segunda-feira, 31 de Maio de 2010

Pão de milho tostado / Paté de Bacalhau

Mais um Domingo de sol. Mais um dia de churrasco.
Estrela da refeição: dourada na brasa com batata a murro. O peixe estava irrepreensível. Temperado de véspera com bastante limão e esfregado generosamente com sal antes de ir à brasa. A batata era demasiado pequena para a acompanhar na grelha, por isso foi assada no forno com a casca e depois regada com o usual azeite fervido com alho, louro e tomilho, ao qual se acrescentaram mais dois dentes de alho picados (atenção: acrescente o alho picado com o azeite já morno, caso contrário vai queimar o alho).
E enquanto esperamos, vamos enganando o estômago:

- 2 pataniscas de bacalhau do dia anterior, partidas em quadrados (cuja receita hei-de publicar mais tarde);
- Pimentos Padron (não tem nada que saber: salteiam-se em azeite quente até a pele estalar - mas não queimar - polvilham-se com sal e servem-se. O resto é conhecido: "unos pican y otros no"!)
- Paté de Bacalhau:

Ingredientes (a olho e a gosto):
Bacalhau cozido e desfiado
Maionese (se for caseira tanto melhor)
1/2 cebola nova
1 dente de alho
1 pitada de sal fino
Salsa

Preparação:
Pique finamente a cebola e o alho.
Numa tigela deite a cebola, o alho, o bacalhau e a maionese.
Vá misturando com um garfo, esmagando bem os ingredientes, não a ponto de ter uma pasta mole, mas sim  consistente, onde consiga sentir ainda a textura do bacalhau e da cebola.
Tempere de sal, se necessário.
Acrescente salsa bem picada e volte a misturar com o garfo.

- Pão de milho tostado com salsa:

Ingredientes:
3 fatias de pão de milho (utilizei pão feito na MFP, mas pode usar broa de milho ou outro pão a gosto)
2 dentes de alho
Azeite q.b.
Sal q.b.
Salsa q.b.

Preparação:
Parta o pão em cubos.
Esmague os alhos, retire a pele e leve ao lume forte com o azeite numa frigideira larga.
Assim que o alho começar a tostar junte o pão.
Vá revolvendo o pão com uma colher de pau para dourar de todos os lados. Tempere de sal e polvilhe com salsa picada.
Sirva ainda quente ou misture, frio, numa salada.

sexta-feira, 28 de Maio de 2010

2ª ronda das favas - Entrecosto com chouriço e favas


Este é um prato típico para confeccionar as favas. Enriquecido com os enchidos torna-se um prato bastante forte para estômagos mais comedidos. Se for o seu caso escolha enchidos com sabores mais suaves e menos gordura.

Ingredientes:
900 gr de entrecosto partido em pedaços pequenos
400 gr de favas descascadas
300 gr de chouriço
1 cebola
4 dentes de alho
1 folha de louro
1 malagueta seca
Vinho branco q.b.
Azeite q.b.
Sal q.b.

Preparação:
De véspera tempere o entrecosto com sal e reserve-o numa marinada feita com vinho branco, 3 dentes de alho partidos, o piri-piri e o louro. 
No dia retire o entrecosto da marinada, reservando o liquido e seque-o com papel de cozinha.
Pinte o fundo de um tacho largo com azeite. Aqueça-o bem e frite o entrecosto.
Retire os pedaços de carne para um prato e mantenha-o ao lado do fogão.
No azeite e gordura libertada pelo entrecosto (se não for suficiente acrescente um pouco mais de azeite) refogue a cebola e os chouriços (usei 1/2 moura e 1/2 de porco preto).
Volte a colocar no tacho o entrecosto e regue com o liquido da marinada. Acrescente água e verifique o tempero.  
Deixe ferver e acrescente as favas. Fervendo novamente reduza para o mínimo e deixe cozinhar.

quarta-feira, 26 de Maio de 2010

Paté de Sardinha



Quando vi esta receita de paté de sardinha na cozinha da Elvira não resisti em experimentar e logo no fim-de-semana seguinte foi a entrada que servi no almoço de Domingo. Ficou simplesmente delicioso.

Ingredientes:
100 gr. de manteiga com sal à temperatura ambiente (utilizei apenas 80 gr.)
1 colher de chá de concentrado de tomate
1 lata de sardinhas de conserva em azeite
Whisky
1 pitada de malagueta moída
Salsa picada q.b.
Sal q.b.
Pimenta moída no momento q.b. (não usei)

Preparação:
Escorra a lata de sardinhas.
Coloque a manteiga cortada em pedaços, a pasta de tomate e as sardinhas no copo da varinha mágica.
Acrescente o whisky, a malagueta, o sal e a pimenta.
Triture tudo até obter uma pasta homogénea.
Adicione parte da salsa e misture com um garfo.
Acondicione o paté em tacinhas ou ramequins e alise com um garfo.
Polvilhe com a restante salsa.
Cubra  com película aderente e leve ao frigorífico, retirando 10 a 15 minutos antes de servir.

segunda-feira, 24 de Maio de 2010

Almoçar no Escritório - Conchas com Pato e Maçã



Ingredientes:
Pato desfiado q.b.
Massa concha q.b.
1 maçã Fuji
3 pimentos Padron
1/4 de cebola
Azeite q.b.
Molho de soja q.b.
Vinagre balsâmico q.b.

Preparação:
Coza a massa em água  e sal.
Numa frigideira aqueça o azeite e aloure a cebola cortada em fatias fininhas. Junte os pimentos e a maçã partida em cubos grossos. Salteie.
Tempere com molho de soja.
A maçã e a cebola vão adquirir um tom caramelizado.
Junte o pato. Envolva bem e tempere com umas gotinhas de vinagre balsâmico.

sexta-feira, 21 de Maio de 2010

Crumble de Cerejas e Morangos com Gelado de Baunilha


No último fim-de-semana, em passeio por Resende e arredores, comprei uma caixa de cerejas numa banca de beira de estrada. Uma caixa com cerca de 2 quilos de cereja miúda e madura. Foram as primeiras deste ano e fiquei radiante. Adoro cerejas. A cor, o sabor, a forma e a memória - quem, em menina, nunca usou brincos de cerejas? 
Pena serem tão frágeis e termos que as comer em curto espaço de tempo, mas  como disse a vendedeira: isto começa-se a comer e vão umas a trás das outras. E as que não forem havemos de lhe dar destino: para hoje a sobremesa é um crumble de cereja e morangos com gelado de baunilha.
Não é a minha primeira experiência com gelados caseiros. A receita que usava era mais trabalhosa. Esta resultou de uma pesquisa pela blogosfera de várias receitas de gelado caseiro, onde encontramos uma enorme variedade de modos de fazer o mesmo, com diversos ingredientes. Acabei por decidir aventurar-me e experimentar uma mistura com os  que mais me agradassem, ou seja, com menos calorias possível e sem ovos.

Ingredientes:
Para o crumble:
Farinha integral q.b.
Aveia q.b.
Açúcar mascavado q.b.
Manteiga q.b.
Cerejas e Morangos q.b.

Para o gelado:
2 iogurtes naturais açucarados (ou simples)
200 ml de natas
100 gr de açúcar (ou 10 gr. de adoçante)
1 colher de chá de aroma de baunilha

Preparação:
O crumble:
Lave os morangos e retire os pedúnculos.
Lave as cerejas e retire os pedúnculos e caroços.
Espalhe a fruta numa assadeira pequena ou pirex e polvilhe com açúcar (dispensei este açúcar, gosto do sabor ácido e doce da fruta).
Numa tigela misture as farinhas e o açúcar mascavado - Esta receita foi feita a olho, mas  pode usar a proporção de igual quantidade de farinha e aveia e metade da quantidade dos ingredientes secos em  açúcar e manteiga. 
Junte a manteiga fria em pedaços e com as pontas dos dedos misture todos os ingredientes, esfarelando até ter uma massa esmigalhada.
Cubra a fruta com este preparado e leve ao forno pré-aquecido a 200º por cerca de 30 minutos.

O gelado:
Comece por bater as natas até ficarem bem consistentes.
Misture os iogurtes com o açúcar e o aroma de baunilha. 
Junte metade das natas e envolva com cuidado para as natas não perderem volume.
Verta o preparado para um recipiente com tampa e leve ao congelador.
Passado duas horas, retire o gelado e com um garfo ou com batedeira envolva novamente de forma a quebrar todos os cristais de gelo que se tenham formado nas beiras do recipiente. 
Repita esta operação mais uma ou duas vezes, ou mais - quanto mais vezes o fizer mais macio fica o gelado. Cerca de quinze minutos antes de os servir retire do congelador.

A nossa sobremesa:
Encha uma taça com o crumble ainda morno e por cima coloque uma bola de gelado de baunilha.
Delicie-se com esta mistura quente e fria, suave e crocante, de sabor doce e ácido.

quinta-feira, 20 de Maio de 2010

Arroz de enchidos



Ingredientes:
1/2 chouriço da vossa preferência
1/2 morcela
1 cebola pequena
1 dente de alho
1 folha de louro
Arroz q.b.
Água q.b.
Azeite q.b.
1 colher de café de açafrão

Preparação:
Num tacho de barro faça um refogado ligeiro com o azeite, a cebola picada, o dente de alho esmagado, a folha de louro e os enchidos cortados em pedaços pequenos.
Acrescente a água em quantidade necessária para o arroz e deixe ferver. Tempere de sal.
Acrescente o arroz.
Quando começar a ferver junte o açafrão, mexa e regule o fogão para o mínimo.
Quando não existir água à superfície do arroz, desligue. O calor do barro vai acabar a cozedura.

quarta-feira, 19 de Maio de 2010

Frango e Favas


A Primavera é sempre um festim para os olhos e paladar. Nos jardins e terraços as plantas crescem a olhos vistos e as flores começam a desabrochar umas atrás das outras, numa  explosão de cor que nos alerta os sentidos adormecidos do cinzento do Inverno. Nas hortas e quintais as mais variadas hortaliças, leguminosas
 e frutos atingiram o crescimento e estão prontos para serem arrancados à terra e servidos nas nossas mesas. Depois de alguns meses a abrir sacos de ultracongelados, é um regalo vê-los frescos nas bancas dos mercados. Eles são os morangos, as ervilhas de quebrar, as favas, o ruibarbo e tudo o mais que a partir daí até ao fim do Verão a natureza nos der. O impulso para comprar é imediato e nem se pensa duas vezes no trabalho de descascar umas favas viçosas e muito menos depois de, aqui no culinarium da blogosfera, deliciarmos os olhos com pratadas delas, deliciosamente acompanhadas. E eu que não achava piada nenhuma às favas. Mais um sabor conquistado e um paladar enriquecido. E tantas receitas de favas vi, que chegou a mesma vez de as trazer à minha cozinha.
O primeiro prato foi um frango guisado com as ditas e outros legumes.

Ingredientes (para 2 pessoas)
2 peitos de frango
200 gr de cenoura baby
100 gr de cogumelos brancos
200 gr de favas descascadas
1 fatia de bacon
1 cebola
3 dente de alho
1 folha de louro
Polpa de tomate q.b.
Vinho branco q.b.
Azeite q.b.
Sal q.b.

Preparação:
Com cerca de 1 hora a 30 minutos de antecedência, limpe os peitos de frango de todas as gorduras que encontrar e corte em pedaços de tamanho médio. Coloque-os num recipiente e tempere com sal, 2 dentes de alho partidos e vinho.
Limpe os cogumelos e retire-lhes o pé.
Num tacho refogue, em azeite, a cebola partida em meias luas, o alho esmagado e o bacon, juntamente com a folha de louro.
Quando a cebola estiver transparente, acrescente o frango, reservando a marinada, e deixe alourar de todos os lados.
Acrescente as cenouras e os cogumelos.
Deixe alourar mais um pouco e  junte o liquido coado da marinada, polpa de tomate e água até quase tapar os ingredientes. 
Acrescente as favas, reduza o lume para o mínimo e deixe cozinhas até o frango e os legumes estarem macios, mas não desfeitos.
Para acompanhar este prato é imperativo uma boa fatia de um pão rústico a seu gosto.

Dicas de Nutrição: As favas são ricas em fibras e manganésio, sendo uma boa fonte de hidratos de carbono e  de baixo valor calórico. De preferência devem ser consumidas com alimentos ricos em hidratos de carbono, uma vez que esta combinação favorece o fornecimento de aminoácidos essenciais ao nosso organismo. Fontes:http://www.alimentacaosaudavel.org/favas.html e http://vitaminaline.blogspot.com/2010/05/alimento-da-epoca-favas.html

segunda-feira, 17 de Maio de 2010

Almoçar no escritório - Peixe salteado com migas


Já uma vez aqui comentei que preparo os meus almoços nos dias de trabalho. Por vezes resumem-se a uma sopa, outras vezes são as sobras do jantar simplesmente aquecidas, outras vezes "recicladas" e outras vezes são refeições preparadas propositadamente. Seja como for, procuro incluir sempre muitos legumes e variar nos ingredientes tanto quanto possível, embora haja sempre um outro que se vai repetindo. 
A proposta que se segue é uma reciclagem de umas sobras de peixe cozido.

Ingredientes (para 1 refeição):
1 posta de peixe cozido
1 batata cozida
4 cogumelos brancos
5 tomates-cereja
1/2 cebola
1 dente de alho
1 fatia de pão (um canto rejeitado de um pão de cereais feito na MFP)
Azeite q.b.
Oregãos
Sal aromatizado com tomate seco

Parta os cogumelos em fatias finas e a batata em pequenos cubos.
Retire a pele e espinhas do peixe.
Parta os tomates em metades.
Numa frigideira deite um fio de azeite, o alho bem picadinho e a cebola igualmente picada.
Vá mexendo até a cebola estar bem embebida no azeite. Acrescente os cogumelos partidos em fatias finas, a batata em cubos e o peixe. Vá envolvendo, deixando alourar.
Entretanto, molhe o pão em água. Retire-o e esprema bem. Esfarele-o sobre o salteado.
Continue a mexer envolvendo. Deixe tostar um pouco e acrescente os tomates. 
Tempere com sal aromatizado e oregãos.
Deixe arrefecer e guarde num recipiente próprio para o microondas.
No dia seguinte é só aquecer. Não se esqueça de levar uma peça de fruta para a sobremesa e de beber muita água durante o dia.

Dicas: os cogumelos não são um ingrediente habitual nas refeições lá de casa. De vez em quando lá os incluo num estufado ou num arroz malandro ou então numa salada como esta. No entanto, quer seja em lata, quer sejam frescos sobram sempre. Quando utilizo os de lata verto o restante conteúdo para um frasco de vidro, quando os compro frescos preparo-os, limpando e retirando os pés e levo a ferver cobertos de água com sumo de um limão. Deixo arrefecer no tacho e depois guardo - cogumelos e liquido respectivo - num frasco esterilizado.

domingo, 16 de Maio de 2010

Sanduíche quente



Com esta receita pretendia reciclar umas sobras de um cozido à portuguesa fazendo uma bôla, mas por falta de quantidade suficiente de ingredientes fiz pouca massa para o efeito. Então decidi dividir a massa em três porções e rechear cada uma delas com as sobras do cozido, fazendo não uma bôla, mas três sanduíches.
A receita para a bôla foi a que aprendi aqui. Publico a receita integral, sem as reduções que fiz para as sanduíches.

Ingredientes:
250g de farinha trigo (utilizei farinha de milho)
2 ovos
½ dl de leite
1 colher de sopa de  azeite
1 colher de sopa de  margarina
1 colher de café de colorau
20g de fermento padeiro
sal
250g de carnes, fumados diversos e legumes que sobraram de um cozido
1 ovo para pintar (não utilizei)

Preparação:
Abre-se a farinha numa superfície lisa e deitam-se todos os ingredientes, com excepção dos do recheio. Trabalha-se a massa como se fosse pizza e até fazer véu. 
Divide-se a massa em três pedaços, unta-se um tabuleiro e espalha-se a primeira camada de massa, juntam-se os ingredientes do recheio. Coloca-se mais uma camada de massa, uma de recheio e finalmente a última de massa.
Vai ao forno pré-aquecido a 180º.

sábado, 15 de Maio de 2010

Temperos e Aromas

Novidades na minha cozinha:

Já o tenho há algum tempo e tenho-o utilizado sobretudo para temperar saladas e legumes grelhados.
Sal com tomate seco vindo dos "Segredos & Cozinha":



Mais recentemente, dos produtos Gourmet Laço chegaram estes à minha cozinha (da esquerda para a direita):

Sal aromatizado com tomilho, alecrim, louro e oregãos
Café aromatizado com cacau
Açucar aromatizado com rosas
Crema di Limoncello
Chá preto com gengibre e limão
Compota de Abacaxi com gengibre e hortelã


sexta-feira, 14 de Maio de 2010

Medalhões de pescada no forno com legumes e molho de coentros


Hoje trago mais uma receita saudável adaptada do livro "Receitas para viver melhor lidando com o Colesterol".
A receita original apresenta uns filetes enrolados. Como não tinha filetes, optei por uns medalhões de pescada que é coisa que tenho sempre no congelador para uma refeição mais rápida.

Ingredientes (para 2 doses):
2 medalhões de pescada
1 cenoura
1 cebola
1 tomate
1 alho francês
0,4 dl de leite
1 colher de sopa de farinha Maizena
Coentros q.b.
Sal q.b.
Pimenta q.b. (cá em casa substituímos sempre a pimenta por piri-piri)
1 folha de louro
1 dente de alho

Preparação:
Tempere os medalhões com sal e pimenta a gosto e deixe marinar no leite, juntamente com o alho e o louro, durante 20 a 30 minutos.
Entretanto ao forno leve uma assadeira com a cebola cortada em meias luas, a cenoura às rodelas, o alho francês em tiras (a parte branca do talo) e o tomate em pedaços e sem sementes, tudo regado com um fio de azeite.
Acrescente o peixe, regue com a marinada e deixe assar.
Quando estiver pronto recolha o suco do assado para um tachinho e acrescente leite até perfazer 0,4dl de líquido (reserve um pouco para dissolver a farinha e, uma vez dissolvida, junte-a de novo ao líquido para o molho). Deixe ferver em lume brando mexendo sempre até engrossar. Acrescente os coentros e regue o peixe com este molho.

quarta-feira, 12 de Maio de 2010

Kefir - uma novidade na minha cozinha



Kefir - este pedaço de "flor do iogurte" ou de "cogumelo do iogurte", como é vulgarmente conhecido,  foi-me dado pela minha mãe, a quem por sua vez tinha sido oferecida por uma amiga. Estes grãozinhos são uma colónia de lactobacilos e leveduras que fermentam no leite, vegetal ou animal, à temperatura ambiente, dando origem a uma bebida idêntica ao iogurte, com um sabor ligeiramente ácido. 

Os benefícios para a saúde prendem-se essencialmente com o seu efeito probiótico, eliminando organismos nocivos à membrana intestinal e aparelho digestivo. Tem também uma grande quantidade de vitamina D e é rico em cálcio que, por se apresentar sob a forma de cristais, é melhor absorvido pelo organismo.

Os grãos de kefir devem ser guardados em recipientes de vidro, à temperatura ambiente e destapados (cobertos apenas com uma mousseline ou um guardanapo para proteger do pó e insectos), o qual se enche até cerca de 2/3 da sua capacidade com leite. Deixa-se fermentar durante 24 horas (ou mais) e, findo esse tempo, coa-se a bebida com um passador não metálico e sem espremer os grãos. A bebida está pronta e pode ser consumida de imediato ou guardada no frigorífico por cerca de cinco dias, não esquecendo que a acidez vai aumentando ao longo desse tempo. E o que fazer aos grãos de kefir? Recomece tudo de novo: lave o recipiente, coloque nele novamente os grãos e acrescente o leite.
Nunca utilize recipientes ou utensílios de metal.

Se não gostar do gosto ácido faça um batido com a sua fruta favorita (sem os grãos, claro). Eu tomo-o ao pequeno-almoço misturado com fruta, normalmente kiwi, e uma colher de sopa de muesli.

O kefir é matéria viva, por isso, como qualquer matéria viva, cresce. Quando a quantidade que tiver for mais que suficiente para o proveito que tem está na altura de partilhar.

Leia mais aqui: 
E encontre receitas aqui:
e aqui: 
e em muitos mais sitios da blogosfera. Faça a sua pesquisa.

Almoçar no escritório - Frango grelhado com migas

Mais um almoço rápido e nutritivo para ajudar a enfrentar as horas de trabalho. Desta vez não há foto porque se perdeu algures entre os bytes do computador ou talvez num clique de "delete", não sei bem.

Ingredientes:
Para o frango:
1 peito de frango
1 laranja
1/2 copo de vinho branco
1 dente de alho
Sal q.b.
1 pontinha de malagueta

Para as migas:
Pão q.b.
Azeite q.b.
1 dente de alho
1/2 cebola
1 colher de chá de massa de pimentão
Salsa q.b.
Couve-flor cozida q.b. (a couve-flor aparece aqui como aproveitamento, pode excluí-la ou substituí-la por outro ingrediente a gosto)

Preparação:
O frango:
Num recipiente coloque o peito de frango limpo de gorduras.
Tempere de sal, junte o alho esmagado, a malagueta, a laranja às rodelas e regue com o vinho. Deixe a marinar pelo menos trinta minutos.
Corte-o em pedaços.
Pincele o grelhador com um pouco de azeite e grelhe o frango até estar dourado.

As migas:
Demolhe o pão em água.
Numa frigideira deite um golpe de azeite, 1 dente de alho esmagado e a massa de pimentão.
Quando o alho dourar junte o pão grosseiramente desfeito com as mãos e a couve-flor partida em raminhos pequenos. Vá envolvendo com a ajuda da colher de pau até formar uma massa consistente (ou mais ou menos consistente). 
Uma vez que não utilizei qualquer liquido para moldar as migas, estas ficam um pouco mais secas e dificilmente se conseguem enrolar como as tradicionais, mas ficaram deliciosas.



Nutrição: 
Frango - carne rica em proteínas e com menor teor de gordura. É importante que seja ingerido sem a pele, onde se concentra a maior quantidade de gordura saturada.Laranja: elevado teor de água e baixo teor calórico. Rica em vitamina C, ácido fólico, potássio e magnésio. A fibra encontra-se entre a casca e polpa (a “parte branca” da laranja, que rejeitamos muitas vezes). Alho: vitaminas B6, potássio, fósforo e magnésio. Cebola: crómio, fibra;  vitaminas C, E, ácido fólico, B3 e B6, potássio, fósforo, cálcio e magnésio, ferro, cobre, crómio, manganésio e molibdénio.Pão: rico em hidratos de carbono, contém ainda proteína, vitaminas do complexo B (B1, B2, B6 e niacina)  e minerais - fósforo, magnésio, potássio e sódio e um baixo teor de lípidos. Quanto menos refinada for a farinha, mais rico é o pão em vitaminas, minerais e fibra alimentar. Salsa: valor energético muito baixo, sendo constituída maioritariamente por água. Baixo teor de hidratos de carbono, proteínas e gordura e elevado teor em vitaminas A e C e ácido fólico. Azeite: é composto quase exclusivamente por lípidos (99,9%), na sua maioria ácidos gordos monoinsaturados. Elevado teor de vitamina E e polifenóis. 

segunda-feira, 10 de Maio de 2010

Migas com Couve Galega em vinho tinto


Domingo de sol é domingo de churrasco e de petiscos e bom vinho. Venha lá quem vier e mesmo que não venha ninguém.
No fogão cozem as batatas novas com casca. Assim que o garfo espeta desliga-se o fogão e coa-se a água da cozedura.
A brasa está acesa naquele ponto certo, nem muito forte, nem muito fraca. À grelha vão as batatas inteiras e com pele e a acompanhar uma morcela deliciosa comprada no fim-de-semana anterior na Feira da Primavera. Entretanto na cozinha, preparo uns pimentos Padron, simplesmente salteados em azeite e umas migas para aproveitar um pão de centeio já duro.

Migas:
Ingredientes:
2 pães de centeio duros
Àgua q.b.
Azeite q.b.
1 dente de alho
Couve galega cegada (vulgo, caldo verde) q.b.
1 tira de bacon
1/4 copo de vinho tinto
Sal q.b.

Preparação:
Amoleça o pão em água.
Numa frigideira aqueça o azeite com o dente de alho esmagado e o bacon cortado em pedacinhos. Quando o dente de alho estiver dourado, junte o pão, escorrido e desfeito. Envolva no azeite e no bacon e acrescente a couve. Tempere de sal. Junte o vinho aos poucos e vá moldando as migas. Se necessário acrescente um pouco de água ou, melhor ainda, caldo de legumes. 

A mesa aperalta-se: a morcela está pronta, os pimentos também. Juntamos as migas e mais pão de centeio fresquinho. No copo um Vinha Grande de 2006 faz as honras do convívio. Os costeletões de boi vão agora à brasa. As batatas estão no ponto. Falta esmurrá-las e regá-las com o azeite onde ferveram dois dentes de alho esmagados, uma folha de louro e um raminho de tomilho e a que, depois de coado, se acrescentou mais dois dentes de alho grosseiramente picados.


sexta-feira, 7 de Maio de 2010

Tarte de legumes


Esta receita foi retirada do livro "Receitas Para Viver Melhor Lidando Com O Colesterol", das Edições EuroImpala, tendo alterado alguns ingredientes de acordo com o conteúdo do meu frigorífico.

Ingredientes:
4 a 5 batatas
1/2 cebola
1/4 de couve branca
1 cenoura
1 tomate
100 gr. de Feijão Verde
1 dente de alho
50 gr. de queijo ralado (usei Mozarella)
1 queijo fresco
1 ovo cozido
Azeite q.b.
Sal q.b.
Noz moscada q.b.
200 ml de natas de soja
100 gr de farinha de milho
50 ml de leite

Coza as batatas e a cenoura em água e sal (para esta receita aproveitei algumas batatas e legumes já cozidos que sobraram de uma refeição de bacalhau).
Parta o feijão verde em tirinhas e a couve em juliana e coza também.
Parta as batatas em cubos e a cenoura em rodelas grossas.
Numa frigideira deite um fio de azeite e o dente de alho esmagado. Junte a cebola picada e o tomate pelado, sem sementes e partido em cubos.
Deixe refogar lentamente e assim que a cebola estiver transparente acrescente a batata e os legumes cozidos e salteie.
Numa taça grande misture as natas, a farinha e o leite. Mexa bem até ter uma massa homogénea. Tempere de sal e noz moscada e, se quiser, uma pitada de pimenta. Envolva o queijo ralado.
Numa assadeira pequena deite os legumes salteados. Por cima coloque o ovo cozido e o queijo fresco partidos em rodelas.
Cubra com a massa e leve ao forno pré-aquecido a 180º por  cerca de 35 minutos.

quarta-feira, 5 de Maio de 2010

Rabanadas de laranja no forno



Sem dúvida alguma que as rabanadas são o meu doce preferido do Natal. Durante muitos anos a única coisa que comia nas festas era o pão-de-ló. De resto nada me agradava, rabanadas incluídas. Aliás, durante a minha infância e juventude era grande a lista dos alimentos que não comia e nem sequer experimentava. Depois veio a fase dos convívios à volta da mesa, em que não queria fazer feio, e a aventura de sair de casa, em que tive que me adaptar à alimentação comum nos sítios por onde andei, e o meu paladar não resistiu à descoberta de outros sabores. Hoje a lista de alimentos que não entram na minha mesa, nem sequer a título experimental, é bem mais restrita e à parte essas excepções, adoro experimentar sabores novos e diferentes, sejam doces, salgados ou agridoces. 
As rabanadas foram uma conquista: de exclusão absoluta passaram a ser um predilecto e nem sequer é preciso que chegue o Natal para as levar à mesa.  
Estas resultaram da necessidade de gastar uma quantidade enorme de laranjas que tinha em casa e da vontade de testar (mais uma vez) as rabanadas no forno (também não foi desta que me conquistaram).

Ingredientes:
1 cacete para rabanadas com 2 dias
0,5 l de leite
Açúcar a gosto
1 pau de canela
Ovos q.b.
Canela em pó e açúcar q.b. para polvilhar

Ferva o leite com açúcar a gosto e 1 pau de canela.
Deixe arrefecer.
Parta o pão em fatias com cerca de 1 cm.
Demolhe o pão no leite  e passe pelo ovo batido (porque não juntar ao ovo sumo de laranja? É apenas uma sugestão para quando repetir a receita).
Vá colocando as fatias de pão num tabuleiro untado com manteiga.
Leve a assar em forno pré-aquecido a 180º.
Quando as rabanadas estiverem douradas vire-as e deixe dourar do outro lado

Depois de assadas coloque-as em camadas numa taça, polvilhe-as com canela em pó e açúcar e regue com a calda que preparou entretanto da seguinte forma:

1 chávena de água
1/2 chávena de Vinho do Porto (ou Licor de laranja)
1 chávena de açúcar
2 laranjas (sumo e casca)
1 pau de canela.

Corte a casca da laranja (só o vidrado) em juliana.
Coloque num tachinho e acrescente os restantes ingredientes.
Deixe ferver até reduzir um pouco.

segunda-feira, 3 de Maio de 2010

Almoçar no escritório - Sanduiche de pato


Do pato assado com laranja aqui publicado a semana passada sobrou uma quantidade considerável de carne. Parte do sobrante fatiei para fazer esta sanduiche e o restante desfiei e congelei para futuras refeições.

Ingredientes:
2 fatias de pão de forma
1/2 cebola
1/4 de pimento
Tiras de courgette q.b.
Cogumelos brancos q.b.
2 fatias de peito de pato assado
2 rodelas de tomate
2 folhas de alface
2 fatia de queijo
Azeite q.b.
Alho em pó q.b.
Molho de soja q.b.

Para formar a sanduíche utilizei 2 fatias de pão integral feito na MFP com uma farinha pré-preparada, neste caso, do Lidl. Se preparar a sanduiche na hora da refeição, e tiver oportunidade, comece por tostar as fatias de pão, caso contrário, se a preparar em casa, como eu, dispense esta operação.
Parta a cebola em meias luas, fatie os cogumelos, o pimento e a  courgette e leve a saltear numa frigideira com um pouco de azeite (sempre o mínimo necessário). Tempere com alho em pó e molho de soja.  
Sobre uma fatia de pão coloque uma folha de alface, uma rodela de tomate, uma fatia de queijo e metade dos legumes salteados. 
Sobre estes coloque agora o peito de pato fatiado e os mesmos ingredientes acima, mas em ordem inversa: legumes salteados, queijo, tomate e alface e a restante fatia de pão.
No local de trabalho tenho um micro ondas, por isso levo a sanduiche a aquecer ligeiramente apenas para derreter o queijo, que é, para mim, a única forma aceitável de comer queijo.

Dicas de nutrição: A carne de aves, branca e magra, é sempre preferível às carnes vermelhas e gordas.  Também entre o  pão branco e o pão integral há que fazer a opção por este por conter maior quantidade de fibras. Os legumes utilizados nesta refeição têm em comum o grande teor de água e, consequentemente,   baixo valor energético. Reúnem, ainda um conjunto considerável de vitaminas e outros nutrientes essenciais para o bom funcionamento do nosso organismo. Veja os principais nutrientes: Courgette: manganésio e vitamina C; Alface: vitamina K, A e C, folatos, manganésio e crómio que também está presente na cebola, que contém ainda boas quantidades de fibra; Pimento: vitamina C, A e B6; Cogumelos: selénio, vitamina B2, B3 e B5, cobre, potássio e fósforo; Tomate: Vitamina C, A e K. Fonte: http://www.alimentacaosaudavel.org/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...