidos triture com a varinha mágica, rectifique os temperos e acerte a consistência do creme a seu gosto acrescentando água quente. Se acrescentar água fria o creme deve  levantar fervura novamente.

Bimby:
Coloque no copo a cebola em gomos, o alho esmagado e sem a pele, a batata e a cenoura descascadas e cortadas em cubos e as lentilhas.
Junte 1 litro de água, o sumo da laranja, a açafroa e um fio de azeite.
Programe: varoma/25 minutos/colher inversa/vel.1
Quando os legumes estiverem cozidos triture progressivamente nas velocidades 3-5-7.
Rectifique o tempero e a consistência do creme acrescentando água quente se necessário e misturando novamente, uns segundos na velocidade 5. Se acrescentar água fria deve programar: 100º/5 minutos/vel. 1.

Crutons:
Corte o pão em cubos e coloque-os numa frigideira. Regue com um fio de azeite e frite em lume médio virando-os frequentemente para tostarem de todos os lados. Polvilhe com a raspa de laranja e uns fios de açafroa.

Notas:
- Pode usar uma base de sopa que já tenha preparada e acrescentar as lentilhas e os temperos.
- Se a laranja deixar o creme adocicado contra balance o sabor com uma especiaria picante.
- Pode fazer os crutons no forno, ficarão mais estaladiços.

Com este "post" participo no passatempo do aniversário do blogue "Cinco Quartos de Laranja".

11 de fevereiro de 2012

Projecto marmita - Semana VI/2012



Lanche da manhã
Almoço
Lanche da tarde
Segunda-feira
1 pêra + 1 fatia de pão
1  maçã + 1 fatia de pão
Terça-feira
1 banana + 1 fatia de pão
Sopa de cozido + 1 pêra
Maçã cozida + 1 fatia de pão
Quarta-feira
1 kiwi + 1 fatia de pão
Arroz de frango malandro com nabiças + morangos
1 pêra + 1 fatia de pão
Quinta-feira
1 kiwi + 1 fatia de pão
Creme de couve-flor com espargos + 1 maçã
1 pêra + 1 fatia de pão
Sexta-feira
1 kiwi + 1 fatia de pão
1 banana + 1 fatia de pão


Na semana passada uma "crise de vesícula" impôs-me uma alimentação mais regrada durante uns dias. Por isso o almoço de domingo foi um cozido bem ligeiro, ou melhor, uma vitela cozida com batata, cenoura e arroz. Reservei a água da cozedura e para jantar fiz uma sopa com as batatas sobrantes, 1 cebola e 1 dente de alho esmagado. Depois de tudo cozido e triturado acrescentei um fio de azeite e um punhado de arroz e foi servida com vitela desfiada. Esta sopa bem aconchegante serviu duas deliciosas marmitas, a de segunda-feira e a de terça-feira.  Na quarta-feira, já mais fortalecida, uma marmita do jantar de véspera: arroz malandro de frango e nabiças e os primeiros morangos do ano (não muito saborosos, diga-se). Na quarta-feira à noite preparei um creme de couve-flor que além de servir as marmitas de quinta-feira e de sexta-feira, ainda sobrou para ser congelado numa em doses individuais para futuras utilizações. Assim tenho no congelador croquetes de carne e creme de couve-flor para os dias em que não queira ou não dê para preparar a marmita. O creme de quinta-feira foi enriquecido com espargos e floretes de couve-flor cozidos no vapor e o de sexta só com os floretes.

Pão de compra, que a disposição não deu para fazer o pão da semana. Descanso nos iogurtes: esta semana os lanches foram apenas fruta e pão. Chá de cavalinha.

10 de fevereiro de 2012

Creme de legumes com ervilhas e uma convidada especial para jantar



"No pátio, Clarissa senta-se nas bordas do tanque e começa a riscar com o dedo a superfície da água azulada. Escreve nomes. Clarissa, titia, Tonico, Dudu. Mas o brinquedo logo a enfastia. Com um tapa corta a água, que se encrespa em ondas minúsculas. Clarissa põe-se a rir: tem a impressão de que o céu dança, as nuvens dançam, a luz dança na água agitada...
De súbito começa a gritar e a correr, pondo em pânico as galinhas. Cacarejando, a bicharia foge, num bater de asas.
Cansada, Clarissa pára ofegante, deita-se no chão, de costas, à sombra de um pessegueiro. Como está morna a terra, e como é áspera e dura... Espreguiça-se. Tem as faces avermelhadas. sorri ainda. Os seus seios se agitam. Fica olhando, muito atenta para as formigas que vão e vêm em duas filas, longas, cada qual a carregar o seu fardo.
Será que as formigas têm língua como a gente? Oh! Claro que têm. Clarissa observa... De quando em quando duas formiguinhas - uma que vem, outra que vai - param, aproximam-se e ficam quietas por um instante uma na frente da outra. Que será que estão fazendo? Naturalmente conversando. E que dirão?
"Boa tarde, comadre."
"Boa tarde. Tem trabalhado muito?"
"Tenho. Veja só o que vou carregando nas costas."
"Oh! A senhora é muito forte..."
"Como vai a família?"
Quanta coisa se podem dizer as formigas...
(...)
Clarissa ergue os olhos.
Como está bonito o pessegueiro todo pintalgado de flores cor-de-rosa contra o céu azul! Através dos ramos, ela olha as nuvens que bóiam no ar, como frocos de algodão. Ou como velas de grandes navios?
Clarissa ergue-se com uma repentina vontade de correr mais, muito mais... Como é boa a vida, meu Deus! E este sol, este sol, este sol!"
                               in "Clarissa", Obras de Erico Verissimo, Colecção Literatura Universal, Ambar


Deparei-me com Clarissa ao virar da esquina, no corre corre de um dia movimentado da baixa do Porto. Ía a pensar para com os meus botões que já sentia saudades daquela correria de gente pelas ruas da cidade, tal qual formiguinhas e, nesse preciso momento, ao dobrar a R. de Stª Catarina para a Rua Formosa, dei de caras com ela. Por momentos ficamos estranhas, a reconhecer um olhar antigo mas sem saber de onde. Depois novamente a ideia das formiguinhas e... fez-se luz:
- "Clarissa! Há quanto tempo!"
O resto de Clarissa iluminou-se:
- Oh! Quase não te reconhecia... Estás diferente, mas ... igual. - Exclamou naquele sotaque cantante.
Rimos com alegria.
- Que bom encontrar-te! - continuou ela, e eu:
- Digo o mesmo. Acreditas que vinha aqui a pensar que as pessoas parecem formigas e de repente..."
Clarissa desatou numa gargalhada sonora. Gargalhada da menina que apreciava a natureza, o sol, os animais, que vibrava com uma flor, com um peixinho no aquário e com as formiguinhas atarefadas. Não me contive e ri também. Convidei-a para jantar para pormos a conversa em dia. O dia estava solarengo, mas frio. Achei que vinda do calor do Brasil para o frio deste inverno português uma sopa bem quente seria um manjar reconfortante. Quantas "formiguices" teríamos para contar ... !

O texto da "conversa das formigas" fazia parte de um dos meus livros de leitura da escola primária. Não sei exactamente o que nele me cativou, mas até aos dias de hoje ele vem-me à memória sempre que vejo um carreiro de formigas. Clarissa, foi assim, a minha primeira convidada deste projecto da Ana: "Convidei para jantar", em que todos os meses nos desafia a preparar um jantar para um convidado especial e que este mês deverá ser uma personagem de livros ou filmes.

 Ingredientes:
1 alho francês
100 gr de abóbora
1 cenoura pequena
2 dentes de alho
200 gr. de ervilhas
1 rodela de chouriço
1 caldo de legumes caseiro
Ervilhas tortas q.b.
Sal q.b.
Azeite q.b.



Preparação:
Tradicional:
Corte a parte branca do alho francês e a cenoura em rodelas e a abóbora em cubos.
Coloque os legumes numa panela, juntamente com as ervilhas, os dentes de alho esmagados, o chouriço e o caldo de legumes.
Cubra com água e leve a cozer em lume médio/forte.
Entretanto prepare as ervilhas tortas e coza ao vapor.
Estando os legumes da sopa cozidos triture-os com a varinha mágica (o chouriço também) até obter um creme macio sem vestígios da casca das ervilhas. Se necessário passe por um passador (eu gosto de utilizar o passador chinês).
Rectifique o sal e verifique a consistência do creme. Se necessário acrescente água quente a gosto e regue com um fio de azeite.
Se acrescentar água fria deverá deixar ferver novamente.
Sirva com as ervilhas tortas e bocadinhos de pão tostado com manteiga.
Bimby:
Corte a parte branca do alho francês e a cenoura em rodelas e a abóbora em cubos.
Coloque os legumes, juntamente com as ervilhas, os dentes de alho esmagados, o chouriço e o caldo de legumes no copo da bimby.
Acrescente um litro de água.
Coloque na varoma as ervilhas trotas.
Programe: varoma/25 minutos/colher inversa.
No fim, retire a varoma, coloque o copinho e triture 3-5-7-9 até obter um creme macio, sem vestígios da casca das ervilhas.
Rectifique o sal e verifique a consistência do creme. Se necessário acrescente água quente e misture na velocidade 5 durante alguns segundos.
Se acrescentar água fria programe: 100º/7 minutos/vel.1.
Regue com um fio de azeite e sirva com as ervilhas tortas e bocadinhos de pão tostado com manteiga.

4 de fevereiro de 2012

Projecto Marmita - Semana V/2012



Lanche da manhã
Almoço
Lanche da tarde
Segunda-feira
1 kiwi + ½ fatia de pão
Sopa de Espinafres + 2 croquetes + 1 pêra
1 iogurte caseiro com compota + ½ maçã + 1/2 fatia de pão
Terça-feira
½ maçã + ½ fatia de pão
Linguine com ervilha torta, tomate cereja, milho e mozarela + 1 pêra
1 iogurte caseiro com compota + 1 kiwi + 1/2 fatia de pão
Quarta-feira
1 kiwi + ½ fatia de pão
Linguine com legumes estufados e tofu + 1 pêra
1 iogurte caseiro com compota + 1 tangerina + 1/2 fatia de pão
Quinta-feira
1 tangerina + ½ fatia de pão
Sopa de espinafres + ½ maçã
1 iogurte caseiro com compota + ½ maçã + 1/2 fatia de pão
Sexta-feira
1 pêra+ ½ fatia de pão
Sanduíche caprese + manga
1 iogurte caseiro com compota + 1 tangerina + 1/2 fatia de pão


Segunda-feira: a sopa do jantar de domingo: espinafres. Mais 2 croquetes de carne que fiz na semana passada e congelei entretanto. Terça-feira Como o jantar de segunda-feira foi um prato de massa, cozi a mais e deu para distribuir por duas refeições: a primeira fez companhia a ervilhas tortas, tomate cereja, milho e mozarela e na quarta-feira acompanhou o estufado de legumes (a última dose). Quinta-feira repeti a sopa de espinafres e na sexta-feira, por força de falta de imaginação e preguiça, tinha planeado uma sanduiche caprese: tomate cereja cortado em metades, temperado com flor de sal, azeite e manjericão seco e fatias de mozarela, mas uma súbita rejeição à comida fez-me passar o dia a fruta e chá.

Mais um pão caseiro: trigo com jasmim e iogurtes também caseiros: naturais com compota de ameixa. Granola caseira.
Chá de cavalinha.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...