31 de Março de 2010

Muffins de banana


Estes Muffins vieram da cozinha da Canela Moída. Era uma receita básica, que se saiu muito bem e está aprovada para futuras repetições.

Ingredientes:
3 chávenas de farinha
5 colheres de sopa de fermento em pó
1 colher de chá de sal fino
1 colher de sopa de manteiga
3 ovos
1 e 1/2 chávena de leite
1 banana esmagada

Comece por peneirar a farinha, o fermento e o sal.
Junte o açucar.
Derreta a manteiga.
Bata levemente os ovos com o leite.
Abra um buraco no meio destes ingredientes e deite a manteiga, a mistura dos ovos com leite e a banana. Mistue até humedecer a massa.
Unte as forminhas e encha com a massa até cerca de 3/4 da sua altura.
Leve ao forno pré-aquecido a 200º durante 15 minutos ou até estarem cozidos.

30 de Março de 2010

Frango com citrinos e mostarda


O frango é um salva cozinhas. Presta-se a todo o tipo de cozinhados. Vai bem com qualquer tempero e não requer muita atenção na cozedura. E se for caseiro, livre de hormonas, melhor ainda: além de fácil de cozinhar é uma carne saudável.

Ingredientes:
1 frango
1 limão
1 laranja
1 ramo de tomilho
2 dentes de alho
1 colher de sobremesa de mostarda de Dijon com sementes
1 copo de vinho branco
Sal q.b.

Divida o ramo de tomilho em duas partes. A uma delas retire todas as folhinhas
Numa tigela misture o sumo e raspa de 1/2 limão e de 1/2 laranja. Junte as folhinhas separadas do tomilho, a mostarda, o vinho, o alho picadinho e o sal.
Misture bem e reserve.
Parta  o restante limão e laranja em rodelas muito fininhas.
Prepare o frango e encha a sua concavidade com o restante ramo de tomilho e as rodelas de laranja e limão.
Unte o frango com a mistura do sumo dos citrinos reservada.
Leve ao forno pré-aquecido a 220º durante cerca de trinta minutos, até a pele tostar. Reduza a temperatura para 200º e deixe assar.
Não é necessário juntar qualquer gordura porque a que o frango largar é suficiente para o assado.
Sirva com arroz de passas e pinhões.

29 de Março de 2010

Cogumelos Portobello recheados


Segue-se a receita salgada para o passatempo Alfabeto culinário do Delicias e Talentos.

Ingredientes:
1 embalagem de cogumelos Portobello
100 gr. de cuscus
1/2 cebola
1 dente de alho
50 gr. de sultanas
50 gr. de amêndoas
Queijo parmesão raladao q.b. (ou outro à sua escolha: se gostar porque não Camembert?)
Azeite q.b.
Coentros q,b.
Caldo de legumes q.b.

Preparação:
Limpe os cogumelos com papel de cozinha ou um pano de cozinha macio. Retire os pés e reserve.
Coloque o cuscus numa tigela e cubra com caldo de legumes a ferver. Tape com pelicula aderente e deixe repousar durante 5 minutos. Findo esse tempo solte os grãos com um garfo e volte a tapar por mais 5 minutos.
Pique a cebola, os pés dos cogumelos que reservou, as sultanas e a amêndoa.
Numa frigideira bem quente grelhe os cogumelos de ambos os lados. Reserve.
Na mesma frigideira deite um fio de azeite e o dente de alho esmagado. Quando o alho alourar retire-o e deite todos os ingredientes picados. Envolva no azeite e salteie, até a cebola se mostrar transparente e a amêndoa dourada.
Desligue o fogão. Ainda na frigideira junte os cuscus e envolva tudo. Acrescente queijo ralado e polvilhe com coentros. Mais uma mexidela.
Com a ajuda de uma colher de sobremesa recheie o centro de cada cogumelo com um pedaço de mistura de cuscus. Polvilhe com mais queijo e leve ao forno a gratinar.
Sirva os cogumelos ainda mornos como entrada ou como refeição com uma salada de folhas verdes.

Duo de Mousses com cobertura Praliné


Quando vi o desafio do "Delicias e Talentos" a minha imaginação entrou num turbilhão de ideias. Ingredientes começados por "C"...doces ou salgados? Vontade não faltou para experimentar tudo o que me passou pela cabeça fazer, mas depois teria também que provar e acabaria por comer e aí seria um "Ai Jesus" que lá se vai a saúde e a dieta, que a Primavera chegou e o Verão está quase à porta . Enfim...Acabei por selecionar uma receita doce e uma salgada...as outras aguardarão momento oportuno. Aqui vai uma doçura gulosa:

Vai precisar de:
Para as mousses:
1 lata de leite consensado
200 ml de nata 
2 ovos
30 gr. de chocolate com 70% cacau
1 chávena de café expresso (chávena pequena)
4 folhas de gelatina

Para o praliné:
1 chávena almoçadeira de mistura de amêndoas e avelãs
1 chávena almoçadeira de caramelo
Coco ralado q.b.

Comecei por preparar o praliné:
Forrei um tabuleiro com papel vegetal.
Tostei o coco ralado numa frigideira bem quente.
Utilizei uma chávena de caramelo que já tinha preparado e guardado no frigorífico. 
Levei o caramelo ao lume e deixei levantar fervura. Juntei os frutos secos e coco ralado. Envolvi e espalhei no tabuleiro. Deixei arrefecer e triturei no robot de cozinha. Como o caramelo já estava preparado para ser usado como caramelo liquido e não quis arriscar muito tempo no fogão com receio que amargasse a mistura ficou um pouco pastosa, então coloquei-a num saco de congelação e passei por cima o rolo da massa estendendo o praliné numa camada fina e levei ao congelador. Depois é só partir a quantidade que deseja utilizar e ralar no robot.
Se tiver que preparar o caramelo utilize 1 chávena de açúcar e 5 colheres de sopa de água. Quando o açúcar atingir um ponto de caramelo escuro envolva os frutos e proceda como acima.

Para as mousses:
Bata as natas para que ganhem volume, mas sem que fiquem muito espessas.
Misture muito bem o leite condensado com as gemas.
Junte as natas e envolva.
Demolhe a gelatina em água fria.
Bata as claras em castelo bem firme.
Aqueça um pouco da mistura do leite condensado para dissolver a gelatina. Junte cuidadosamente ao preparado inicial.
Entretanto, divida a mistura do leite condensado por dois recipientes.
Derreta o chocolate no microondas em potência alta a  intervalos de cerca de 30 segundos, mexendo o chocolate a cada intervalo até estar derretido (esta operação é importante porque demasiado tempo no microondas pode queimar o chocolate)
A uma metade da mistura junte o chocolate derretido.
À outra metade junte o café.
Divida as claras em duas partes iguais e envolva cuidadosamente cada uma delas em cada uma das mousses, utilizando uma espátula e fazendo movimentos de baixo para cima. 
Divida as mousses por taças individuais, começando por encher metade com a mousse de chocolate e completando com a mousse de café.
Leve ao frigorífico de um dia para o outro.
Antes de servir polvilhe com uma quantidade generosa de praliné.

26 de Março de 2010

Vitela Guisada com legumes


Um naco de vitela partida em pedaços
1 cebola
1 dente de alho
1/2 couve branca
1/2 lata de cogumelos inteiros
100 gr. de feijão de soja
Batatas q.b.
1 copo de vinho branco
Água q.b.
Sal q.b.
1 pitada de piri-piri
1 folha de louro
Azeite q.b.

Num tacho faça um refogado leve com o azeite, a cebola cortada em meias luas e o alho esmagado.
Junte a carne e deixe alourar levemente. Acrescente o vinho, o sal, o piri-piri e o louro.
Deixe apurar e quando o liquido começar a reduzir, acrescente a couve, os cogumelos e o feijão de soja.
Envolva e deixe a couve "murchar". Vá acrescentando água se necessário.
Quando a carne se encontrar a meio da cozedura junte as batatas cortadas em cubos e tempere-as com um pouquinho de sal. Acrescente água suficiente para quase cobrir os ingredientes que estão no tacho.
Deixe cozinhar em lume brando.

24 de Março de 2010

Bolachinhas de Amêndoa e Laranja


Estas bolachinhas tiveram inspiração aqui. Foram a minha estreia e estão para repetir.
Adoro o aroma da alfazema, mas como não gosto de sabores demasiado aromáticos (se é que me faço entender) suprimi a alfazema e como também não tinha limões em casa, substitui por laranja. Fiz outras alterações conforme verão abaixo e cobri as bolachas com uma calda de açucar e laranja. O resultado foram umas bolachinhas crocantes e muitooooo deliciosas.

Vai precisar de:
4 colheres de sopa de manteiga derretida
4 colheres de sopa de açucar
raspa de 1 laranja
4 colheres de sopa do sumo da laranja
1 gema de ovo
100 gr. de farinha integral
50 gr. de farinha de amêndoa
50 gr. de farinha de trigo

Para a cobertura/calda:
Amêndoa palitada q.b.
2 colheres de sopa de sumo de laranja
5 colheres de sopa de açucar em pó

Bata a manteiga com o açucar até formar um creme.
Junte a raspa e sumo de laranja e a gema de ovo.
Amasse tudo juntamente com a farinha.
Forme uma bola com a massa e embrulhe em película aderente.
Leve ao frigorífico por cerca de meia hora.
Prepare a calda para cobrir misturando o sumo de laranja e o açucar.
Estenda a massa e corte as bolachas com um corta bolachas.
Coloque-as alinhada num tabuleiro e sobre as bolachas coloque sobre cada um pouco da calda de açucar e amêndoa palitada.
Levar ao forno a 180º por 12 minutos.

23 de Março de 2010

Entradinhas

Este post já anda aqui esquecido há algum tempo. Está na altura de o partilhar convosco. É uma coisinha muito simples, mas que abre bem o apetite, mesmo que não hajam amigos a acrescentar lugares à  mesa. Enquanto o almoço ou o jantar cozinha porque não apresentar à mesa estas entradas para petiscar?

Cebolinhas caramelizadas:



Coza as cebolinhas em água e sal.
Numa frigideira, em lume médio, coloque cerca de 50 a 75 gr. de margarina e 2 colheres de sopa de açucar.
Deixe a margarina derreter e junte as cebolas, mexendo de vez em quando, até caramelizarem

Morcela grelhada:



Nada mais simples - parta rodelas de morcela e grelhe.
Aproveite algumas das rodelas para a entrada seguinte.

Abóbora e  Cogumelos salteados com Morcela:




Parta a abóbora em cubinhos.
Prepare os cogumelos ou utilize cogumelos em lata (optei por esta versão em cogumelos laminados).
Numa frigideira deite um fio de azeite e um dente de alho.
Quando o alho corar, retire-o e salteie os cogumelos e a abóbora. Acrescente a morcela já grelhada e partida em pedaços e envolva.

18 de Março de 2010

Pêra Assada em vinho do Porto


Isto nem sempre corre como esperamos. Um destes fins-de-semana, por exemplo, estava tudo bem programado para fazer uma refeição fantástica, daquelas que nos ficam na memória por muito tempo: entradinhas apetitosas, assado à boa maneira, sobremesa especialissima...enfim... Mas na Sexta o dia não correu como esperava e não tive oportunidade de comprar os ingredientes em falta. No Sábado a tarde de convivio (de bom convivio, diga-se) prolongou-se pela noite e a sobremesa, que requeria preparação prévia, ficou sem efeito. De forma a que chegou o Domigo e fiquei com um simples assado em mãos para preparar. Sempre havia gelado no congelador e uns crepes para adoçar a boca a final. Mas eis que preciso de ir ao frigorifico e encontro umas peras williams esquecidas na gaveta. Já estavam mais para o maduro e eu das peras gosto delas verdes e crocantes, por isso o melhor era dar-lhes já destino.

Eram cinco peras williams, que descarocei com o descaroçador de maçãs e parti a meio. Fui colocando num pirex e reguei com sumo de limão. Entretanto fiz uma calda com:

100 gr. de açucar
50 gr de vinho do Porto
Erva doce q.b.
1 pacote de natas para cozinha

Misturei tudo num tachinho. Mexi para ajudar a dissolver o açucar e levei ao lume.
Assim que começou a ferver, baixei o fogo para o minimo e deixei ferver 3 minutos.
Reguei as peras com esta calda e levei ao forno.
Comecei por as colocar no tabuleiro inferior enquanto o assado cozinhava. 
Passaram depois para o tabuleiro superior onde acabaram de assar.
No frigorifico já aguardava o cifão para onde tinha vertido um pacote de natas para cozinha, sem ter adicionado açucar.
Servi as pêras ainda quentes com a espuma de natas bem fria.
A mistura do quente/frio e da doçura da calda com o "azedo" das natas ficou sublime e destronou o lugar da pêra bêbada entre as sobremesas favoritas lá de casa.

16 de Março de 2010

Bolinhos de Peixe


Peixe cozido é aquela coisa que me deixa um pouco...vazia. Não acho um petisco. Como várias vezes porque faz bem e nunca fico ansiosa pela próxima....De vez em quando lá sobra qualquer coisa do cozido e eu, que detesto deitar fora comida, esforço-me por reinventar. Desde o "peixe à Gomes de Sá", passando por empadão ou empadinhas...o que a quantidade permitir e a imaginação lembrar.
Os bolinhos que se seguem são também uma óptima forma de aproveitar as sobras de peixe cozido. Ainda por cima pode preparar e congelar e ter sempre uma refeição rápida para aqueles dias em que não apetece pensar na ementa ou em que o tempo fugiu sabe-se lá para onde.

Duma refeição mal calculada de peixe cozido sobrou uma marmota e duas batatas cozidas. Aproveitei estar a fazer uma sopinha para um dia frio e acrescentei mais uma batata a cozer para ter em batata a quantidade que me pareceu necessária para esta receita. Depois, seguiu-se assim:

Reduzi a puré as batatas.
Juntei meia cebola muito picadinha e umas folhinhas de salsa também picadinhas. Para quem gostar pode acrescentar uma pitada de pimenta.
Acrescentei um ovo batido e misturei muito bem.
Entretanto retirei as espinhas e a pele do peixe e envolvi de forma que o peixe não ficasse completamente desfeito.
Levei este preparado ao frigorifico para a massa endurecer e ser mais fácil trabalhá-la.
Com a ajuda de 2 colheres de sopa moldei os bolinhos, ou melhor dito, os "canelles".
Parte fritei em óleo bem quente e os restantes fui colocando num recipiente para ir ao congelador.

15 de Março de 2010

Crepe com Morangos, Gelado de Côco e Crocante de Chocolate



Um domingo destes, a meio do Inverno, fomos brindados com um dia de sol magnífico. E que bom é um dia de sol no Inverno. Abrem-se as portas para o terraço e afastam-se as cortinas e deixa-se entrar toda a luz e calor que for possível. A casa fica a cheirar a sol. Não me perguntem a que cheira o Sol...não sei definir o cheiro, mas sei que é bom. E este quente que me invade a casa faz apetecer uma sobremesa fresca e colorida a lembrar que o Inverno está quase a meio e não tarda nada a Primavera está aí.
Tinha no congelador gelado e umas folhas de crepes que andavam a apetecer utilizar e, maravilha das maravilhas, começou a época do morango. O morango é de longe a minha fruta favorita. Gosto dele de todas as maneiras: simples, com açucar, com iogurte, gelado, em bolos e tartes, em compota, e tudo o mais em que possa ser utilizado. Adoro o aroma, a cor, o sabor e a forma. Enquanto houver morangos no mercado não faltam na minha mesa. Esta sobremesa é rápida, especialmente porque os crepes e o crocante podem ser preparados com antecedência, bastando fazer a montagem no dia. Garanto-vos que é uma delicia, além de fazer um vistaço.

Para esta sobremesa vai precisar de:

1 folha de crepe por pessoa
Morangos q.b.
Gelado de côco (utilizei "Côco com Pedaços de Bolo" do Pingo Doce)
Crocante de chocolate

Para os Crepes:
0,5 l de leite
200g de farinha
3 ovos e 3 gemas
100g de margarina derretida
1 colher de sopa de açúcar
uma pitada de sal

Coloque o leite, os ovos, as gemas, o açúcar, a farinha e o sal num recipiente e ligue tudo com a varinha mágica. Junte a margarina derretida mas sem ferver. Bata novamente.
Aqueça uma frigideira anti-aderente e unte com um pouco de manteiga.
Vá deitando colheradas de massa, rodando a frigideira para a espalhar uniformemente. Quando as bordas estiverem escuras vire o crepe com uma espátula ou com a mão: segurando com as pontas dos dedos a ponta da massa oposta a si, levante e vire.
(Fonte: Curso de Cozinha e Pastelaria Nivel I http://www.segredosdavo.pt/)

Para o Crocante de Chocolate:
50 gr. de Chocolate para Culinária com 70% de cacau (utilizei Lindt)
50 gr. de amêndoa ralada (ou um pouco mais para ficar mais crocante, vá experimentado até acertar o seu ponto)

Derreta o chocolate em banho-maria ou no microondas (um minuto e meio na potência máxima, parando a cada 30 segundos para mexer).
Envolva a amêndoa no chocolate.
Estenda uma folha de papel vegetal e sobre ela espalhe a paste de chocolate numa camada tão fina quanto possivel. Leve ao frigorifico para solidificar. Retire e parta em tiras com o auxilio de uma faca ou à mão em pedaços irregulares. Guarde numa caixa fechada hermeticamente no frigorifico. Utilize para decorar sobremesas ou para acompanhar o café ou coma assim, simplesmente.



Vamos servir:

Numa taça coloque a folha de crepe. Por cima espalhe morangos partidos aos pedacinhos. Por cima dos morangos uma bola de gelado e sobre a bola de gelado um pedaço de crocante de chocolate.



Nutrição: O morango tem um um baixo valor energético e um bom teor de vitamina C, ácido fólico, fitonutrientes e ácidos orgânicos, sendo, por issi, um excelente antioxidante. É rico em minerais, como o potássio e o magnésio, entre outros. Tem um teor de fibra moderado. (Fonte: http://www.nestle.pt/bemestar/presentation/nutricao/Alimentos.aspx?id=243)

Polvo assado no forno com batata e arroz do mesmo



Aqui está mais uma refeição daquelas que me faz crescer água na boca. Adoro polvo assado, no forno ou na brasa, ou frito em filetinhos deliciosos. Não é uma refeição frequente dentro de portas, mas fora é sempre uma boa opção (já experimentaram os filetes do "Aleixo"? ou o dito à Lagreiro aqui?)

Ingredientes:
1 polvo (este tinha cerca de 1,600 gr)
Batatas q.b.
2 1/2 cebolas
2 dentes de alho
1 tomate maduro
1 folhas de louro
1 pimento (utilizei tiras de pimento laranja e vermelho que ainda tinha no congelador)
1 chávena de arroz
1 copo de vinho tinto
Água q.b.
Sal q.b.
Azeite q.b.

Coza o polvo juntamente com uma cebola com casca em água sem sal. Quando a cebola estiver bem cozida o polvo também estará. Retire o polvo e a cebola e reserve a água da cozedura.
Prepare o polvo, cortando as pontinhas das pernas e a cabeça em pedacinhos e separando as pernas. Como o bicho era grandinho, reservei as pernas mais pequenas para fazer filetes noutra refeição.
Se vai assar batatinhas coza-as previamente em água e sal.
Como, quer o polvo, quer a batata já estão cozidos, o tempo de forno necessário é menor e os legumes podem não assar o suficiente, por isso leve ao forno pré-aquecido em calor médio uma assadeira com uma cebola partida em rodelas grossas, tiras de pimento (guarde algumas para o arroz) e tomate em rodelas, tudo regado com um golpe de azeite. Deixe os legumes irem assando sem queimar. Se necessário tape com papel de alumínio.


Entretanto, num tacho de barro faça um refogado com azeite, cebola, alho, pimento e uma folha de louro.
Quando a cebola começar a estalar junte as pontas das perninhas do polvo e a cabeça já partida. Deixe refogar mais um bocadinho e acrescente o vinho tinto. Deixe apurar até o vinho evaporar quase na totalidade.
Acrescente água de cozedura do polvo em quantidade suficiente para fazer um arroz seco (2 medidas de água para 1 de arroz). Tempere de sal.
Quando a água começar a ferver acrescente o arroz e deixe cozinhar normalmente.

Retire a assadeira do forno e pouse nos legumes as pernas do polvo já temperadas e as batatas com a pele. Regue com bastante azeite. Deixe o polvo e as batatas alourarem e tomarem-se do sabor do azeite.
Se o polvo ficou saboroso, o arroz nem se fala. Foi de comer mesmo sem mais polvo assado para o acompanhar

5 de Março de 2010

Courgette grelhada


Aqui está um acompanhamento fácil e saudável.
Só precisa de :
1 courgette
Azeite q.b.
1 dente de alho
Sal q.b. - normalmente utilizo flor de sal, mas desta vez utilizei uma mistura de sal com tomate seco que pode adquirir aqui.

Lave bem a courgette e corte, em diagonal, em rodelas com cerca de 3 milimetros.
Deite um fio de azeite no grelhador e junte o dente de alho esmagado e descascado.
Aqueça bem o grelhador e junte a courgete.
Deixe dourar de ambos os lados.
Retire.
Tempere com sal.
Sirva como acompanhamento de qualquer carne grelhada ou utilize como ingrediente para confeccionar um prato de massa.

4 de Março de 2010

Arroz de Bacalhau e Grelos


Há dias de apetites e há apetites que não nos saem da ideia e aí só há uma solução: cozinhar! Juntar os ingredientes, os utensilios, colocar o avental e enfrentar os tachos.
Um destes dias deu-me o apetite por uns bolinhos de bacalhau e arroz do mesmo. Fui adiando por isto e aquilo até que me decidi a retirar do congelador uma embalagem de bacalhau desfiado já demolhado, pensando eu que a partir daqui não poderia mais adiar o inevitável. Por coincidência nesse dia a dona do tacho desta cozinha apresentou uma receita de arroz de bacalhau com grelos e mais o meu apetite se aguçou. Por acaso um imprevisto fez-me mudar a ementa e só o fiz no dia seguinte.

Ingredientes:
1 embalagem de bacalhau desfiado já demolhado (normalmente compro o bacalhau, demolho e congelo)
1 chávena de arroz
3 chávenas de água (pelo menos)
100 gr. de grelos (já os tinha cozidos de uma sobra de uma refeição do dia anterior)
1 cebola
1 dente de alho
2 rodelas de chouriço
Sal q.b. (se necessário)

Num tacho deite a cebola e o alho bem picadinhos. Regue com azeite e deixe a cebola estalar.
Junte o bacalhau e envolva.
Acrescente 1 chávena de água.
Deixe levantar fervura e tempere de sal (o bacalhau que utilizei estava no ponto certo para temperar a água do arroz sem precisar de adicionar sal).
Acrescente o arroz e a restante água.
Vá vigiando a cozedura do arroz acrescentando a água necessária para ter um arroz malandrinho, mas sem muita calda.
Quando o arroz estiver cozido, desligue o fogão e acrescente 1 chávena de água fria. A cozedura do arroz vai parar e a calda vai-se manter sem empapar o arroz.

3 de Março de 2010

Bolo Francês de Iogurte - Da cozinha da Ameixa Seca para a minha



Encontrei esta receita aqui, na cozinha da Ameixa Seca, que a tinha ido buscar à "The Cookie Shop" e não resisti a experimentá-la na minha cozinha. O resultado foi excelente com um pedido expresso de repetição. Como o fim-de-semana está à porta e o tempo ainda faz apetecer umas comidinhas mais substanciais fica aqui a sugestão para um lanche mais doce.

Ingredientes:
1 1/2 chávena de farinha de trigo
2 colheres de chá de fermento
Uma pitada de sal
1 chávena de açúcar
Casca de 1 limão (ver outras variação na "The Cookie Shop" através do link acima)
1/2 chávena de iogurte natural
3 ovos grandes
Gotas de baunilha
1/2 chávena de óleo

Para a calda:
1 chávena de açúcar em pó
2 colheres de sopa de sumo de limão
 
Então vamos lá preparar esta doçura:
Peneire a farinha, o fermento e o sal para um recipiente pequeno e reserve.
Noutro recipiente, deite o açúcar e as raspas de limão esfregue bem com as pontas dos dedos até o açucar  ficar húmido e perfumado (segundo quem experimentou antes de mim este é um passo essencial).
Junte o iogurte, os ovos inteiros e a baunilha.
Misture bem até obter uma massa uniforme.
Junte os ingredientes secos que peneirou no inicio e envolva, sem bater, até estar bem misturado.
Outro conselho de quem já o experimentou: não mexa demais senão o bolo fica duro.
Junte o óleo e incorpore com uma espátula grande.
Verta a massa para uma forma previamente untada e polvilhada e leve ao forno pré-aquecido a 180º por 50 minutos (no meu forno 40 minutos foram mais que suficientes).
Quando pronto, o bolo fica dourado e espetando um palito no centro, este deve sair seco. Deixe arrefecer e desenforme.

Para a calda:
Misture o açúcar com o sumo até ficar um creme ralo. Aplique no bolo, deixando escorrer pelas laterais.
Aqui confesso que não correu muito bem. Não tinha açucar em pó e usei açucar granulado. O resultado não é nada semelhante e acabei por acrescentar um pouco de água para fazer uma calda de açucar para molhar o bolo e em contrapartida consegui acentuar o seu sabor a limão e que fez furor junto de quem provou.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...