31 de Janeiro de 2012

Balanço tardio

Ano novo, vida nova. Diz-se. E lá vamos nós fazer balanços de vida e uma lista de coisas que nos propomos fazer no novo ano. Juramos que vamos fazer. Uma lista que se fica normalmente pela promessa bem intencionada. Mas não faz mal. Vale o reconhecimento que fazemos da nossa vida e do que de bom podemos e lhe queremos acrescentar. Importante é que no fim do ano não fique a frustração do que não foi feito. É que dias não são dias e dias de festa também não são todos os dias, muito menos o da passagem de ano. O ânimo de festa que nos leva a fazer tais promessas é próprio da época, por isso não se atormentem se as promessas não passarem disso, ou congratulem-se se a conseguiram cumprir pela metade, ou até por menos.

As despedida de 2011 e as boas-vindas a 2012 correram da melhor maneira. Mais uma vez pelos caminhos do nosso Portugal que nos levaram até ás alturas da Serra da Estrela com um sol fantástico. A sala de estar e de jantar da Casa do Balcão, nas Casas do Toural, em Gouveia, foi o palco para mais um brinde. Uma mesa cheia de amizade e iguarias. Algum do frio esperado por aquelas paragens, nada que uma lareira não resolvesse.

A quinta onde se alojam as Casas do Toural mereceu uma visita atenta. Passeamos pelos seus  cantos e recantos, aprendendo o que muito se pode fazer pelo ambiente com uma agricultura sã e sustentável.








Obrigatória foi a visita ao Museu Abel Manta. Surpreendente.



Calcorrear as ruas de Gouveia.



E a passagem pela Torre. Subir ao topo continental, admirar o horizonte e regressar.



Linhares da Beira marcou o final. Daí cada um regressou ao seu canto, aos seus dias mais ou menos corridos, em contagem decrescente para mais encontros destes.


Quanto a mim, este ano não fiz promessas. Quero apenas que cada dia corra pelo melhor possível. E se hoje não for um bom dia, sê-lo-á amanhã. Quero que os meus dias corram de mansinho na melhor das companhias que posso ter (D.). Quero ler muitos livros, ver muitos filmes, ouvir muita música. Quero trabalhar muito. Quero passear muito. Quero calcorrear as ruas da minha cidade e das outras que não são minhas. Quero cozinhar muito. Saborear cada garfada. Ah...e brincar com o novo ser de quatro patas que no dia 1 estreou o seu novo lar. Esta é a Nikita.



28 de Janeiro de 2012

Projecto Marmita - Semana IV/2012



Lanche da manhã
Almoço
Lanche da tarde
Segunda-feira
1 kiwi + 1 queque de milho
2 croquetes com arroz branco + 1 maçã
1 iogurte natural com granola + 1 pêra + 1 fatia de pão
Terça-feira
***
***
***
Quarta-feira
1 kiwi + 1 queque de milho
Omeleta de bacalhau + couve-flor cozida + ½ maçã+ 1 fatia de pão
1 iogurte natural + granola + ½ maçã + 1 fatia de pão
Quinta-feira
1 kiwi + 1 fatia de pão
Sopa de couve branca + 1 pêra
1 iogurte natural + granola + ½ maçã + 1 fatia de pão
Sexta-feira
1 pêra + 1 fatia de pão
Bife de Peru + Arroz de legumes de forno + ½ maçã
1 iogurte natural + granola + ½ maçã + 1 fatia de pão


Segunda-feira: croquetes de carne caseiros e arroz branco. Os croquetes são uma excelente forma de aproveitar sobras de carne cozinhada e podem ser enriquecidos a nosso gosto. Estes levaram ainda umas sobras de migas de broa e farinheira. Cerca de 280 gr. de carne (já cozinhada, resultado de sobras de cozidos e assados anteriores e guardados no congelador para este efeito), mais umas 80 gr. de migas renderam 18 croquetes. Para a sua confecção segui a receita que a Luisa Alexandra deixou no seu blogue. Nesta refeição falharam os legumes, mas uma salada tinha sido um rematar óptimo.
Terça-feira folguei e por isso só voltou a haver marmita na quarta-feira: uma omeleta feita pelo D., especialista na matéria, com sobras de bacalhau assado e salsa que foi acompanhada de couve-flor cozida temperada com azeite, vinagre balsâmico, alho em pó, flocos de malagueta e cominhos e levada a “tostar” no grill do micro-ondas. Quinta-feira foi a vez de uma sopa com couve-branca e na sexta-feira, para acabar mais uma semana, arroz de legumes de forno e bife de peru.

Finalmente o primeiro pão do ano: pão de trigo e espelta. Iogurtes de compra. Granola caseira.
Chá drenante (mistura de ervas).


27 de Janeiro de 2012

Muffins de milho e tomilho e uma lição



"Dorie às Sextas" lançou o segundo desafio: Corniest Corn Muffins. A escolha desta receita não me deixou entusiasmada por aí além, mas depois de magicar um pouco comecei a tecer algumas alternativas que me pareciam bem mais apetecíveis e a meu gosto. Uma versão doce e uma versão salgada. Fiz as anotações à receita para a adaptar aos ingredientes escolhidos. Arrisquei mesmo algumas substituições e, sem preparar a bancada de trabalho, comecei a juntar os ingredientes nas taças, uma olhadela distraída à folha, quantidades trocadas entre bicarbonato e fermento, um gesto mecânico, 1 chávena de buttermilk para metade das farinhas e deu-se o desastre. Uma fornada inteira de muffins intragáveis para o lixo. As distrações acontecem-me com alguma frequência, mas com este final foi a primeira vez. Estive quase para desistir, não fosse a oportunidade, dias mais tarde, de me dedicar umas horas só à cozinha e aos cozinhados. Esqueci ingredientes alternativos, reduzi a receita a metade para minimizar possíveis prejuízos e organizei-me: na bancada livre fui colocando taças, ingredientes e medidas. Li e reli a receita antes de avançar com cada gesto. Muffins no forno. Bancada limpa e o cheirinho a invadir a casa. Missão cumprida, lição aprendida: não se cozinha sem organização. E outra: não vale desistir.

Quanto aos muffins, afinal foram uma boa surpresa. Fofinhos, húmidos e deliciosos. Embora a Dorie refira no livro que no dia seguinte já não serão tão bons, aconselhando a congelá-los ou a comê-los torrados com manteiga, a verdade é que no dia a seguir estavam igualmente fofos. Acondicionei-os numa caixa de plástico bem fechada e guardei no frigorífico. Mais dois dias e bastou aquecer cerca de 15 segundos em potência média para ter um muffin como que acabado de sair do forno. Que bom que nasceu o "Dorie às sextas"!


Ingredientes:
1 chávena de farinha de trigo (usei extra fina)
1 chávena de fubá (usei farinha de milho amarela)
6 colheres de sopa de açúcar
2 1/2 de colher de chá de fermento em pó
1/4 de colher de chá de bicarbonato de sódio
1/2 colher de chá de sal
1 pitada de noz moscada (não usei)
1 chávena de buttermilk  (em alternativa: 1 chávena de leite + 1 colher de sopa de vinagre ou sumo de limão)
3 colheres de sopa de manteiga sem sal derretida e arrefecida
3 colheres de chá de óleo de milho
1 ovo L
1 gema de ovo L
1 chávena de milho (usei enlatado, bem escorrido e seco)
1 colher de sopa de folhinhas de tomilho ou alecrim (opcional)
Spray espiga para untar

Preparação:
Pré-aqueça o forno 180º e prepare forminhas para queques, untandos-as com manteiga e polvilhando com farinha ou untando com spray.
Se optar pelo buttermilk caseiro comece por deitar o leite morno numa taça de vidro e junte a colher de sopa de vinagre. Deixe descansar por 10 minutos.
Se utilizar ervas aromáticas pode misturá-las com o açúcar, esfregando com os dedos para que libertem o seu aroma.
Entretanto misture numa taça grande as farinhas, o açúcar, o fermento, o bicarbonato e o sal.
Numa tigela mais pequena misture o buttermilk, a manteiga, o óleo, o ovo e a gema e bata até obter uma mistura homogénea.
Verta a mistura de líquidos sobre a mistura de farinhas e, com a ajuda de uma espátula, envolva-os rapidamente, mas com suavidade.
Junte o milho e envolva.
Distribua pela forminhas e leve ao forno a cozer durante 15 a 18 minutos.
Faça o teste do palito e estando cozidos retire os muffins do forno e deixe arrefecer sobre uma grade durante 5 minutos antes de desenformar.

Notas:
- Fiz apenas meia receita, que rendeu 9 muffins, e para a qual usei apenas 1 ovo L.
- Utilizei folhinhas de tomilho-limão, mas confesso que não senti diferença no sabor. Talvez tivesse usado pouca quantidade.
- Ao contrário do que a Dorie indica, no dia seguinte os muffins estavam igualmente macios e húmidos.

24 de Janeiro de 2012

Granola



A granola é tão simples de fazer que é até espantoso. Pouco mais de 20 minutos são suficientes para termos em casa um acompanhamento delicioso para os iogurtes. Aveia ou flocos de outros cereais e sementes a gosto. Frutas secas ou não. Açúcar ou não. O mel e o azeite para fazerem a ligação. O forno para tostar e até torrar um bocadinho, só um bocadinho, para uma mistura crocante e saborosa.

(Fonte: No Soup For You)
Ingredientes:
180 gr. de flocos de aveia
70 gr. de sementes de abóbora
70 gr. de sementes de linhaça
1/4 de chávena de açúcar integral de cana (opcional)
40 ml de azeite
20 ml de mel
Passas e damascos secos q.b.
3 colheres de sopa de coco ralado


Preparação:
Pré-aqueça o forno a 160º
Numa tigela grande misture os flocos de aveia, as sementes e o açúcar.
Num tachinho misture o azeite e o mel e leve a lume brando, mexendo até o mel dissolver. Deixe arrefecer um pouco e verta sobre a mistura de flocos e semente e envolva muito bem. Se a mistura de mel e azeite já tiver esfriado pode apertar bocados da mistura com as mãos para que colem e apareçam pelo meio pedaços maiores e mais crocantes.
Cubra um tabuleiro de forno com papel vegetal e espalhe a mistura.
Leve a assar por 20 minutos, voltando a mistura com uma espátula a meio do tempo, para que os flocos não queimem (mas podem torrar um bocadinho...fica uma delicia).
A 5 minutos do fim junte as passas e os damascos cortados em bocadinhos.
Retire do forno, polvilhe com o coco ralado, envolva e deixe arrefecer.
Guarde num frasco hermético e em local seco.

21 de Janeiro de 2012

Projecto Marmita - Semana III/2012



Lanche da manhã
Almoço
Lanche da tarde
Segunda-feira
1 pêra + 1 fatia de pão de chocolate
Sopa lavradeira + uvas
1 iogurte natural + uvas + granola
Terça-feira
Uvas + 1 fatia de pão
Gratinado de legumes + 1 tangerina
1 iogurte natural + 1 kiwi+ granola
Quarta-feira
1 kiwi + 1 fatia de pão de chocolate
Legumes estufados + 1 tangerina + ½ pão torrado
1 iogurte natural + granola + 1 pêra
Quinta-feira
1 pêra + 1 fatia de pão
Gratinado de legumes + 1  tangerina
1 iogurte natural + granola + ½ maçã
Sexta-feira
½ maçã + 1 fatia de pão
Massa com Brócolos e tomate + 1 tangerina
1 iogurte natural + granola + 1 pêra


Mais uma semana de relativa preguiça. Não há meio de recomeçar com o pão e iogurtes caseiros.
Desta vez as marmitas excluíram por completo a carne e o peixe. Os vegetais reinaram.
Sábado à noite fiz uma sopa lavradeira (mas sem a massa) que deu para a marmita de segunda-feira.
Na terça-feira improvisei um gratinado de legumes com mais umas sobras de legumes cozidos (cenoura, batata, brócolos e couve-flor, salteados em azeite com louro e malagueta, polvilhados com cebola desidratada e salva seca e que foram depois gratinar ao forno numa mistura de natas de soja e queijo ralado). Rendeu 2 marmitas. É a vantagem destes aproveitamentos, rendem sempre mais se re-utilizados do que se forem simplesmente aquecidos.
Quarta-feira o estufado de legumes que havia congelado na semana passada.
Quinta-feira a última dose do gratinado de legumes.
Sexta-feira um linguine cozido acompanhado de brócolos e tomate, temperada com um fio de azeite e sal aromatizado com tomate seco.

Ainda umas fatias de pão de chocolate que estavam no congelador e o restante pão e os iogurtes de compra.
Chá drenante (mistura de ervas).

19 de Janeiro de 2012

Pudim de pão e maçã



Esta semana as receitas de pão são a estrela desta cozinha. Talvez por o pão ser um dos meus alimentos preferidos que qualquer receita que o envolva me deixe de água na boca. Se tem pão é bom de certeza, é o que penso de imediato. Fui coleccionando receitas de pudins de pão. Comecei por um pudim de Verão que começou por me encher os olhos no "Pratos e Travessas". Adorei. Fiquei a pensar para quando nova oportunidade. Este nasceu de umas fatias de pão para rabanadas de leite que se desfizeram de tão molhadas que estavam, mas os ingredientes básicos para um pudim de pão como este são os seguintes:

Ingredientes:
Pão do dia anterior q.b.
1 chávena de leite
2 ovos
Açúcar a gosto
2 maçãs grandes (ou mais dependendo da quantidade de pão)
Uvas Passa q.b.



Preparação:
Numa tigela misturar o leite, os ovos e o açúcar.
Partir o pão em fatias com cerca de 1 cm ou 1,5 cm de grossura e espalhar num tabuleiro de forno
Verter a mistura de leite sobre o pão e reservar durante 20 a 30 minutos.
Entretanto descasque as maçãs e corte-as em cubos.
Polvilhe o pão com as uvas passa e espalhe por cima as maçãs.
Polvilhe com  açúcar e eleve ao forno pré-aquecido a 180º até a superfície se apresentar com um tom dourado.

17 de Janeiro de 2012

Migas de espinafres


Um acompanhamento simples, mas delicioso. Pode usar espinafres ou até brócolos ou couve-flor e tem a vantagem de aproveitar aquele pão que ficou do dia anterior e parece que ter os dias contados.
Ingredientes:
Pão do dia anterior - usei 2 pãezinhos de mistura
1/2 cebola
1 dente de alho
100 gr. de espinafres cozidos e espremidos (pode utilizar congelados)
Azeite q.b.
Sal q.b.

Preparação:
Tradicional:
Pique finamente a cebola e o alho (na bimby: 5 seg./vel.5).
Desfaça o pão em migalhas (acrescente o pão partido em pedaços no copo da bimby e triture 10 seg./vel.5, tendo em atenção que o pão deve ficar em migalhas e não ralado).
Unte uma frigideira com azeite, aqueça em lume médio e junte a cebola e o alho.
Quando a cebola estiver dourada acrescente o pão e os espinafres.
Envolva tudo com a colher de pau. Acrescente mais azeite sempre que necessário, tempere de sal e vá mexendo até o pão fritar.
Sirva como acompanhamento.

14 de Janeiro de 2012

Projecto marmita - Semana II/2012



Lanche da manhã
Almoço
Lanche da tarde
Segunda-feira
1 kiwi + 1 fatia de bolo de chocolate
Creme de espinafres com tofu + 1 pêra
1 iogurte natural + 1 banana + 1 fatia de pão
Terça-feira
1 kiwi + 1 fatia de bolo de chocolate
Bulgur com carne assada e cenoura+1 tangerina
1 iogurte natural + 1 banana + granola
Quarta-feira
1 tangerina + 1 fatia de pão
Sopa de espinafres + sandes de carne assada + 1 pêra
1 iogurte natural + granola + 1 kiwi
Quinta-feira
1 tangerina + 1 fatia de pão
Estufado de legumes + 1 kiwi
1 banana + 1 fatia de pão c/ marmelada
Sexta-feira
1 kiwi + 1 fatia de pão
***
1 pêra + 1 fatia de pão


Para começar: há uma nova página na cozinha: a das receitas da marmita. Lá estarão as receitas de algumas refeições que trago. Apenas de algumas, já que a maior parte resulta da improvisação semanal ou diária.

No Domingo começaram os preparos para as marmitas da semana: a carne assada do almoço foi acondicionada numa caixa para ir ao frigorífico. Iria servir 2 refeições minhas e 2 do D. e ainda congelei uma fatia para mais tarde fazer uns rissóis ou croquetes. Para a sopa habitual do jantar optei pelos espinafres, mas como fiz em pouca quantidade (deu só 3 doses) acabei por servir a base grossinha como creme de legumes e ao que sobrou acrescentei 100 gr. de espinafres já cozidos e fiz um creme para a marmita de segunda-feira, a que acrescentei uns quadradinhos de tofu preparados segundo as instruções da embalagem. Acabei por fazer nova dose de base de sopa, que deixei bem grossa e guardei no frigorífico. Guardei também à parte os restantes espinafres cozidos. Preparei ainda uns legumes estufados com tofu que renderam 3 doses, 2 imediatamente congeladas e outra aguardou no frigorífico para ser utilizada durante a semana.
Na terça-feira 1/8 de chávena de bulgur cozido com água e uma colher de sopa do molho de assado de carne misturado com carne assada cortada em pedacinhos e cenoura também do assado de domingo.
Na quarta-feira serviu-me a base de sopa que havia guardado. Retirei uma concha de sopa para um tacho pequeno, acrescentei igual quantidade de água e alguns dos espinafres reservados. Mexi e deixei levantar fervura. Estava pronta a marmita. Como ainda havia carne e estava a prever que não a comeríamos toda tirei uma fatia pequena para uma sandes com pão de girassol.
Na quinta-feira foi a vez dos legumes estufados com tofu (cebola, cenoura, cogumelos, curgete, tomate pelado e tofu).
Sexta-feira, para variar, almocei em casa que assim me permitiu o serviço.

Pão e iogurtes de compra.
Chá de cavalinha e chá drenante (mistura de ervas).

13 de Janeiro de 2012

Dorie às Sextas - Bolo de Chocolate e Armagnac



Foi assim que tudo começou: a Mariana (autora blogue Caos na Cozinha) e a Patricia (autora do Miosotiis - Peças Únicas) entusiasmaram-se com o "Tuesdays with Dorie". Palavra puxa palavra, palavra passa palavra e nisto passaram à acção e  a Mariana criou o projecto "Dorie às Sextas". E o que é o "Dorie às Sextas"? Nas palavras das suas criadoras:

"Inspirado no projecto Tuesdays with Dorie, o Dorie às Sextas propõe, duas vezes por mês, receitas do livro Baking, de Dorie Greenspan. 


Junte-se quem vier por bem e por paixão partilhada pela cozinha e pela Dorie.
Não gostamos de grupos com muitas regras nem muitas obrigações. Aqui junta-se quem quiser, cozinha quem quiser e publica quem quiser. Tem mais piada se formos muitos e falarmos sobre o assunto, mas cada um é livre de decidir se o quer ou não fazer.


Regras:
1. Idealmente, os membros terão o livro. Mas como não somos fãs de regras e proibições, poderão não ter.
2. Não há obrigação de fazer e publicar (em facebook ou blog) todas as receitas. Mas quantos mais melhor e quanto mais aberta a discussão melhor.
3. As receitas podem sofrer todas as alterações que o cozinheiro quiser. E encoraja-se a partilha dos casos de sucesso e de fracasso.".

A primeira receita escolhida foi o "Bolo de Chocolate e Armagnac" que valeu a Dorie o despedimento do restaurante onde trabalhava em Nova York por motivo de "insubordinação criativa". É que da lista de sobremesas do restaurante constava um bolo de chocolate com amêndoa, passas e whiskey, uma variação de um bolo da autoria de Simone "Simca" Beck e a Dorie, num momento de inspiração, resolveu fazer algumas alterações à receita original.
Bom, então o desafio foi lançado: desde recriar o bolo pura e simples ou criar uma nova versão, tudo é permitido.  
Nesta minha primeira incursão pela cozinha de Dorie Greenspan optei por trabalhar com os ingredientes que tinha em casa e que sabia serem do agrado de todos. Apenas substituí as nozes por avelãs, mantive as passas e o whiskey do bolo original e usei um chocolate de amêndoa e laranja da Lindt (passo a publicidade) com a validade já perto do fim.
Como sempre, nestas coisas onde há a liberdade de alterar, fico sempre na dúvida entre duas ou três opções e aqui além das frutas e licores e frutos secos a utilizar, fiquei também na dúvida se faria um bolo só ou vários bolinhos. Acabei por fazer um pequenino, em dose individual (ver fim do post) e um bolo maior.



Então aqui vai:

Ingredientes:
Para o bolo:
2/3 de chávena de nozes finamente picadas (usei avelãs)
1/4 de chávena de farinha
1/4 de colher de café de sal
12 ameixas (usei 1/8 de chávena de sultanas)
1/4 de chávena de água + 3 colheres de sopa
1/4 de chávena de armagnc (usei whiskey)
200 gr. de chocolate meio amargo (usei Lindt com amêndoa e laranja)
100 gr. de manteiga
3 ovos grandes, separadas as gemas e as claras (usei 1 ovo e 2 claras)
1/3 chávena de açúcar

Para a cobertura:
100 gr. de chocolate meio amargo (usei um pouco menos do mesmo Lindt)
3 colheres de sopa de açúcar em pó (não usei)
3 colheres de sopa de manteiga (só usei 1)
1 colher de sopa de whiskey


Preparação:
Tradicional:
Pré-aqueça o forno a 190º (pré-aqueci a 180º) e unte uma forma de aro amovível com manteiga, forre o fundo com papel vegetal e unte o papel. Reserve. Nota - usei uma forma de fundo amovível, porque a de aro me pareceu grande para a quantidade de massa.
Numa taça misture as avelãs, a farinha e o sal. Reserve.
Coloque as sultanas e 1/4 de chávena de água num tacho pequeno e leve a lume médio até a água quase desaparecer.
Retire o tacho do lume, acrescente o whiskey e com todo o cuidado flambeie as sultanas. Assim que as chamas se apagarem, transfira as sultanas e o liquido para uma tigela para que arrefeçam (pode fazer esta operação no dia anterior e deixar a tigela coberta e á temperatura ambiente).
Numa taça coloque o chocolate partido em bocados, a manteiga (reserve 1 colher de sopa para a a cobertura) e três colheres de sopa de água. Leve a derreter em banho-maria ou no micro-ondas, neste caso usando a potência máxima em tempos de 30 segundos de cada vez, mexendo entre eles com uma colher de pau. Assim que o chocolate continua a derreter no calor da taça, já não volta ao micro-ondas. Continue a mexer até estar completamente derretido.  
Numa taça grande bata as gemas com o açúcar até obter uma mistura esbranquiçada.
Usando uma espátula misture aos ovos o chocolate, de seguida am mistura de farinha e avelãs e finalmente as sultanas e o liquido respectivo.
Bata as claras em castelo. Misture um quarto das claras na massa do bolo e, gentilmente, envolva as restantes claras.
Deite a massa na forma untada .
Leve a cozer em forno pré-aquecido a 190º (180º no meu forno) durante 28 a 32 minutos, ou até o bolo estar firme no topo e as beiras a separarem-se dos bordos da forma. Faça o teste do palito.
Transfira a forma para uma rede e deixe arrefecer durante 10 minutos. Com cuidado remova o aro da forma e deixe arrefecer totalmente antes de colocar a cobertura:
Leve o chocolate a derreter em banho-maria ou no micro-ondas.
Assim que estiver derretido retire-o do calor e com a ajuda de uma espátula, misture o açúcar e de seguida a manteiga, aos poucos, até obter um chocolate brilhante. Nota - a preguiça das preguiças fez-me saltar estes passos. Derreti o chocolate com a manteiga no micro-ondas e espalhei sobre o bolo sem nenhuma técnica especial. Claro que o chocolate não ficou brilhante, mas como tinha as amêndoas e era menos do que o necessário para cobrir todo o bolo acabou por lhe dar um final interessante.

Bimby:
Usando a bimby não precisamos de bater as claras em separado: no copo coloque os ovos inteiros e o açúcar e programe 5 minutos/37º/vel. 3.
Findo esse tempo volte a programar 3 minutos/vel. 3 sem temperatura.
De seguida junte o chocolate, entretanto derretido (ver acima), misturando na mesma velocidade e as farinhas: 20 seg./vel.3
Envolva as sultanas e o liquido com a espátula.

As minhas notas:
- usei manteiga caseira (natas batidas na bimby segundo instruções do livro base)
- Embora tenha optado pelo whiskey, que combina muito bem com chocolate, e uma vez que utilizei um chocolate com aroma de laranja poderia ter usado, em vez do whiskey, Cointreau ou outro licor de laranja (tenho um licor com rum que teria ficado muito bem).
- Outra opção que ponderei foi o de utilizar cerejas cristalizadas e licor de ginja, fica para uma próxima, tal como ficará para uma próxima a receita original da Dorie, já que o bolo ficou mais que aprovado.

O tal bolinho:
Antes de o levar ao forno roubei uma concha de sopa da massa e verti para um ramequim que havia previamente untado de manteiga, levado ao frigorífico por uns 10 minutos, voltado a untar e polvilhado de cacau em pó. Cobri com película aderente e levei ao congelador. No dia seguinte aqueci o forno a 160º e coloquei o ramequim directamente do congelador. Deixei cozer por 15 minutos, desenformei e servi com um creme feito de queijo creme e iogurte (2 colheres de sopa de cada, batidas com 2 colheres de chá de açúcar) e refrigerado antes de servir. Este bolinho ficou mais fofo que o bolo maior.


11 de Janeiro de 2012

Legumada picante com lentilhas e ovo escalfado


Os estufados são sempre pratos reconfortantes. Pelo menos para mim. Têm o calor que afasta os dias frios. Têm todo o sabor que a terra nos oferece a cada estação. Como acompanhamento ou só. Assim, sem mais nada. Ou com um pedaço de pão, a minha companhia imprescindível em todas as refeições. Ou enriquecidos com um ovo escalfado, como esta legumada a que acrescentei ainda o atrevimento de um travo picante de malagueta.

Ingredientes:
½ chávena de lentilhas vermelhas
1 ovo
1 cebola pequena
1 dente de alho
1 tomate
1 cenoura
150 grs. de cogumelos
½ pimento vermelho
100 ml de vinho tinto
1 colher de café de flocos de malagueta
1 colher de chá de orégãos e manjericão secos
Sal q.b.
Azeite q.b.
Vinagre q.b.

Preparação:
Comece por cozer as lentilhas em água e sal durante 10 minutos. Coe a água e reserve.
Prepare os legumes:
Pele o tomate, retire as sementes e corte-o em cubos.
Descasque a cenoura e corte em rodelas grossas.
Limpe os cogumelos com papel de cozinha e corte-os em fatias.
Lave e retire as sementes ao pimento e corte em cubos.
Pique a cebola e o dente de alho e, em lume médio, refogue no azeite até a cebola estar translúcida.
Junte os restante legumes, os temperos, o vinho e ½ copo de água.
Deixe estufar lentamente, até os legumes estarem macios, mas firmes.
Junte as lentilhas, envolva e deixe ferver mais 3 minutos.
Rectifique os temperos.
Coloque um tacho de água ao lume com um golpe de vinagre branco.
Parta cuidadosamente o ovo para uma taça pequena, deixando a gema intacta e reserve.
Quando começar a ferver mexa a água rapidamente com o fuet até formar um remoinho e com todo o cuidado despeje o ovo no centro. Continue a mexer, com cuidado, de forma a que clara não se espalhe muito na água. Deixe cozer o ovo por 3 a 4 minutos e retire-o com uma escumadeira para um prato forrado com papel de cozinha e seque-o com cuidado.
Deite os legumes e as lentilhas no prato, coloque o ovo, polvilhe-o com mais flocos de malagueta a gosto e acompanhe com fatias de pão torrado.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...