domingo, 28 de Fevereiro de 2010

Salada Quente e Fria




Esta salada teve como principio responder ao desafio da Manuela do "Delicias e Companhia" e vai ter como fim ser o meu almoço de amanhã.

Ingredientes (todos q.b.):
Rucula
Rebentos de Feijão
Tomate Cereja
Cogumelos inteiros (usei de conserva, mas o ideal será utilizá-los frescos)
Espargos brancos (de conserva)
Tofu
Courgette
Papaia
1 dente de alho
Azeite
Sal

Lave todos os ingredientes frescos.
Corte a courgette em rodelas finas, os espargos em pequenos pedaços e a papaia em tiras.
Prepare o tofu e corte-o em tiras.
Numa frigideira deite um fio de azeite (pouco azeite) e um dente de alho esmagado.
Quando o alho começar a dourar retire-o e deite na frigideira a courgette e os cogumelos. Salteie no azeite até dourarem, mexendo constantemente para não deixar queimar. Quando começarem a dourar junte os espargos e o tofu. Continue a saltear até os legumes e o tofu estarem uniformemente dourados.
Retire para um prato coberto com papel de cozinha para absorver o excesso de azeite.
Num prato de servir coloque a rucula. Por cima os rebentos de feijão e o tomate cereja cortado em metades.
Adicione a papaia cortada em tiras.
Junte os ingredientes salteados.
Tempere a rucula e companhia com um pouco de flor de sal (utilizei sal com tomate seco da loja do "Chefe Luis Francisco"). Se fizer questão acrescente um fiozinho de azeite, embora os ingredientes quentes tenham já a gordura suficiente para todo o prato.
Eu não sou fã de molhos. Em casa tempero as saladas com flor de sal e um fio minimo de azeite (tão pouco que à mesa vai sempre o frasco do sal e do azeite para cada um acrescentar depois a seu gosto) e fora de casa normalmente os molhos são tão ácidos que prefiro as saladas sem qualquer molho.
Para quem não prescinda mesmo do molho o tradicional iogurte com ervas aromáticas a gosto cai sempre bem e é saudável q.b.

sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2010

Francesinha


A "francesinha" é o melhor snack do Porto. Para lanchar ou para jantar, com ou sem batata frita, mas sempre acompanhada de uma cervejinha bem fresquinha. Eu prefiro a dita "francesinha especial", que de especial só tem a singularidade de ser a francesinha normal, sem acrescentos tipo ovo ou camarão.
Este petisco, que faz uma refeição, nasceu na década de 1960 no restaurante "A Regaleira", na Rua do Bonjardim, pela mão do Sr. Daniel David Silva que tendo estado emigrado França, criou para a cozinha portuense uma adaptação do croque-monsieur, um petisco dos cafés franceses. E a verdade é que o prato fez sucesso, perdura até hoje como um dos ícones das refeições ligeiras e, por incrível que pareça, acho que não há outro sitio no país que não o Porto e arredores para as saborear...por favor corrijam-me se estiver errada.
A francesinha é apresentada de diversas formas: com bife, com carne assada, com ovo estrelado, com camarão, mas o que a torna única é o molho e no molho é que está o segredo, segundo dizem.

Esta não foi a primeira vez que fiz francesinhas em casa, mas foi a minha primeira experiência na confecção do molho. Não ficou o molho perfeito, mas devo dizer que se mo apresentassem num qualquer restaurante não teria reclamado. Claro que a experiência vai ser para repetir até encontrar o ponto certo.
Compensa fazer o molho em quantidade porque depois podemos congelar para ir utilizando sempre que apetecer. Foi o que fiz, tendo sido cuidadosa no picante, o qual acrescentei apenas quando utilizei o molho depois de me certificar do gosto dos convidados.

Então, aqui vai a primeira experiência:

Para o molho:
1 sopa de rabo de boi
1 sopa de creme de marisco
0,5 lt de polpa de tomate
0,5 lt de água
sal
50 gr. de Molho Inglês
Piri-piri q.b.
1 copo de whiskey
1 copo de vodka

Prepare as sopas separadamente.
Num tacho ou panela grande deite as sopas já preparadas e acrescente todos os restantes ingredientes. Deixe ferver em lume brando até o molho diminuir em quantidade e engrossar. Vá provando e acertando os temperos a seu gosto. Mais piri-piri, mais whiskey, teste outra bebida a seu gosto...

Entretanto prepare a Francesinha:
1 fatia de pão de forma (não muito grossa, há quem prefira tostar o pão antes)
1 fatia de paio
1 fatia de fiambre
bife grelhado
linquiça grelhada
mais fiambre
outra fatia de pão
agora cubra esta sanduiche com fatias de queijo e leve, no prato em que vai servir, ao forno pré-aquecido para derreter o queijo.
Cubra com uma quantidade generosa de molho e sirva.

Tenha cuidado para não queimar o queijo, o bife ou as linguiças e mesmo o pão, se decidir tostá-lo antes. Por muito bom que fique o molho é sempre desagradável o sabor do "torrado".

Bom apetite e não se esqueça de chamar os amigos para esta iguaria que requer sempre boa disposição e companhia para ser bem servida.

quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2010

1000 folhas de framboesa



Esta foi a sobremesa idealizada para o dia de S. Valentim, mas que, por vários imprevistos, acabou por se concretizar apenas uns dia mais tarde. Como o dias dos namorados é sempre que nós quisermos, façam o favor de deitar mãos à obra e surpreender o vosso mais que tudo com um docinho especial sempre que vos apetecer.
Esta receita tem a minha predilecção por ser um semi-frio, por ter framboesas e por ser um pouquinho de nada mais saudável, já que o creme russo não leva gemas do ovo e para a sua confecção substituí o leite gordo por leite meio-gordo e utilizei massa filo em vez de massa folhada. Também podemos experimentar substituir o açucar ou parte dele por adoçante.
O resultado foi excelente: uma mistura do fofo do creme a desfazer na boca com o crocante da massa e do doce com a acidez da framboesa...foi de comer e repetir...e repetir...

Vai precisar de:
1 embalagem de massa filo
0,5 lt de leite meio gordo
250 gr. de claras
150 gr. de açucar
1 vagem de baunilha
40 gr. de farinha maizena
5 folhas de gelatina
500 gr. de framboesa
Açucar granulado e Açucar em pó q.b.
Manteiga q.b.

A massa:
Corte as folhas de filo à medida de um aro para semi-frios com 25 cm (utilizei a minha última aquisição: um aro extensivel de 22 cm a 40 cm).
Separe as folhas e pincele cada uma com manteiga derretida e vá sobrepondo em camadas: fiz uma camada com dez folhas e duas com seis folhas cada.
Leve ao forno pré-aquecido a 200º até cozerem e ficarem com um tom dourado e estaladiças.
Reserve.


O Creme:
Ao lume leve o leite, o açucar, a farinha e a vagem de baunilha. Vá mexendo até engrossar.
Coloque as folhas de gelatina num pouco de água fria. Espreme-as e junte ao creme, mexendo até se dissolverem. Reserve o creme.
Quando a mistura arrefecer bata as claras em castelo e envolva cuidadosamente no preparado anterior.
Coloque as framboesas numa frigideira e polvilhe com açucar granulado. Deixe o açucar derreter e envolva a fruta cuidadosamente.
Deixe arrefecer.

Agora vamos fazer a montagem do bolo:
Coloque o aro num prato de servir e no fundo coloque o disco de dez folhas da massa filo.
Cubra com framboesas e por cima destas uma camada de creme.
Sobreponha mais um disco de massa, mais uma camada de framboesas e o restante creme.
Termine com o último disco de masa.
Leve ao frigorifico de um dia para o outro. Também pode levar ao congelador e retirar cerca de meia hora antes de servir. Torna o corte mais fácil.
No próprio dia decore a gosto com açucar em pó e framboesas.
Et voilá...delicioso.


Esta sobremesa ficou definitivamente na lista das repetiveis, até porque se presta a variações interessantes. É só pôr a imaginação a trabalhar.

terça-feira, 23 de Fevereiro de 2010

Perna de Peru Assada com Batata



Já estão a ver que é menu de Domingo. O peru entra na minha mesa normalmente em bifinhos panados, grelhados ou estufados. Desta vez decidimos variar e comprar duas pernas de peu para assar. Não é um prato que me deixe de água na boca, mas faz uma refeição diferente do que é habitual lá em casa.

Ingredientes:
2 pernas de peru
2 limões
3 dentes de alho
1 ramo de alecrim
Sal e piri-piri q.b.
1 colher de chá de massa de pimentão
1 dl de vinho branco
1 cebola
Azeite q.b.
Água q.b.

Esmague bem os alhos juntamente com o sal. Retire as folhas do alecrim à haste e acrescente-as à massa de alho. Junte a massa de pimentão, o piri-piri e o vinho.
Espalhe esta mistura sobre o peru.
Deixe marinar. O peru é, na minha opinião, uma carne desenxabida, por isso quanto mais tempo marinar melhor.
Numa assadeira coloque no meio a cebola às rodelas e nas bordas as batatas descascadas e partidas em quartos. Sobre a cebola pouse o peru. Regue com azeite e a marinada, acrescentando vinho se entender que o liquido não é suficiente.
Leve a forno pré-aquecido a 220º. Assim que a carne ganhar cor reduza e deixe assar.
Enquanto o peru assava preparei, para acompanhamento, uns grelos salteados em azeite e alho que é coisa que eu adoro e a que não resisto.

domingo, 7 de Fevereiro de 2010

"Paixão Pelo Chocolate" - Duas receitas de chocolate quente



Do livro "Paixão pelo Chocolate" do Circulo de Leitores, retirei esta receita para um preparado de chocolate quente:



1 embalagem de cacau em pó
200 gr. de açucar
100 gr. de farinha maisena

Misture e peneire todos os ingredientes e guarde num frasco com fecho hermético.
Se gostar pode aromatizar com baunilha ou canela.
Segundo o autor, para fazer o chocolate, utilize o preparado na proporção de 1/4 da quantidade de leite, mas pode reduzir a quantidade: para cerca de 300 gr. de leite utilizei 50 gr., e ainda pode reduzir um pouco mais.
Misture e leve a lume brando até espessar, mexendo regularmente.


E já que falamos de chocolate quente, não deixe de experimentar esta receita do mesmo livro:

Chocolate com laranja

350 gr. de chocolate em pedaços
20 gr. de açucar
1 lt de leite
350 ml de natas
160 ml de licor de cacau (Cointreau ou Grand Marnier)
Raspa de 2 laranjas

Numa taça coloque o leite, as natas e a raspa das laranjas. Leve ao lume até ferver.
Retire do lume, coe e adicione os restantes ingredientes com excepção do licor, mexendo até obter uma mistura lisa e homogénea.
Deixe arrefecer um pouco e junte o licor (devo dizer que mesmo sem o licor é um chocolate delicioso).

Como por aí se vai dizendo: Podia viver sem chocolate? Podia...mas não era a mesma coisa.

sexta-feira, 5 de Fevereiro de 2010

Frango Estufado com Ervilhas e Arroz de Limão



Esta receita foi inspirada no livro a "A Cozinha Francesa" de Joanne Harris e Frank Ward, já aqui e aqui referido. A receita original é uma receita de pombo, mas como não é fácil encontrar, optei pelo frango e utilizei umas coxinhas que tinha no congelador. A receita original é também uma receita mais elaborada e rica do que a que aqui apresento e que não deixarei de experimentar "a la letre" um destes dias.
Já a receita do arroz fui buscar aqui, à cozinha da Luisa Alexandra.

Vai precisar de:
1 embalagem de coxinhas de frango
100 gr. de ervilhas
1 cebola
1 dente de alho
50 gr. de bacon
1 copo de vinho branco
2 copos de caldo de galinha
Tomilho e louro
Azeite q.b.
Sal q.b.

Fiz assim:
Piquei a cebola e cortei o bacon em cubinhos. Refoguei levemente no azeite. Juntei as coxinhas sem pele e temperei de sal. Deixei ganhar cor uniformemente. Acrescentei o vinho, o caldo de galinha, o alho picado, o tomilho e o louro (aqui a receita refere um raminho de cheiros feito com tomilho, salva, salsa e louro). Deixei levantar fervura e acrescentei o caldo de galinha.
Assim, que começou a ferver, acrescentei as ervilhas. Deixei cozinhar lentamente em lume brando.


Enquanto isso preparei o arroz de limão:
1 cebola
1 cávena de arroz
2 chávenas de água
Azeite q.b.
Sal q.b.
1/2 limão
1 folha de louro

Num tacho coloquei a cebola picadinha e um pouco de azeite. Deixei a cebola estalar e acrescentei a água. Temprei com sal e juntei a folha de louro. Assim que a água começou a ferver juntei o arroz. Mexi e deixei ferver novamente. Parti o limão em quatro, espremi levemente sobre o arroz e pousei nele os quartos de limão. Reduzi para o minimo e deixei cozer.
A receita original utiliza um limão inteiro. Tive algum receio que ficasse demasiado acentuado o sabor do limão e por isso utilizei apenas meio limão, mas da próxima vez irei usar o limão inteiro.


Nutrição:
Frango - De entre as carnes, as referenciadas por carnes brancas, entre as quais o frango, são sempre preferiveis às vermelhas, por serem igualmente ricas em proteínas e terem menor teor de gordura. No caso do frango, porém, é importante que seja ingerido sem a pele, onde se concentra a maior quantidaee de gordura saturada.
Ervilhas - Têm um grande teor de hidratos de carbono (essencialmente amido) e proteínas vegetais e de vitamina B1. A sua pele é rica em fibra. Como as suas proteínas são incompletas devem ser combinadas com cereais (arroz, pão, massa, etc).
Arroz - Rico em amido, tem também uma quantidade apreciável de proteínas e vitamina B1, B2 e niacina, fósforo e potássio.  É um alimento energético que ajuda a repor energias. Tem baixo teor de sódio e pode substituir alimentos com teores de gordura saturada muito superiores, como as batatas fritas. Na sua casca, além de fibras, encontramos fitosteróis, que têm de reduzir os níveis de colesterol no sangue, daí ser aconselhável o consumo do arroz na sua forma integral. (Fonte: http://www.nestle.pt/bemestar)

terça-feira, 2 de Fevereiro de 2010

Ervas Aromáticas


Finalmente comecei a criar o meu cantinho de aromáticas. Tinha já um vaso de tomilho que cresceu lindamente. Com a salsa e a hortelã não tive tanta sorte. Vamos a ver como se comportam estas meninas que plantei à janela da cozinha: salsa, manjericão, cebolinho e alecrim.

Bacalhau Assado no Forno em Azeite Aromático



Bacalhau assado não é um prato que faça com frequência, e por isso sabe sempre bem quando vai à mesa.

Fiz assim:

Para 2 pessoas:
2 lombos de bacalhau demolhado
1 cebola
1 tomate maduro
1,5 dl de azeite
2 raminhos de tomilho
5 dentes de alho
1 folha de louro
Pão ralado q.b.
Sal q.b.



Para o Azeite Aromático:
Coloque o azeite em lume brando num tachinho, juntamente com o tomilho, o louro e 2 dentes de alhos esmagados.
Quando os alhos ferverem e subirem á superficie desligue.
Coe e reserve.




O Bacalhau:
Coza ligeiramente o bacalhau em água e sal.
Pré-aqueça o forno a 220º.
No fundo de uma assadeira pequena coloque a cebola e o tomate cortados em gomos grossos. Regue com um pouco do azeite.
Pouse nesta cama de legumes os lombos de bacalhau com a pele para cima e polvilhe com pão ralado.
Regue com mais azeite e junte os restantes alhos esmagados.
Leve ao forno.
Servi acompanhado com bróculos cozidos e puré de batata, que moldei com o saco de pasteleiro, salpiquei com um pouco de leite e levei a gratinar ao forno.


O que sobrou do azeite guardei num garrafinha de vidro e fui usando para outros temperos. O aroma com que fica dá um travo especial a qualquer prato de sabor mais simples como uma pescada cozida com todos, por exemplo.

Nutrição: O bacalhau, como qualquer outro peixe, é pobre em calorias e rico em proteínas, contudo, é um peixe rico em colesterol. Tem um elevado conteúdo em vitaminas A, E, B6 e B12, bem como sódio, cálcio, fósforo e magnésio. A cebola vem acrescentar  a fibra e as vitaminas C, E, ácido fólico, B3 e B6, bem como potássio, fósforo, cálcio e magnésio, ferro, cobre, crómio, manganésio e molibdénio e o tomate os carotenos, nomeadamente o licopeno e mais doses de vitamina C e o ácido fólico, bem como o potássio e o magnésio. Este prato acompanha como puré de batata, sendo, assim, enriquecido com o amido, um hidrato de carbono complexo e com bróculos ricos em carotenos (pró-vitamina A), vitamina C e ácido fólico, potássio, cálcio e fósforo e, ainda, num fitonutriente protector denominado sulforafano que ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares e do cancro. (Fonte: http://www.nestle.pt/bemestar/)

Leituras Gastronómicas




Como já devem ter reparado, estas são duas das leituras gastronómicas que me têm acompanhado nos últimos tempos. Enquanto não experimento as receitas que mais me atraem, delicio-me com o folhear das páginas, com as fotos gulosas e imagino quão bom deve ser o seu gosto.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...