29 de setembro de 2010

Gelatina de Laranja


Esta gelatina fresquinha veio da cozinha da Fernanda, lá do outro lado do oceano, e já andava aqui nos "para fazer" há tempo suficiente para finalmente a experimentar, até porque com o calor (já vêm que este post tem andado aqui meio esquecido...) o que sabe bem é o que é fresco e esta sobremesa preenche os requisitos. Fiz com laranjas, mas estou ansiosa por experimentar a versão limão.

Ingredientes:
1 laranja (sumo e raspa)
1 chávena de iogurte natural
4 gr. de agar-agar
Adoçante a gosto

Preparação:
Esprema o sumo da laranja e acrescente água em quantidade suficiente para obter uma chávena de liquido.
Deite num tacho, juntamente com a raspa da laranja e o agar-agar.
Leve ao lume e deixe ferver, misturando bem.
Retire do lume e acrescente o iogurte, batendo com uma vara de arames.
Adoce a gosto. A Fernanda aconselha que se utilizar açúcar o deverá juntar ao liquido que vai ao lume, para dissolver.
Verta para uma forma, ou várias formas pequenas, previamente passadas por água fria.
Leve ao frigorífico até solidificar.

27 de setembro de 2010

Uma refeição rápida para a Argas e para Belinha


Em resposta ao desafio lançado pelas queridas Argas e Belinha Gulosa, aqui fica a minha sugestão de uma sopa, um prato principal e uma sobremesa para uma refeição prática e nutritiva. Todas as receitas já foram aqui publicadas, pelo que deixo o respectivo link:

Sopa:


http://decozinhaemcozinha.blogspot.com/2010/07/creme-de-ervilhas-com-aroma-de.html
Esta sopa é uma delicia, embora reconheça que na hora de a reduzir a puré seja um pouco mais trabalhosa, mas quem tiver a Bimby tem a tarefa facilitada.

Prato principal:


http://decozinhaemcozinha.blogspot.com/2010/08/peixe-ao-vapor-em-arroz-de-mariscos-e.html
Tem a vantagem de não sujar muita louça: um só tacho para toda a refeição e ao temperar o peixe com as ervas aromáticas, dispensa o uso do sal, o que só traz vantagens para a saúde.

Sobremesa:


Este é o principio de uma infinidade de combinações. Os dias ainda têm as suas horas de calor a pedir frescura e ainda há fruta de Verão a colorir a mesa.

23 de setembro de 2010

Mousse de curd de laranja e iogurte



Tinha ainda curd de laranja no frigorifico que sobrou daqui. Como estava a apetecer uma sobremesa fresca e citrica,  fiz uma busca pelos blogues e dei com esta receita da Colher-de-Pau, que a tinha ido buscar, por sua vez, à cozinha da Pipoka e que até já estava na minha lista de "a fazer".  Aqui fica agora na minha cozinha e façam o favor de se servirem. 


Ingredientes:
80 gr. de curd de laranja
1 iogurte grego
1 colher de chá de mel
1 folha de gelatina
1 colher de sopa de doce de laranja inteira
2 bolas de gelado de nata (de compra)
Chantilly q.b. (usei em spray)
Lascas de amêndoa q.b.

Preparação:
Numa taça grande misture o curd, com o iogurte e o mel.
Demolhe a gelatina e derreta no microondas, sem deixar ferver.
Junte ao preparado de curd e misture bem.
No fundo de cada taça individual coloque um pouco de doce de laranja inteira.
Distribua o curd pelas taças e leve ao congelador por cerca de 1 hora antes de servir.
Retire do congelador e coloque em cada taça uma bola de gelado de nata.
Cubra com chantilly e polvilhe com lascas de amêndoa.

22 de setembro de 2010

Tostas de enchidos



Ingredientes:
Chouriços vários q.b.
Cebola q.b.
1 dente de alho
Salsa e tomilho fresco q.b.
Fatias de pão
Maionese q.b.

Preparação:
Pique os enchidos, a cebola, o alho, a salsa e o tomilho.
Junte maionese aos poucos, só o suficiente para ligar os ingredientes sem fazer uma pasta.
Distribua o preparado pelas fatias de pão e leve ao forno a gratinar.

20 de setembro de 2010

Legumes ao forno com ovo


Se a uns não apetece comer e outros apetece, mas não sabem o quê. Não faz mal, abre-se a porta do frigorífico e começa-se a tirar isto e aquilo. Tudo colocado ao lado do fogão, vamos a ver o que a mão vai tirando e o que vai sair daqui.

Ingredientes:
1/2 cebola
1/4 de farinheira
2 dentes de alho
4 batatas cozidas
80 gr. de folhas de espinafre congeladas
1 mão cheia de tomate-cereja
Alho francês q.b. (rama verde)
Queijo q.b. (neste caso um manchego vindo de Toledo)
Azeite q.b.
Vinho branco q.b.
1 ponta de piri-piri
1 folha de louro
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de farinha
250 ml de leite
2 ovos

Preparação:
Coza a farinheira. Deixe arrefecer e retire-lhe a pele.
Descongele as folhas de espinafres (no micro-ondas) e escorra bem.
Numa frigideira aloure a cebola cortada em meias luas, o alho picado e a rama do alho francês cortada em pedaços, juntamente com o piri-piri e o louro.
Quando a cebola estiver transparente refresque com vinho branco e deixe apurar. Junte os tomatinhos partidos a meio e os espinafres.
Envolva bem. Se necessário acrescente um pouco mais de vinho e deixe evaporar completamente.
Retire a folha de louro e reserve.
Numa assadeira pequena coloque, no fundo, as batatas às fatias. Espalhe por cima o salteado de legumes e por cima destes a farinheira esfarelada e o queijo ralado no momento.
Cubra com molho bechamel:
Ferva o leite.
Num tacho deite a manteiga e deixe derreter em lume brando.
Acrescente a farinha e mexa rapidamente até ter absorvido toda a manteiga (o dito roux).
Vá juntando o leite a pouco e pouco, deixando entre cada junção que se misture bem com o roux.
Mexa em lume brando até engrossar e espalhe sobre os legumes.
Abra duas pequenas concavidades entre os legumes e sobre cada uma delas parta um ovo.
Leve ao forno pré-aquecido a 180º.

17 de setembro de 2010

Doce de Ameixa Vermelha e Uvas Moscatel - mais uma compota



Mais um doce, este de ameixa e uvas e também incluído rol dos favoritos, logo a seguir ao doce de pêssego.

Ingredientes:
400 gr Ameixas vermelhas
100 gr de uvas Moscatel
250 gr de açúcar gelificante

Preparação:
Retire as grainhas às uvas e descaroce as ameixas. Partas-as em pedaços.
Deite todos os ingredientes na cuba da MFP e programe "compotas".
Ao fim de uma hora tem um doce fantástico que fará uma excelente companhia a qualquer tosta ou scone.

16 de setembro de 2010

Douradinhos mais saudáveis


Não é uma receita, como é óbvio, mas apenas uma dica.
Embora evite os fritos, pelas razões já de todos conhecidas, de vez em quando lá vêm eles para a mesa numa refeição mais simples e rápida. Normalmente guardo no congelador uma embalagem de bolinhos de bacalhau de boa qualidade (algumas marcas destes produtos são simplesmente para esquecer, em vez de bolinhos de bacalhau deveriam chamar-se bolinhos de batata com cheirinho a bacalhau) e uma de panadinhos de peixe, vulgo "douradinhos". 
Claro que a questão da fritura se resolve pela utilização do forno, mas a confecção torna-se mais demorada e dispendiosa, especialmente se estamos a falar em quantidades pequenas, por isso um dia destes em que queria aproveitar um par de douradinhos que ainda restava na embalagem para o almoço do dia seguinte, resolvi testar o micro-ondas para o efeito: douradinhos no prato, sem adição de qualquer gordura e 3 minutos em potência média, viramos os panadinhos e mais 3 minutos.
O resultado foi óptimo: ficaram suculentos e sem a gordura acrescida do óleo de fritar.

15 de setembro de 2010

Mousse de requeijão, laranja e chocolate branco com curd de laranja



Laranjas que sobre e calor a gosto, só pode dar em muita laranjinha fresca à mesa. Acrescente-se-lhe a preocupação com a linha e a vontade de comer e temos uma sobremesa light. A base de cereais faz lembrar o cheesecake, mas o requeijão faz toda a diferença em relação ao queijo creme. De qualquer modo pode sempre dispensar a base crocante e ficar-se apenas pela mousse e pelo curd, que é uma delicia, e que adaptei daqui.

Ingredientes:
Para a mousse:
50 gr. de cereais dietéticos sem açúcar
20 gr. de manteiga
1 requeijão
1 iogurte natural açucarado
100 gr. de chocolate branco em barra
1 laranja (sumo)
Adoçante q.b.
2 folhas de gelatina

Para o Curd:
2 laranjas
1 colher de sobremesa de farinha maizena
1/8 chávena de açúcar.
1 ovo

Preparação:
A Mousse:
Triture os cereais e junte-lhe a manteiga até obter uma massa de migalhas compactas.
Distribua pelo funda das taças, compactando bem e leve ao frigorífico.
No processador misture o requeijão, o iogurte e o sumo da laranja.
Parta o chocolate em pedaços e leve ao microondas a derreter: em potência média mexendo a cada 30/40 segundos. Assim, que o chocolate se começar a dissolver completamente enquanto vai mexende não o volte a colocar no microondas.
Junte ao preparado anterior e processe mais um pouco.
Demolhe as folhas de gelatina em água fria, esprema e derreta no microondas, sem deixar ferver. Misture na mousse.
Distribua a mousse pelas taças e leve ao frio até solidificar.

O curd:
Coe o sumo das laranjas.
Reserve um pouco para dissolver a maizena.
Junte o ovo e o açúcar ao restante sumo e mexa bem com a vara de arames. Junte-lhe a maizena e leve a lume brando, mexendo sempre com a vara de arames até levantar fervura e começar a engrossar. Não deixe entrar em ebulição.
Retire do lume. Deixe arrefecer e espalhe uma camada de curd sobre as mousses.
Se restar algum curd, guarde no frigorífico, em frasco esterilizado, e use para servir com gelado, crepes, para recheios ou coberturas de bolos, etc.


Esta quantidade serviu para 2 taças e ainda sobrou um pouco que distribuí pelas cascas intactas das metades da laranja. Desenformei, depois, uma das metades, puxando a casca com cuidado e coloquei sobre a outra metade, formando a laranja inteira. É uma forma interessante de servir esta mousse se tiverem laranjas com casca firme e bonita.

14 de setembro de 2010

Uma salada surpreendente - Melancia, Milho e Oregãos ou Melancia, Milho e Coentros


Fiquei bastante curiosa com esta salada apresentada pela Moira, no seu Tertúlia de Sabores. Embora goste de misturar a fruta nas saladas e da mistura do doce/acre que daí resulta, não conseguia imaginar qual o sabor que resultaria desta salada em que impera a doçura da melancia e do milho temperada pela acidez do vinagre e o sabor acentuado dos coentros.


Numa primeira versão (1ª foto) usei apenas a melancia, o milho e Oregãos da Serra de Tavira, tendo apreciado tanto esta combinação que acabei por experimentar a versão mais aproximada da original, substituindo os oregãos por coentros frescos picados (2ª foto). Como estas saladas eram apenas para mim, não usei sal, que dispenso em qualquer salada, e usei apenas umas gotinhas de vinagre de cidra. O resultado foi, numa e outra versão, uma salada bem refrescante e uma boa surpresa ao paladar.

13 de setembro de 2010

Lulas Estufadas



Ingredientes:
1 kg de lulas inteiras e limpas
1 cebola
1 cenoura
1 dente de alho
1/4 chouriço
1 lata de tomate em pedaços
1 folha de louro
1 baga de piri-piri
sal q.b.
Azeite q.b.

Preparação:
Pique a cebola, o alho e o chouriço. Corte a cenoura às rodelas.
Deite tudo num tacho largo, juntamente com o louro e o piri-piri, regue com um fio de azeite e deixe refogar. Quando a cebola começar a ficar translúcida acrescente todo o conteúdo da lata de tomate.
Deixe levantar fervura e junte as lulas.
Começando a ferver, reduza para o mínimo e deixe estufar. Acrescente água se necessário.
Acompanhe com arroz branco.

10 de setembro de 2010

Doce de figo


3º round de experiências com compotas. Desta vez experimentei o microondas, mas usando o açúcar gelificante e confesso que não fiquei muito fã. Experimentei uma pequena quantidade de fruta: 250 gr. e em cerca de 10 minutos (em potência elevada) o doce estava pronto, mas demasiado espesso. Para além disso, os figos ainda são uma novidade recente para mim e achei que esta compota requeria menos açúcar. É que o doce dos figos acrescido do açúcar dá demasiado doce para o meu gosto, porém terá sido essa doçura que me trouxe à lembrança o doce de abóbora e logo a seguir a sua excelente combinação com o requeijão. Não tendo requeijão em casa, barrei uma fatia de pão com queijo-creme e por cima deste o doce de figo e digo-vos que ficou excelente. O senão é que, tal como com o doce de abóbora, vou comer até não poder ouvir sequer falar em doce de figo e requeijão...mas não faz mal, para já consolo-me e para o ano estarei curada e pronta para outra dose.

Ingredientes:
250 gr de figos pingo de mel
125 gr de açúcar gelificante
Sumo de 1/2 limão
1 cálice de Vinho do Porto

Preparação:
Lave e corte os figos em pedaços.
Num recipiente refractário alto misture todos os ingredientes e leve ao microondas: usei a potência máxima e  com esta quantidade de fruta em dez minutos estava o doce mais que pronto.
De 5 em 5 minutos mexa o doce para que a fruta coza uniformemente.
Distribua o doce por frascos esterilizados e delicie-se.


Nota: Desta experiência resultaram as seguintes conclusões:
- Para usar açúcar gelificante com este método deve ser acertada a combinação potência/tempo do microondas; 
- A MFP é o método mais confortável para fazer compotas, mas em termos de resultado o fogão, usando o açúcar gelificante, vence. 

9 de setembro de 2010

Salada de quinoa e pêra em vinagreta de mel e tomilho


Esta salada nasceu da necessidade de consumir umas pêras já maduras. Lembrei-me de uma sugestão de uma Blue Cooking antiga de umas pêras assadas com tomilho e vinagreta de mel, que são uma delicia, mas estas já estavam demasiado maduras para irem ao forno, por isso adaptei a receita e introduzi-a numa salada.


Ingredientes:
2 pêras maduras
Rúcula q.b.
1 Tomate
1 Cebola 
1 Pimento pequeno
1/2 Pepino
Quinoa q.b.
3 colheres de sopa de azeite
2 colher de sopa de sumo de limão
1 colher de café de Mel
2 raminhos de Tomilho
Sal q.b.

Preparação:
Prepare a quinoa (calculei uma chávena de café por pessoa) conforme instruções da embalagem e reserve.
Descasque as pêras e parta em pedaços médios. Coloque num recipiente refractário e junte-lhe a cebola em gomos e o pimento em cubos.
Prepare a vinagreta: misture muito bem o azeite, o sumo de limão, o mel e o sal.
Regue a pêra com esta vinagreta, envolva e coloque por cima os ramos de tomilho.
Leve ao micro-ondas em potência média por 3 a 4 minutos. Reserve.
Prepare a salada: lave todos os ingredientes, retire as sementes ao tomate e parta-o, bem como ao pepino, em cubos.
Disponha a rúcula no fundo de uma saladeira e por cima o tomate e o pepino.
Coe as pêras, cebola e pimento (reservando a vinagreta a que se misturou o sumo largado pelas pêras durante a cozedura) e disponha por cima da salada.
Rectifique os temperos da vinagreta, acrescentando, se quiser, azeite para um molho com mais emulsão e regue a salada.
Sirva de imediato, uma vez que a pêra irá largar mais sumo.

8 de setembro de 2010

Tremidinho de pêssego



Ingredientes:
1 embalagem de gelatina de pêssego
500 ml de água
1 iogurte natural
2 pêssegos
2 colheres de chá de açúcar



Preparação:
Descasque os pêssegos e corte-os em pedaços pequenos.
Coloque-os numa tigela juntamente com o açúcar e leve ao micro-ondas por 3 minutos em potência média.
Ferva 250 ml de água e junte a gelatina. Mexa até dissolver. Acrescente a água fria e reserve.
Distribua os pêssegos pelo fundo de várias taças ou formas individuais e adicione a gelatina apenas o suficiente para os cobrir. Leve ao frigorífico até solidificar.
Entretanto, misture o iogurte à gelatina restante. Mexa com a vara de arames se necessário.
Quando a gelatina com o pêssego solidificar, acrescente esta com o iogurte e volte a levar ao frigorífico.

7 de setembro de 2010

Figos com molho de iogurte e amêndoa e geleia de vinho do Porto


Mais uma conquista de paladar. Até hoje, figos ... nem vê-los. Mas depois de tanta receita ver pela net  e de tanto ver comer figos com um prazer desmedido, o desprezo que sentia por esta fruta transformou-se em tão forte curiosidade que acabei por ceder à tentação. A primeira trinca foi uma experiência, tímida e surpreendente, nuns figos pingo de mel tão pequeninos que misturei numa terrina de frutas assadas com vinho do Porto, açúcar e canela. Admirada por não me terem provocado qualquer espécie de aversão, muito pelo contrário, decidi avançar para uma experiência mais arrojada. 

Ingredientes (2 doses):
2 figos por pessoa + 2 para o molho
1 iogurte natural açucarado
1 colher de sopa bem cheia de raspas de amendoa
1/2 chávena de vinho do Porto
1/4 chávena de açucar gelificante

Preparação:
Leve o vinho a lume médio. Quando começar a ferver, junte o açúcar e mexa. Conte 3 minutos a partir da nova fervura e desligue. Reserve.
No liquidificador bata o iogurte, com a amêndoa e 2 figos inteiros.
Deite o preparado numa taça e leve ao congelador por uma hora a hora e meia - Sugestão: se puder preparar de véspera, faça um gelado em vez do molho - veja este  da Gasparzinha.
No momento de servir, retire a mousse do congelador e envolva novamente com um garfo.
Em cada prato coloque 2 figos cortados a meio e regue cada metade com um pouco de geleia de vinho.
Distribua por cada prato o molho de iogurte e a restante geleia.
O resultado foi surpreendente. Venham mais figos...

6 de setembro de 2010

Dourada no Forno com laranja


Mais uma vez a dourada. É o nosso peixe favorito, seja assado no forno ou na brasa. Desta vez, para ir dando vazão às muitas laranjas que por aqui ainda andam, foi ao forno em cama de laranja e legumes. A foto é que, enfim, não faz jus ao prato saboroso que saiu do forno, mas isto de fotografar peixe tem que se lhe diga, ai tem sim senhor. Para não desfear a fotógrafa vamos fingir que a douradinha era muito bonita ao natural mas não era muito fotogénica, está bem?

Ingredientes:
1 dourada
1 laranja
1 cebola
1 tomate maduro
rama de alho francês
1/2 copo de vinho branco
1 colher de café de massa de pimentão
3 dentes de alho
1 folhas de louro
Alho em pó q.b.
Sal q.b.
Azeite q.b.
Batatas q.b.

Preparação:
Acame no centro de um tabuleiro de forno ou de uma assadeira a cebola, o tomate, a rama do alho francês e 1/2 laranja, tudo cortado às rodelas.
Lave e descasque as batatas e corte-as em quartos. Distribua-as pelas bordas do tabuleiro e tempere-as de sal.
Dê um golpe em cada lado do lombo da dourada e em cada golpe nele coloque um dente de alho esmagado e na barriga mais um dente de alho e a folha de louro.
Faça uma marinada com o vinho, o sumo de 1/2 laranja, alho em pó e massa de pimentão. Tempere a dourada com sal e pouse-a sobre os legumes do tabuleiro. Regue com a marinada.
Leve a forno pré-aquecido a 180º e deixe assar, vigiando o molho para não secar. Se necessário acrescente água.
Sirva numa travessa rodeada das batatas e coberta pelos legumes.

3 de setembro de 2010

Geleia Tutti-frutti


Vai fazer salada de fruta? Mas não vai deitar fora as cascas, pois não? Pois é, na natureza só se perde o que deitamos fora sem aproveitar todas as utilidades. Já dizia Lavoisier : "Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma".

Se a sobremesa hoje é salada de fruta, vamos pondo de lado as cascas das maçãs, das ameixas, das pêras e dos pêssegos, do ananás e de tudo o mais que lhe aprouver descascar. Junte os caroços das ameixas numa boneca de musseline. Coloque tudo num tacho e cubra com água. Leve a lume médio. Assim que as cascas estiverem bem cozidas, coe. Agora sim, livre-se das cascas e caroços. Pese o liquido obtido e volte e deitá-lo no tacho. Junte açúcar (usei açúcar gelificante) numa proporção de metade do peso do liquido obtido. Leve de novo ao lume. Começando a ferver conte 3 minutos e desligue. Deixe arrefecer e distribua a geleia por frascos de tampa hermética e esterilizados. Pode utilizá-la para humedecer os bolos de fatia, necessitando, nesse caso, de a dissolver ao lume brando com um pouco de água.
Enquanto a geleia estiver quente vai-se apresentar liquida, mas arrefecendo adquire a consistência desejada:


2 de setembro de 2010

Doce de pêssego


Enquanto há fruta variada e fresca vamos aproveitar para fazer umas compotas. Nunca faço em grandes quantidades porque gosto de diminuir na dose de açúcar e depois a conservação não é tão longa quanto o esperado, embora até à data, utilizando a proporção de metade do peso da polpa em açúcar, tenha conseguido manter as compotas em bom estado durante largos meses no frigorífico. De qualquer modo, como só praticamente eu as consumo, faço sempre doses menores. Felizmente, hoje em dia as inovações da cozinha (utensílios e produtos) permitem-nos simplificar e reduzir o tempo de preparação e confecção destas gulodices e não temos, como o faziam as nossas mães e avós, que estar horas de volta do fogão de colher-de-pau em punho. Ora vejam:

I - A primeira compota do ano (que não foi aqui publicada) foi a de morango e foi feita na MFP. Ficou um pouco liquida, o que se poderia ter resolvido com mais uma programação, mas decidi não o fazer, porque assim tinha também um belíssimo toping de morango para os gelados e crepes. A vantagem da MFP é que não nos preocupamos com uma vigia constante do tacho.

II - A segunda compota é esta de pêssego e utilizei o açúcar gelificante que adquiri à Dina do Flor de Tavira. Fiquei rendida: o processo acaba por ser bem mais simples e rápido. Em vez de ferver a fruta com o açúcar até atingir o ponto desejado, cozemos a fruta (no caso dos pêssegos juntei água, até porque não estavam muito maduros, mas para frutas mais sumarentas poderá não ser necessário), trituramos, ou não, com a varinha mágica e só então juntamos o açúcar. Assim que começar a ferver contamos três minutos e está pronto o doce.

III - E de cozinha em cozinha fui, ainda, encontrar este método (que hei-de-testar) utilizado pela Moira: fazer a compota no micro-ondas - rápido e económico. Será para a próxima.

Quanto à conservação das compotas: depois de prontas e frias há que acondicionar em frascos de tampa hermética e devidamente esterilizados. Normalmente lavo o interior dos frascos e tampas com álcool e deixo escorrer sobre papel de cozinha, mas também pode lavar os frascos na máquina de lavar louça de onde os deve retirar apenas antes de os utilizar ou fervê-los em água durante dez minutos.
No dia em que estou a escrever este post para posterior publicação a Luísa Alexandra partilhou uma dica muito interessante: congela as compotas e vai depois usando apenas a quantidade que precisa (assim sendo acho que vou começar a fazer os doces em maior quantidade).


Ingredientes:
600 gr. de pêssegos maduros
250 gr. de açúcar gelificante
Água q.b.

Preparação:
Pele os pêssegos, retire o caroço e parta-os em pedaços.
Leve um tacho a lume médio com os pêssegos e cerca de 1 chávena de água.
Deixe cozer, acrescentando água se necessário.
Triture, ou não, com a varinha mágica. Eu trituro sempre um pouco deixando alguns pedaços para se sentirem no meio do doce.
Quando a fruta estiver cozida, acrescente o açúcar. Assim que recomeçar a ferver conte três minutos e desligue. O doce está pronto.
Distribua por frascos herméticos esterilizados.

1 de setembro de 2010

Pudim de Pêssego, Tomilho e Gengibre


Depois do pudim de morango e manjericão, outras combinações se impunham. Que o diga a Babette que logo se pôs a fazer pudins estrondosos a fazer-me crescer água na boca e a atiçar-me a imaginação, por isso segue este para a lista: pêssego temperado com tomilho e gengibre.

Ingredientes:
1 embalagem de gelatina de pêssego
250 ml de água
1 raminho de tomilho
1 pedaço de gengibre fresco com cerca de 1 cm sem casca
1 iogurte natural
1 pêssego


Preparação:
Ferva a água com o tomilho e o gengibre. Deixe descansar por 5 minutos.
Retire o tomilho e o gengibre e dissolva a gelatina nessa infusão.
Pele o pêssego, retire-lhe o caroço e triture-o no liquidificador juntamente com o iogurte.
Junte a gelatina e misture.
Verta o preparado para formas ou taças individuais, previamente passadas por água fria e leve ao frigorífico até gelatinarem.
Antes de servir passe as formas por água quente e desenforme.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...